Bombeiros retiram máquina quebrada de unidade em Araguaína
Bombeiros retiram máquina quebrada de unidade em Araguaína

Os Ministérios Públicos do Maranhão e do Tocantins vão investigar a situação dos pacientes com câncer do Tocantins, que fazem tratamento no município de Imperatriz. Atualmente 60 pessoas estão em tratamento fora do estado.

O vigilante Raimundo Rodrigues se recupera bem depois das 20 sessões de radioterapia feitas também em Imperatriz. Ficar longe de casa foi mais um sofrimento para ele. “Se fosse aqui seria mais fácil porque eu podia só sair de casa e ir nos dias marcados”, diz.

O pai do advogado Silvado Rezende chegou a ficar mais de 30 dias em Imperatriz, no Instituto contratado pelo governo para atender aos pacientes. “A gente percebeu que lá não tinha alimentação adequada para o paciente. A questão da higienização era bem caótica. Os próprios pacientes tinham que fornecer material de higiene”, conta.

Ele também diz que a máquina apresentou defeito e que o pai chegou a sofrer queimaduras. Ele fez uma denúncia no Ministério Público do Maranhão e do Tocantins. “Segundo informações, tem uma peça nessa máquina que deveria ser trocada. Como não houve essa reposição da peça, a radioterapia estava queimando demais os pacientes”, afirma.

Nesta sexta-feira (9), o Corpo de Bombeiros retirou a máquina quebrada da unidade de radioterapia que ficava em Araguaína. A Secretaria de Saúde afirmou que o local foi desocupado para que a empresa contratada conclua a reforma e instale o novo equipamento. O prazo dado pelo governo para que a nova máquina de radioterapia passe a funcionar na unidade de Araguaína é de quatro meses.

A Secretaria de Saúde informou que o tratamento em Araguaína será retomado depois que a sala onde será reinstalada a nova máquina, ficar pronta. A previsão para que isso aconteça até maio de 2017.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.