Connect with us

Bico do Papagaio

Municípios do Bico podem aderir às escolas cívico-militares até sexta, 11

Publicado

em

A maior parte dos estados do Brasil sinalizou o desejo de aderir ao programa das escolas cívico-militares. Para que todo o país seja contemplado, o Ministério da Educação (MEC) um novo período de adesão voltado para os municípios, que acaba nesta sexta-feira, 11 de outubro.

Os prefeitos dos municípios interessados devem indicar a participação por meio de ofício assinado por eles. O documento deve ser enviado para o e-mail [email protected]

A seleção do MEC levará em conta a possibilidade de mobilização, em primeiro lugar, de profissionais da reserva das Forças Armadas na cidade. Caso não haja efetivo de Exército, Força Aérea e Marinha no município, a opção são membros das corporações estaduais, ou seja, policiais e bombeiros militares.

Vale lembrar que o modelo é destinado a escolas públicas. Alguns pré-requisitos são importantes e garantem a preferência na seleção:
 

  • escolas que ofertem os anos finais (6º ao 9º) do ensino fundamental e que tenham, preferencialmente, efetivo de 500 a 1.000 alunos;
  • unidades com estudantes em situação de vulnerabilidade social e Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) abaixo da média do estado;
  • escolas que possuam aprovação da comunidade escolar para implantação do modelo.


Áreas de atuação – O modelo de excelência das escolas cívico-militares abrange as áreas didático-pedagógica, com atividades que visam melhorar o processo de ensino-aprendizagem, mas preservando as atribuições exclusivas dos docentes; a educacional, fortalecendo valores humanos, éticos e morais; e a administrativa, aprimorando a infraestrutura e a organização da escola.

Os militares destacados para as escolas cívico-militares vão atuar nas três áreas, sem tomar os lugares dos professores nas salas de aula. Todas as atribuições dos profissionais da educação previstas na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) serão preservados.

Orçamento – O objetivo do MEC é estabelecer novas 216 escolas cívico-militares em todo o país até 2023 – a iniciativa piloto, em 2020, contemplará 54. Antes do lançamento do modelo do governo federal, o Brasil já contava com 203 escolas cívico-militares, nunca antes padronizadas.

Para 2020, o orçamento do programa é de R$ 54 milhões, ou seja, R$ 1 milhão por escola. O dinheiro será investido no pagamento de pessoal em umas instituições e na melhoria de infraestrutura, compra de material escolar, reformas, entre outras pequenas intervenções.

As escolas em que haverá pagamento de pessoal serão aquelas em que haverá parceria entre o MEC e o Ministério da Defesa, que contratará militares da reserva das Forças Armadas para trabalhar nas escolas. A duração mínima do serviço é de dois anos, prorrogável por até dez, podendo ser cancelado a qualquer tempo. Os profissionais vão receber 30% da remuneração que recebiam antes de se aposentar.

Os estados poderão ainda destinar policiais e bombeiros militares para apoiar a administração das escolas. Nesse caso, o MEC repassará a verba ao governo, que, em contrapartida, investirá na infraestrutura das unidades, com materiais escolares e pequenas reformas.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Dez respiradores devem ser enviados ao HRAug após articulação de Amélio, Gomes e Carlesse

Publicado

em

Um boa notícia para a população do Bico do Papagaio deve ser anuncia nos próximos dias. É o envio de 10 respiradores mecânicos, para colocar em funcionamento os novos leitos de UTI, no Hospital Regional de Augustinópolis e serem usados no enfrentamento a Covid-19.

Os respiradores foram conseguidos pelo senador Eduardo Gomes (MDB) e repassados ao Governo do Estado. Ao todo, são 20 máquinas, que desembarcam em Palmas, neste sábado, 30.

Após a divulgação feita pelo senador, sobre a chegada dos respiradores ao Tocantins, o deputado Amélio Cayres (SD), entrou em cena, e pediu direto ao senador, que fossem enviados 10 dos equipamentos para serem utilizados nos novos leitos no HRAug.

Eduardo Gomes então topou e articulou junto ao governador Mauro Carlesse (DEM), que concordou.

O Bico do Papagaio já se aproxima dos 900 casos de Covid-19 oficializados e nesta semana, o HRAug já se encontra com sua capacidade de internação no limite.

Continue lendo

Bico do Papagaio

TOCANTINÓPOLIS: Município já é o terceiro com mais casos de Covid-19 no Bico

Publicado

em

Continue lendo

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Prefeitura deixa pai e mãe de vereador sem medicamentos para Covid-19

Publicado

em

Vereador Marconcelio Assunção da Silva

Nesta sexta, 29, o vereador da cidade de Augustinópolis, no Bico do Papagaio, Marconcelio da Silva (PV), denunciou o descaso da Secretaria Municipal de Saúde, com sua família, no que tange ao tratamento da Covid-19.

Segundo o parlamentar, seu pai e sua mãe, testaram positivo para Covid-19, mas não estariam recebendo o medicamento da Secretaria Municipal de Saúde, situação que estaria prejudicando na recuperação.

Marconcelio relatou que seu pai, é do grupo de risco, por ser hipertenso e diabético, mas que mesmo assim, a Secretaria teria fornecido apenas parte do medicamento. Já sua mãe, não teria sido atendida com nenhum dos remédios para o tratamento.

O parlamentar ainda denunciou, que o prefeito Júlio, estaria levando os medicamentos, para pessoas de seu interesse, pessoalmente e cobrou do gestor, tratamento igual para todos que estejam com a doença.

Pai do vereador

O webjornal Folha do Bico, solicitou uma posição da Secretaria Municipal de Saúde sobre a situação, mas até a publicação desta notícia, não recebemos retorno.

Nesta sexta, Augustinópolis registrou mais 5 casos de Covid-19, chegando a 40 paciente que se infectaram com o vírus Sars-CoV-2 e 200 já se recuperaram.

Mãe do vereador
Continue lendo
publicidade