Connect with us

Tocantins

Número de trabalhadores sindicalizados cresce e de formalizados recua no TO em 2019

Publicado

em

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, 26, dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Características adicionais do mercado de trabalho 2019. No Tocantins, destaca-se o crescimento de 50% no contingente de associados a sindicato, o maior do país. Além disso, comparado ao cenário nacional, o estado registrou a mais alta redução de empregadores e trabalhadores por conta própria com registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).

A publicação PNAD Contínua: Características adicionais do mercado de trabalho apresenta informações sobre variados aspectos, dentre os quais se destacam: associação a sindicato, por posição na ocupação, grupamentos de atividade e nível de instrução das pessoas ocupadas; associação a cooperativa de trabalho ou produção; empregadores ou trabalhadores por conta própria em empreendimento com registro no CNPJ; e local do estabelecimento.

Em 2019, houve crescimento do contingente da população ocupada de 3,8% e também dos tocantinenses associados a algum sindicato. Esse grupo passou de 36 mil para 54 mil ou 8,3% do total de ocupados. Frente a 2018 o avanço foi de 50%, naquele ano apenas 5,8% dos trabalhadores eram sindicalizados. No ranking nacional, Tocantins registrou a maior expansão. Já Santa Catarina foi o estado que teve a queda mais acentuada (-23,6%).

No Brasil, 11,2% dos trabalhadores eram associados a sindicato no ano passado, o que aponta para uma redução de sindicalizados, já que em 2018 o percentual era de 12,5%. As Regiões Nordeste (12,8%) e Sul (12,3%) permaneceram com os valores mais altos, enquanto Norte (8,9%) e Centro-Oeste (8,6%), os menores. Todas as Grandes Regiões e 23 Unidades da Federação tiveram redução entre 2018 e 2019.

Analisando a série histórica, em 2012, a associação a sindicato no Tocantins era de 8,4%. Esse índice aumentou em 2013 (11,1%) e em 2014, chegando ao seu maior patamar (11,7%). Em 2015, a retração da ocupação de 2,55% também foi acompanhada pela diminuição no percentual de associados, caindo para 9,8% a proporção de sindicalizados. Em 2016, uma nova queda (8,1%). E em 2017, a expansão expressiva da população ocupada foi seguida pelo crescimento da sindicalização (9,5%). Já em 2018, o estado teve o menor percentual de sindicalização dos últimos seis anos (5,8%).

Registro no CNPJ

Em 2012, 18,4% dos ocupados como empregador ou trabalhador por conta própria tinham seus empreendimentos registrados no CNPJ. Esse percentual recuou em 2013 (14,9%), aumentou em 2014 (23%) e em 2015 (27,3%). No ano de 2016, voltou a cair (24,2%), mas teve nova ascensão em 2017 (26,5%), alcançando a maior taxa em 2018 (28,1%). Em 2019, contudo, o percentual ficou em 23,6%, o que aponta que houve retração.

De acordo com a pesquisa, a proporção de pessoas ocupadas como empregadoras com registro no CNPJ, no ano passado, é quase quatro vezes maior do que aqueles que trabalham por conta própria. Destes, 16,4% possuíam um empreendimento formalizado, já entre os empregadores essa cobertura era de 61,2%.

De todas as Unidades da Federação, Tocantins apresentou a queda mais acentuada (-4,1%) no contingente de pessoas que trabalham por conta própria: de 169 mil em 2018, para 162 mil no ano passado. Desse grupo, o estado também registrou a maior retração de formalizados (-18%), passando de 33 mil para 27 mil aqueles com CNPJ (em termos percentuais, de 19,4% para 16,4%).

Por outro lado, o contingente de empregadores aumentou, passando de 28 mil para 31 mil. Apesar disso, a pesquisa mostra que houve retração no número de formalizados. Em 2018, 22 mil tinham CNPJ e, no ano passado, apenas 19 mil (saindo de 80,5% para 61,2%). Nessa categoria, o Tocantins também foi destaque no cenário nacional, pois registrou a maior queda (-14%).

Cooperativa e local de trabalho

Conforme a PNAD Contínua, das 193 mil pessoas ocupadas como empregadores ou conta própria em 2019, apenas 3,5% (7 mil) estavam associadas à cooperativa de trabalho ou produção, o que mostra a baixa adesão dos trabalhadores a esse tipo de arranjo produtivo no estado. Comparando com 2018, que tinha um percentual de 4,4% (9 mil cooperativados), o Tocantins registrou redução. A maior proporção ocorreu em 2017 (6,1%).

Em 2019, a população ocupada no setor privado, exclusive trabalhadores domésticos, trabalhava principalmente em estabelecimento do próprio empreendimento (48,6%), em fazenda, sítio, granja, chácara etc. (23,3%) e em local designado pelo empregador, patrão ou freguês (16,6%). Os demais: no domicílio de residência (5%), em veículo automotor (2,8%), em via ou área pública (2,6%), em estabelecimento de outro empreendimento (0,8%) e em domicílio do empregador, patrão, sócio ou freguês (0,3%).

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

ARAGUAÍNA: Prefeitura e Sesi firmam contrato para realização de trabalho socioambiental nos bairros

Publicado

em

A Prefeitura de Araguaína e o Serviço Social da Indústria do Estado do Tocantins (Sesi-TO) assinaram, nesta terça-feira, 27, a ordem de serviço para início dos trabalhos para realização de diagnóstico socioambiental junto às comunidades beneficiadas pelo Projeto Águas de Araguaína.

Com duração de 12 meses e prazo de execução prevista em oito meses, o valor total do contrato é de R$ 182.081,34. Serão aplicados 2.806 formulários para diagnóstico da caracterização da área de intervenção e entorno; caracterização da população; caracterização da organização comunitária de cada região e mapeamento socioambiental. Com essas informações, pretende-se definir de que forma as obras impactarão cada comunidade.

“O trabalho que o Sesi realizará tem como objetivo compreender as questões socioambientais das comunidades, com o intuito de alinhar as expectativas da comunidade às obras que serão realizadas. Por isso, é importante que as pessoas respondam ao questionário e atendam à equipe que estará devidamente caracterizada e uniformizada”, explicou a gerente técnica ambiental e social da Unidade de Gerenciamento de Projeto (UGP), Jeniffer Durães.

Comunidades avaliadas
Serão atendidas as comunidades da área de abrangência dos parques Neblina, São Miguel e Raizal; dos canais dos córregos Tanque, Tibúrcio, Planalto, Água Fria e Canindé; além dos setores Dom Orione, Vila Rosário, Maracanã, Raizal, Tereza Hilário, Martim Jorge, George Yunes, Urbanístico, Alaska, Santa Luzia, Jardim América, Céu Azul, Santa Terezinha, Vila Ferreira e Nova Araguaína.

O diagnóstico iniciará com a aplicação dos formulários; seguirá com o relatório fotográfico; planilha de tabulação dos dados; estudo socioambiental da comunidade afetada e será concluído com a apresentação do estudo à UGP. A apresentação do Plano de Trabalho pela equipe do Sesi está prevista para o próximo dia 10 de agosto.

O relatório do estudo norteará o Projeto de Trabalho Técnico Socioambiental (PTTSA) que na sequência será executado nos bairros, realizando oficinas e palestras específicas para as comunidades diagnosticadas. “Vamos correr para iniciar os trabalhos o mais rápido possível. É muito bom poder compartilhar esse momento com a gestão na execução de um projeto que vai dar mais um UP na transformação da cidade, comentou a superintendente do Sesi no Tocantins, Roseli Ferreira Neves Sarmento.

Orientações técnicas
Durante a reunião para assinatura da ordem de serviço, a equipe da UGP apresentou às representantes da instituição as normas de execução dos projetos financiados pela Cooperação Andina de Fomento (CAF) – Banco de Desenvolvimento da América Latina, como o fluxograma de medição e etapas do trabalho de diagnóstico do PTTSA.

“A CAF é uma instituição exigente, rigorosa, à qual precisamos atender as exigências e prestar contas regularmente, além de passar por auditorias anuais. O objetivo principal desse trabalho é atender as salvaguardas smbientais e sociais, bem como o cumprimento de metas físicas e financeiras, que garantem o pagamento dos contratos com celeridade”, explicou o gerente técnico de Supervisão e Acompanhamento de Obras da UGP, Cid Forghieri.

Águas de Araguaína
O Projeto de Saneamento Integrado Águas de Araguaína contempla uma série de obras de infraestrutura nos bairros, totalizando um investimento de mais de R$ 350 milhões e beneficiando à população de mais de 30 bairros, com financiamento obtido por meio do Banco de Desenvolvimento da América Latina – Corporação Andina de Fomento (CAF).

Com a drenagem e pavimentação dos bairros, o projeto prevê ainda a implantação da Via Norte e a criação de bacias de detenção da água das chuvas para evitar futuros alagamentos e vários pontos de área verde com a implantação dos parques: Nascentes do Neblina, São Miguel e Raizal, garantindo a preservação dos córregos Neblina, Jacuba e do Rio Lontra.

Continue lendo

Tocantins

Governo do Tocantins inaugura a maior central de esterilização do Estado

Publicado

em

O Governo do Estado do Tocantins, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), inaugurou nesta quarta-feira, 28, a maior e mais moderna Central de Material e Esterilização (CME) do Tocantins. O contrato com a empresa BioPlus prevê a gestão completa do Hospital Geral de Palmas (HGP), incluindo a nova ala pediátrica, além do Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR). O espaço dispõe de profissionais capacitados e equipamentos de tecnologia de ponta para realização de todo o processo de esterilização da unidade hospitalar (autoclaves, lavadora termodesinfectadora e ultrassônicas, entre outros), incluindo o sistema de rastreabilidade informatizada.

“Com a nova central, a capacidade de lavagem e esterilização foi aumentada quatro vezes mais, de 810 litros para 3.600 litros. Um ganho para nossa unidade, referência de alta complexidade no Estado. O serviço vai melhorar nossos processos de trabalho, contribuindo com assistência aos nossos pacientes”, declarou o diretor-geral do HGP, Leonardo Toledo.

Para a superintendente de Unidades Hospitalares Próprias, Elaine Negre Sanches, “é uma satisfação muito grande saber que vamos ofertar um atendimento com mais qualidade e segurança ao usuário do SUS [Sistema Único de Saúde]”, afirmou.

Na ocasião, estiveram presentes: o diretor-geral do HGP, Leonardo Toledo; o diretor administrativo do HGP, João Carlos Dias Medeiros; o membro do Conselho Regional de Medicina, Murilo Cifuentes, além do diretor de operações comerciais da BioPLus, Bruno Paulino. (Luciana Barros)

Continue lendo

Tocantins

Rodovia para o Jalapão começa a receber capa asfáltica

Publicado

em

O Governo do Tocantins, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), iniciou a aplicação da capa asfáltica no trecho da TO-247, entre Lagoa do Tocantins e São Félix.

A rodovia, que dará acesso ao Jalapão, está recebendo obras de drenagem e pavimentação e, nesta semana, começou a ser realizado o processo conhecido como imprimição, ou seja, a aplicação da primeira capa de material asfáltico responsável por realizar a impermeabilização do segmento.

A população da região tem comemorado a chegada do asfalto. O agricultor familiar Edson Cerqueira Dias, conhecido como Riquinho, morador do Jalapão desde 1963, destacou que a rodovia vai tirar a população do isolamento. “O povo aqui é isolado e muito carente. Com o asfalto, acredito que essa região vá desenvolver, porque a gente vai poder levar nossas coisas pra vender com mais facilidade na cidade”, frisa.


A Ordem de Serviço da obra foi efetivada no final de maio. Os trabalhos ocorrem de maneira acelerada. De acordo com a secretária de Estado da Infraestrutura e presidente da Ageto, Juliana Passarin, duas frentes de serviço atuam no trecho. “Estamos trabalhando com celeridade para garantir o cumprimento do cronograma pré-estabelecido para a obra”, explica.

Esta primeira etapa de pavimentação beneficiará 50 km da rodovia. Com a conclusão das obras, a TO-247 será mais uma opção de acesso aos atrativos do Jalapão, além das rodovias TO-030, TO-110 e TO-255. O acesso à rodovia é feito pelo município de Santa Tereza do Tocantins, de lá até Lagoa do Tocantins a pista já é pavimentada.

A rota para o Jalapão por esse caminho, depois de pavimentado, deve facilitar o acesso e encurtar o tempo de viagem para turistas e moradores da região. “A rodovia trará muitos benefícios para o turismo, mas também dará acesso a população da região que sairá do isolamento e terá acesso fácil aos serviços públicos”, destaca a secretária.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze