Connect with us

Tocantins

No Tocantins, “capangas” mantêm mulher refém por conta suposta dívida contraída pelo marido

Publicado

em

Uma ação conjunta de combate à criminalidade, deflagrada pela Polícia Civil do Tocantins, na tarde desta segunda-feira, 19, por policiais civis da 6ª e 8ª Divisões Especializadas de Combate ao Crime Organizado (DEICS de Paraíso do Tocantins e Gurupi), resultou nas prisões em flagrante de cinco homens pela prática, em tese, do crime de extorsão mediante sequestro. Na oportunidade, os policiais civis encontraram e libertaram a vítima que estava em poder do grupo no momento em que eles chegavam à cidade de Gurupi.

De acordo com os delegados Hismael Athos (6ª DEIC de Paraíso) e Rafael Falcão (8ª DEIC de Gurupi), as investigações tiveram início em Paraíso após funcionários de um hotel daquela cidade perceberem que na manhã desta segunda-feira, 19, uma hóspede havia sido arrebatada ainda no interior daquele estabelecimento por cinco homens, sendo um deles policial Civil do estado do Maranhão.

De imediato, a Polícia Civil iniciou as diligências, e constatou que o grupo, que estava em dois carros, havia tomado como destino a cidade de Gurupi. Por meio de levantamentos, os policiais civis da 6ª DEIC apuraram que o objetivo do bando era entrar em contato com uma cunhada da vítima e exigir o pagamento de uma suposta dívida contraída pelo marido da sequestrada, como forma de libertá-la.

De posse das informações, os policiais civis da 6ª DEIC acionaram os policiais da 8ª DEIC de Gurupi, que imediatamente entraram no caso e logo em seguida, localizaram os veículos entrando na cidade, sendo os mesmos abordados logo em seguida.

Ao ser ouvida pela autoridade policial, a vítima confirmou que era coagida a pagar a dívida do marido e seguida por um dos sequestradores desde o último sábado, 17. No entanto, na manhã de hoje foi arrebatada em um hotel de Paraíso do Tocantins e permaneceu em poder dos cinco conduzidos, os quais lhe ameaçaram inclusive com uma arma de fogo, colocando-a em um carro e trazendo para Gurupi contra a sua vontade.

A vítima narrou ainda que desde o último sábado, 17, era mantida como refém e para ter sua liberdade, deveria pagar a dívida contraída pelo seu esposo que é corretor de grãos. Ainda segundo os delegados, a vítima relatou que nesta segunda-feira, sequer se alimentou, pois foi colocada num veículo juntamente com os sequestradores e seguiram para Gurupi, onde eles ligaram para sua cunhada cobrando o dinheiro do resgate para realizar sua libertação.

Após buscas nos automóveis abordados, a equipe da 8ª DEIC Gurupi encontrou uma pistola calibre .40, várias munições do mesmo calibre, bem como a quantia de R$ 3.386,10 e aparelhos celulares. Na sequência da ocorrência, também foi possível constatar que a cunhada da vítima foi contatada pelos conduzidos, tendo confirmado que eles exigiam o pagamento de valores para que a vítima fosse colocada em liberdade.

Diante dos fatos, os envolvidos foram conduzidos para Central de Flagrantes de Gurupi onde foram autuados em flagrante pelo crime de extorsão mediante sequestro. Se condenados, podem pegar uma pena de até 20 anos de reclusão. Após a realização das providências legais cabíveis, os indivíduos foram recolhidos a Casa de Prisão Provisória de Gurupi, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. (Rogério de Oliveira)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins acumula mais de 80 mil contaminados pela Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quinta-feira, 26 de novembro, foram contabilizados 241 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 69 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 254.508 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 80.450 casos confirmados da doença. Destes, 72.849 pacientes estão recuperados e 6.446 estão ainda ativos (em isolamento domiciliar ou hospitalar), além de 1.155 óbitos.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Cristo tem iluminação especial no Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher

Publicado

em

Quem passou pelas proximidades do setor Pedra Alta, nessa quarta-feira, 25, viu a imagem do Cristo Redentor de Araguaína alaranjado. A iluminação diferenciada foi uma referência ao Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher. A data é escolhida pelas Nações Unidas (ONU), em 1999, em homenagem às irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana, na década de 1960.
 
Conhecidas como “Las Mariposas” (as borboletas), essas mulheres eram ativistas contra o regime de Trujillo. Eram nascidas em uma família rica da província dominicana de Salcedo (hoje chamada de Hermanas Mirabal), com cursos universitários, casadas, com filhos e tinham cerca de uma década de protestos.
 
Reforma

A estátua do Cristo e as imediações estão sendo revitalizadas. A iluminação já está pronta e é realizada por cinco projetores em LED, que podem receber vidraria colorida para refletir na imagem. O sistema que liga a iluminação é automatizado para garantir economia de energia durante os horários de sol.
 
A partir de dezembro, o monumento passará para cor vermelha em alusão ao Natal e também mês da doação de sangue.
 
Combate contra a violência

A Secretaria da Assistência Social tem atendimento especializado no Centro de Referência de Assistência Social (CREAS) para mulheres que sofrem violência doméstica e ainda estimula a independência financeira com cursos profissionalizantes gratuitos. Para ter acesso o atendimento o telefone é 99973-9729.
 
“Nós percebemos que grande parte das mulheres que sofrem violência tem medo de sair de casa não só por medo do companheiro, mas também pela dependência financeira. Então, fornecemos a ajuda psicológica e educativa para transformação dessa mulher”, afirmou Lucas Andrade, diretor de Proteção Social Especial.

Continue lendo

Tocantins

Comerciantes no interior do Tocantins são acusados de reter cartões bancários de indígenas e idosos

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 69ª Delegacia de Polícia de Tocantínia, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 26, em Tocantínia, a 60 km de Palmas, a operação Borduna contra comerciantes que estariam, em tese, retendo cartões bancários dos povos indígenas Xerente, idosos e demais pessoas.  Coordenada pelo delegado-chefe da 69ª DP, Hismael Athos, a operação teve o objetivo de cumprir seis mandados de busca e apreensão, resultando na apreensão de diversos cartões e senhas anotadas em papéis.

De acordo com a autoridade policial, as investigações iniciaram após o Ministério Público Federal (MPF) enviar notícia crime para Polícia Civil de que cartões bancários referentes a auxílios do Governo Federal eram retidos por comerciantes daquela cidade para garantir o pagamento de produtos alimentícios adquiridos pelas vítimas em estabelecimentos comerciais específicos.

O delegado, Hismael Athos, informou ainda, que os cartões permaneciam de posse dos comerciantes e, à medida que os benefícios eram depositados, os respectivos valores eram debitados das contas. Segundo a autoridade policial, há indícios de que os comerciantes sabiam inclusive as senhas bancárias dos indígenas e realizavam esses saques mensalmente.

O delegado ressaltou que é crime reter cartão de idoso. Informou ainda, que inicialmente, a Operação servirá de alerta para que os povos indígenas tomem posse dos seus documentos e cartões pessoais. “Orientamos que os beneficiários dos recursos busquem pessoas de sua confiança para realizar os saques bancários e jamais entregue seus cartões bancários a terceiros”, afirma a autoridade policial.

Operação Borduna

A operação foi batizada de Borduna em homenagem espécie de armamento indígena com o referido nome, fabricado em madeira maciça e utilizado em caçadas ou mesmo para em situações de ataque e defesa dos povos indígenas. (Patricia de Paiva)

Continue lendo
publicidade Bronze