- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sábado, 13 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

MARANHÃO: Dois taxistas assassinados em São Luís no fim de semana

Mais Lidas

O taxista José de Ribamar Sousa Alves, de 44 anos, foi executado com um tiro no tórax durante uma tentativa de assalto ocorrida na Avenida Joaquim Mochel, no Parque Pindorama, na região do Cohatrac. O crime foi praticado por três suspeitos. Segundo o Sindicato dos Taxistas, este foi o primeiro latrocínio envolvendo taxistas este ano.

Informações de familiares indicam que estava no posto onde ele trabalhava, no retorno do São Francisco, quando dois homens pediram uma corrida para o Parque Pindorama. O taxista, também conhecido como Coqueiro, aceitou fazer a corrida e, quando dois homens entraram no táxi, o terceiro também tomou o veículo.

Pelas primeiras informações da Polícia Militar, quando chegaram à Avenida Joaquim Mochel, os três elementos deram voz de assalto, mas dispararam logo um tiro no tórax do taxista. Apesar disso, laudo da Polícia Civil mostra que nem o celular nem a bolsa do taxista foram levados durante o homicídio.

Ainda segundo informações da família e de colegas de trabalho de José de Ribamar Alves, havia mais dois taxistas no posto que poderiam pegar essa corrida. O primeiro, desconfiado dos dois elementos, não quis fazer a viagem e o segundo pegou um passageiro no momento em que José de Ribamar negociava a ida até o Parque Pindorama.

Revolta

O homicídio revoltou a categoria. Centenas de taxistas foram até a residência de José de Ribamar Sousa prestar sua solidariedade à família. O taxista deixou esposa e cinco filhos. “Queremos apenas justiça. Não quero que essa morte seja em vão”, disse a esposa do taxista, Renilde Sousa. “Perdemos um grande homem. Uma pessoa que não fazia mal para ninguém”, declarou o colega do taxista, Gregório Barbosa.

O presidente do Sindicato dos Taxistas de São Luís, José Antônio Pereira, pretende agora pedir ajuda à Polícia Militar para dar mais celeridade às investigações e também pedir mais segurança para os profissionais da área. “Essas situações não podem mais acontecer na cidade”, disse. Até o fechamento desta matéria, a polícia não tinha identificado os suspeitos do crime.

Insegurança

Os taxistas, que trabalham na região do São Francisco, se sentem inseguros. A categoria alega ter aumentado o número de assaltos e exigem segurança.

Cidade Olímpica

Francisco Emanuel Alves de Sousa Neto, 45 anos, foi o outro taxista assassinado. Segundo a polícia, o corpo foi encontrado dentro do táxi. Ele foi alvejado com um tiro no ouvido. O delegado Valber Braga não soube informar quantas pessoas estavam dentro do carro. Um homem identificado como Leozinho foi preso nas imediações do local do crime. Em poder dele foram apreendidas 38 cabeças de merla. A polícia trabalha com a hipótese do envolvimento de Leozinho no crime. O suspeito já cometeu três homícidios em São Luís.

Além de taxista, Francisco Emanuel era policial civil, lotado no 8º Distrito Policial, no bairro da Liberdade. Durante o assalto, a vítima teve o revólver calibre 38 roubado. (iMirante)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias