- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 20 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

MARANHÃO: Equipe médica do Hospital Geral realiza cirurgia inédita pelo SUS

Mais Lidas

A equipe de neurocirurgiões do Hospital Tarquínio Lopes Filho (Geral), que teve o seu centro cirúrgico recentemente reformado e equipado com modernos aparelhos para a realização de procedimentos de alta complexidade, realizou sexta-feira (7) mais uma cirurgia inédita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Maranhão. A paciente de 42 anos, que sofria de fortes dores na coluna desde a infância, foi submetida a um procedimento de estimulação do gânglio nervoso lombar bilateralmente, que nenhum outro hospital da rede pública do estado está habilitado a fazer.

Esta nova fase do Hospital Tarquínio Lopes Filho é resultado dos investimentos realizados pelo governo estadual nos últimos dois anos. A operação de Raimunda Rafaela Batista Aranha, que durou cerca de uma hora e meia, foi possível graças à estrutura oferecida pelo centro cirúrgico, entregue pela governadora Roseana Sarney e pelo secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, no mês passado. O intensificador de imagem, raio-x de uso contínuo na sala de cirurgia, é um dos equipamentos adquiridos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e utilizados no procedimento de neuroestimulação.

Segundo o médico João Carlos Soares de Sousa Júnior, que coordenou a equipe, outro aparelho indispensável na cirurgia foi o de monitorização anestésica transoperatória. “Hoje, contamos com todos os insumos, a exemplo do cateter que é utilizado na operação, além do gerador de estímulo que o hospital contrata para o procedimento. O acesso às técnicas de estimulação do sistema nervoso na coluna lombar é um grande avanço para o nosso estado”, destacou o especialista em dor e neurocirurgia funcional, informando que a paciente também foi submetida a um procedimento complementar chamado de risotomia em nível de articulações lombares.

Na avaliação de João Carlos Júnior, a cirurgia foi um sucesso, a Raimunda Rafaela passa bem, e deveria receber alta sábado (8). “Após a cirurgia, manteremos a reabilitação fisioterápica e o acompanhamento neurocirúrgico. Acreditamos que a paciente terá uma resposta melhor ao tratamento e controle maior da dor”, afirmou o médico, acrescentando que Raimunda Rafaela tem hipertrofia das articulações lombares, uma doença degenerativa que se caracteriza por um quadro de dor lombar muito intensa, que evolui progressivamente, e pode se tornar incapacitante.     

Sofrimento desde a infância

Antes de ser submetida à cirurgia, Raimunda Rafaela contou que desde os 10 anos de idade sofria crises de dor e tinha que recorrer a médicos e hospitais de urgência, sem encontrar uma solução definitiva para o problema. “Alguns médicos inclusive disseram que, se eu operasse da coluna, ficaria até pior”, disse ela.

A paciente agradeceu pela assistência recebida do Estado, ressaltando que com recursos próprios não teria como pagar pelo procedimento cirúrgico. “Me disseram que em um hospital particular só a operação custaria quase R$ 12 mil, e ainda com a possibilidade de necessitar de internação em uma UTI. Mas eu sempre confiei muito no SUS”, enfatizou ela.

Artrose, reumatismo, lombalgia, fibromialgia, escoliose toraxica e lombar são doenças que causam muita dor, da cabeça aos pés. “Eu, desde ontem, não consigo nem pisar direito no chão de tanta dor”, declarou ela, antes de entrar no centro cirúrgico. “Agora tenho muita fé de que minha vida vai melhorar”, afirmou.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias