- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 17 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

PA: Paysandu enfrenta o Sport disposto a quebrar tabu

Mais Lidas

Pode até gerar polêmica, mas para a maioria dos torcedores bicolores o jogo de hoje, contra o Sport (PE), em Recife, é o mais importante do Paysandu na temporada de 2012, ao menos neste primeiro semestre. A expectativa é grande para este jogo válido pela segunda rodada da Copa do Brasil, principalmente pelo que o Papão apresentou no primeiro jogo, quando a equipe venceu por 2 a 1 – e poderia ter sido mais –, na quarta-feira passada.

Porém, a grande preocupação de quem acompanha o bicolor de perto é saber qual Paysandu entrará em campo logo mais, às 22h, no estádio da Ilha do Retiro. Se for o Papão vibrante, rápido e muito perigoso que venceu o Leão pernambucano no meio da semana passada, a expectativa é de uma possível classificação, mas se for o time apático, cansado e sem vontade que perdeu para o Águia de Marabá no final de semana que passou, pela semifinal do Campeonato Paraense do segundo turno, o tabu de o bicolor paraense nunca ter passado pela segunda fase da Copa do Brasil perdurará por mais um ano.

A chance de retornar a Belém classificado é grande, o Paysandu joga por dois resultados: empate ou vitória. Entretanto, os confrontos do Papão contra equipes do nordeste nesta fase da competição não é muito boa. Até agora foram três jogos e três eliminações, sendo a mais dolorosa em 2007, quando foi derrotado por 5 a 0 pelo Náutico (PE). Então, o momento agora é esquecer o passado e fazer de tudo para trazer essa classificação para o torcedor bicolor que se acostumou com grandes conquistas.

É a grande chance dos bicolores

O Papão entra em campo hoje à noite com a grande chance de passar à terceira rodada da Copa do Brasil pela primeira vez. Para chegar a esta marca histórica, o Paysandu precisa evitar a derrota para o Sport fora de casa, quebrando um tabu chato.

No retrospecto de confrontos contra equipes do nordeste na segunda rodada, a equipe bicolor pegou o Ceará em 2005. Venceu em casa por 2 a 0, mas foi goleado em Fortaleza por 4 a 0. Em 2007 foi a vez do Náutico (PE). Jogando em Belém, o Paysandu venceu o Timbu com a contagem mínima, porém foi massacrado pelo alvirrubro pernambucano por 5 a 0, no jogo da volta.

Mas, ano passado, o bicola pegou o Bahia e, por pouco, não conseguiu passar de fase. Depois de um 0 a 0 em Belém, o Paysandu foi para Salvador podendo empatar com gols ou uma vitória simples que traria a vaga para casa, mesma condição deste ano. Apesar de o Papão ter saído do primeiro tempo com dois tentos atrás, o segundo tempo veio e o zagueiro Marcos acabou marcando um gol contra a favor do Paysandu e o time alviceleste pressionou até o final, mas não conseguiu marcar o gol de empate.

Para o técnico Lecheva, o tabu existente não prejudica o time em nenhum momento. “Eu acho que na verdade esses tabus servem para incentivar. Tínhamos o tabu de mais 51 anos que não vencíamos o Sport e quebramos esse tabu. E o grupo está bastante focado em busca de mais uma quebra (tabu)”, explicou o técnico, que prometeu, no mínimo, o mesmo comportamento que a equipe teve no primeiro jogo. “Sabemos que as coisas lá tendem ser um pouco mais difíceis, mas eu acho que depende muito da gente, também”, completou.

No esquema tático de Lecheva, sai Brayan e entra o zagueiro Pablo

De opção no banco de reservas durante os jogos, o zagueiro Pablo ganhou a posição do lateral esquerdo Brayan e iniciará entre os onze titulares esta importante partida contra o Sport Clube Recife. Como o lateral de ofício não vinha correspondendo às expectativas há alguns jogos, Pablo foi acionado para o lado esquerdo bicolor na primeira partida, na quarta-feira passada, em Belém.

Para o jogo de hoje, valendo a classificação à terceira rodada da Copa do Brasil, Pablo tem a missão de parar o veloz Moacir, que fez o seu companheiro Brayan de gato e sapato. Porém a intenção do técnico Lecheva é utilizar Pablo pelo lado esquerdo e variar a equipe taticamente durante o jogo – recuando Pablo para compor um sistema de três zagueiros e liberando o lateral Yago Pikachu como ala pela direita e o meia Leandrinho pela esquerda, pressionando a saída de bola dos donos da casa.

Quando era jogador da base, Pablo já atuou como lateral esquerdo. “Eu acho que muda. O Brayan é um lateral de origem, apesar de eu ter jogador bastante tempo de lateral esquerdo. Só que muda é que eu não subo muito, não dou um apoio pelo lado”, explicou Pablo.

Clima anda arretado no Sport

Para o confronto contra o Paysandu pela Copa do Brasil, o Sport (PE), líder absoluto do Pernambucano, vai para o jogo em um clima nada agradável. Não relacionado para o jogo do estadual no final de semana, o meia-armador Marcelinho Paraíba faltou ao treino de domingo para os atletas que não participaram da partida contra o Porto e, por isso, causou questionamentos por parte de alguns atletas para a diretoria.

Querendo resolver o assunto da forma mais rápida possível, o presidente do rubro-negro pernambucano Gustavo Dubeux multou o Marcelinho Paraíba no valor de R$ 1 mil. “Atrasos e faltas existem demais no mundo do futebol e lógico que quando isso acontece os jogadores se manifestam. Mas o que ocorre no Sport fica aqui dentro. Não tem porque externar qualquer tipo de fragilidade”, minimizou o diretor executivo Cícero Souza. “Nas vésperas de uma partida decisiva pela Copa do Brasil temos que usar a inteligência para não atrapalhar o grupo num jogo que vale classificação. Infelizmente aconteceu”, completou.

Para o goleiro Magrão nenhuma perturbação deverá incomodar os atletas rubro-negros para este jogo contra o Papão, porque, segundo ele, cada jogador sabe o que tem que fazer dentro de campo para sair vitorioso. “A equipe do Paysandu está na vantagem. A nossa equipe vai ter que reverter isso”, alertou. (Diário do Pará)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias