- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
domingo, 22 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

MARANHÃO: PIB deve crescer 7,5% em 2012

Mais Lidas

A economia maranhense apresenta para os próximos anos, reais expectativas de crescimento econômico com índices que devem atingir o patamar de 7,5% em 2012 e com a perspectiva de dobrar o valor Produto Interno Bruto (PIB) do estado nos próximos cinco anos. Esse foi o cenário apresentado pelo secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Fábio Gondim, durante a divulgação do PIB do Maranhão, nesta quarta-feira (23), durante entrevista coletiva na sede do órgão, em São Luís.

Fábio Gondim ponderou que apesar da crise financeira internacional, o Maranhão é o estado brasileiro com cenário mais promissor de desenvolvimento econômico e social, com uma carteira de investimentos públicos e privados que superam a casa de R$ 100 bilhões de reais para os próximos cinco anos.

 “É com esses investimentos e a trajetória consistente de crescimento econômico do estado que o governo trabalha para promover o desenvolvimento sustentável do Maranhão aproximando-o da realidade média do Brasil”, enfatizou.

Números

Durante a coletiva, o presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos, Fernando Barreto, e o chefe da unidade estadual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Maranhão, Marcelo Melo, apresentaram o desempenho da indústria, agropecuária e serviços em 2009.

De acordo com os números divulgados, assim como o Brasil, o PIB maranhense em 2009 teve uma variação de -1,7%. A desaceleração é apontada como reflexo da crise internacional que afetou o mercado de commodities agrícolas e minerais. O Brasil registrou uma variação de -0,3%. Ao todo 10 estados brasileiros registraram variação negativa, entre eles: Espírito Santo (-6,7%), Minas Gerais (-4,0), Pará (-3,2%) e Amazonas (-2,0%), acima do Maranhão.

PIB – Calculado pelos órgãos de estatísticas estaduais em parceria com o IBGE e divulgado simultaneamente em todas as unidades da federação, apresenta dois anos de defasagem porque os cálculos se baseiam em pesquisas estruturais que só são disponibilizadas dois anos após o ano de referência.

Segundo o chefe do IBGE/MA, Marcelo Melo, a qualidade dos dados está condizente com a realidade do período apurado. “São flutuações sobre a tendência básica do que acontece no mundo”, destacou.

O presidente do Imesc, Fernando Barreto, disse que agora o órgão trabalha no anúncio da divulgação do PIB Municipal, marcado para o dia 14 de dezembro, no Palácio Henrique de La Rocque. “Vamos aproveitar para fazer a distribuição da publicação da série PIB Estadual/Municipal 2005-2009. “São números que servem de base para as formulações de políticas públicas e privadas”, revelou.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias