Connect with us

Maranhão

MARANHÃO: SES solicita à SSP investigação sobre denúncia

Publicado

em

O secretário de Estado de Saúde, Ricardo Murad, solicitou nesta quinta-feira (28) ao secretário estadual de Segurança, Aluísio Mendes, a rigorosa investigação da denúncia de que estaria ocorrendo no interior do Maranhão a comercialização financeira de postos de trabalho nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que estão prestes a serem inauguradas pelo Governo do Estado.

 “É uma denúncia gravíssima que será apurada com rigor. Não permitiremos em hipótese alguma que se cometa estelionato usando o nome da Secretaria de Estado da Saúde. E alertamos a população que os profissionais de saúde para as nossas unidades serão contratados por critérios técnicos”, enfatizou Ricardo Murad.

O secretário Aluísio Mendes determinou a imediata abertura de inquérito policial para investigar o caso.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

No Maranhão, policiais são afastados por morte de jovem que desejou “boa sorte” a Lázaro

Publicado

em

A Polícia Civil do estado do Maranhão afastou três agentes que participaram na morte do jovem de 23 anos, Hamilton César Lima Bandeira. O caso ocorreu na última sexta-feira, 18, em Calumbi, povoado do município de Presidente Dutra.

Em postagem nas redes sociais, a vítima teria desejado “boa sorte” para Lázaro Barbosa, assassino considerado serial killer e com atuação no estado de Goiás. Familiares de Hamilton alegaram que ele era pacífico e a publicação seria em decorrência de transtornos mentais que o jovem sofria desde criança.

Os agentes civis da Delegacia Territorial (DT) de Presidente Dutra foram até a casa do jovem e efetuaram dois disparos contra ele, que chegou a ser levado a um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o titular da DT, César Ferro, a ação ocorreu porque Hamilton não teria atendido ao chamado dos policiais, além de ainda ter feito ameaças com uma faca. A versão é contestada pela família, que afirma que os agentes ‘invadiram’ a residência sem uma determinação da Justiça.

Um inquérito foi aberto para apurar as circunstâncias da morte. O caso está sendo acompanhado pelo Ministério Público do Maranhão e a Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDIHPOP). Além dos afastamentos, as condutas dos policiais serão investigadas por agentes do Departamento de Homicídios e da Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Continue lendo

Maranhão

Deputado do Maranhão Júnior Lourenço e mais 24 pessoas são denunciadas por fraudes em licitações

Publicado

em

O Ministério Público do Maranhão ofereceu, na última sexta-feira, 18, denúncia contra o deputado federal José Lourenço Bomfim Júnior, conhecido como Júnior Lourenço, um dos alvos da Operação Laços de Família, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) no dia 15 de abril. Na ocasião, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Miranda do Norte e Bom Jardim.

Com base nos elementos e provas coletados, o Ministério Público do Maranhão requer que seja autuada a denúncia e proferida sentença condenatória pelos crimes de fraude em procedimento licitatório, peculato e organização criminosa, com perda de cargo ou mandado eletivo dos denunciados, além de pagamento do valor de R$ 22.061.477,53 como forma de reparação dos danos ao erário.

Além de Júnior Lourenço, também foram denunciados Carlos Eduardo Fonseca Belfort, conhecido como Negão, ex-prefeito de Miranda do Norte; os empresários Tiago Val Quintan Pinto Frazão, Bruno Val Quintan de Menezes, Paulo Ricardo Nogueira Ayres Val Quintan e mais 20 pessoas, inclusive pessoas que ocupavam cargos na prefeitura até o período atual e que foram afastadas do exercício de suas funções por deferimento de medida cautelar. 

Segundo as investigações, iniciadas a partir de denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU), foram identificados desvios de recursos na Prefeitura de Miranda do Norte, no período de 2017 a 2020, durante a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Fonseca Belfort. O mesmo esquema teria sido usado pelo também ex-prefeito e atual deputado federal Júnior Lourenço, que esteve à frente da gestão do município no período de 2009 a 2016, apontando para a existência de uma organização criminosa.

A denúncia foi assinada pelos promotores de justiça Luís Samarone Batalha Carvalho, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Itapecuru-Mirim; Ana Carolina Cordeiro de Mendonça Leite e Fernando Antonio Berniz Aragão, integrantes do Gaeco; e Marco Aurélio Ramos Fonseca, que responde atualmente pelas 1ª e 2ª Promotorias Criminais do Termo Judiciário de São Luís.

De acordo com o documento, encaminhado ao titular da 1ª Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís, as investigações apontam a existência de três núcleos de agentes classificados com base na atuação de cada um: político, composto pelos ex-gestores Carlos Eduardo Fonseca Belfort e Júnior Lourenço; empresarial, comandado por Tiago Val Quintan Pinto Frazão, que está presente no município de Miranda do Norte desde a gestão de Júnior Lourenço; e administrativo, formado pelos secretários municipais Antônio da Conceição Sanches, Alysson Rogério Mesquita de Oliveira – atualmente vice-prefeito do município – e Adson Mendonça Mendes, além de outros servidores da prefeitura de Miranda do Norte, inclusive membros da Comissão Permanente de Licitação (CPL).

Ainda segundo a denúncia, desde 2009, primeiro ano do mandato do ex-prefeito Júnior Lourenço, foi constituída, de modo permanente e ordenado, uma organização criminosa com ramificações dentro do município de Miranda do Norte com o objetivo de obter, direta e indiretamente, vantagens indevidas por meio das práticas de crimes licitatórios e crimes contra a Administração Pública.

Continue lendo

Maranhão

Jovem que exaltava maníaco Lázaro em redes sociais é morto pela Polícia no Maranhão

Publicado

em

Policiais de Presidente Dutra (MA) mataram um homem após denúncias envolvendo postagens nas redes sociais com ameaças e “enaltecimento” ao maníaco Lázaro Barbosa, 32 anos, que está foragido há 11 dias, em Goiás.

O rapaz identificado como Hamilton Cesar Lima Bandeira morava no Povoado Calumbi. Ele foi morto em casa.

Segundo a Delegacia Regional de Presidente Dutra, o jovem publicou fotos segurando uma faca, “dando a entender que faria algo semelhante [ao Lázaro], levando a população ao desespero”.


A unidade policial disse que os investigadores foram até a residência averiguar a situação porque o rapaz estaria, em tese, praticando apologia ao crime. Os policiais atiraram após o homem “não atender a ordem policial”, de acordo com a nota da delegacia.

“Quando os policiais chegaram ao local, o rapaz estava na casa na companhia apenas de um senhor de 90 anos e não atendeu a ordem policial, tentando atacar os policiais (conforme B.O. registrado), os quais, diante da situação apresentada, tiveram que efetuar disparos de arma de fogo contra o rapaz”, afirmou.

Segundo a delegacia, o homem foi socorrido pelos policiais e levado ao hospital da cidade, onde chegou com vida. Porém, ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

“Lamentamos profundamente o falecimento do jovem, ao passo em que também nos solidarizamos com a família. Zelando pela veracidade, como é de costume de toda polícia de Presidente Dutra, foi instaurado Inquérito Policial para apurar as circunstâncias da morte, contudo, mais informações serão repassadas ao final das investigações. Não serão divulgadas fotos, vídeos e áudios em respeito aos familiares nesse momento tão difícil”, concluiu.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze