Connect with us

Pará

Pacientes vindos do Amazonas para tratar a Covid-19 no Pará começam a ter alta médica

Publicado

em

Dos 26 pacientes que vieram do Amazonas para o Hospital de Campanha do Hangar – para tratamento da Covid-19 -, oito já se recuperaram e viajaram de volta ao estado de origem nesta quinta-feira (28). Eles começaram a chegar em Belém no dia 18 de janeiro, transferidos a pedido daquele governo por conta da superlotação e falta de oxigênio na rede hospitalar amazonense. Outros 17 seguem internados em tratamento e um faleceu. 

“É um momento muito importante e feliz para nós da Sespa, do Governo do Estado como um todo, por termos conseguido disponibilizar esses 30 leitos para os pacientes do Amazonas. Recebemos alguns em estado grave, e hoje estamos felizes em dar alta a esses oito pacientes que inclusive já estão retornando para suas casas e o seu convívio social. Foi com grande satisfação que abrimos essas vagas para o estado do Amazonas e continuaremos nessa luta, já que os leitos continuam a disposição dos nossos vizinhos. Continuamos seguindo firmes com todas as medidas necessárias para o combate a Covid-19 no Pará”, destacou o secretário de Saúde Pública do Pará, Rômulo Rodovalho.

A diretora técnica do Hospital, a médica Bárbara Freire, explica que os pacientes, assim que desembarcaram na capital, foram deslocados de ambulância, estabilizados e admitidos. “Além da suplementação de oxigênio, garantimos também o apoio de fisioterapeutas, psicólogos, e fora o acompanhamento médico, demos todo um espaço para que eles conversassem com a família, até que pudessem voltar para casa recuperados”, detalhou.

Carlos José de Oliveira, 43, é um dos que voltou para Manaus (AM) nesta quinta. “Foi um atendimento muito bom, fui cuidado da melhor maneira possível por ótimos profissionais, com toda a atenção”, relatou.

Gilmar Fabrício da Silva Dias, 43, também retornou para a capital amazonense. “Cheguei bem debilitado, mas a equipe médica me tratou super bem. Só gratidão e todo carinho pelo que fizeram para que eu me recuperasse para voltar à minha família”, reconheceu o agora ex-paciente.

Edna da Silva Costa Lobato, 44, lembra dos dias de angústia e de distância dos familiares. “Desde o início do processo de cura eu fui muito bem recebida, desde o pessoal dos serviços gerais até o corpo administrativo. Agradeço pela nova oportunidade de vida que tive, por todos terem sido tão gentis. Cheguei muito abalada, tive apoio de médicos, enfermeiros, técnicos. Todo meu agradecimento ao Governo do Pará, que abriu as portas para cuidar da gente”, declarou.

Apoio – O Pará oferece 20 leitos clínicos e dez de terapia intensiva no Hospital de Campanha, e outros dez de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal na Santa Casa do Pará. Havendo necessidade, o Governo do Estado pode avaliar a possibilidade de ampliar essa oferta. No dia 14 de janeiro, em redes sociais, o governador Helder Barbalho anunciou ter feito contato com o governador do Amazonas, Wilson Lima, para oferecer ajuda diante do colapso no sistema de saúde devido ao crescimento de casos da Covid-19. (Carol Menezes / Foto: Ricardo Amanajás)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

TUCURUÍ: Independente vence Tapajós por 1 a 0

Publicado

em

A partida entre Independente e Tapajós foi marcada por oportunidades de ambas equipes de marcarem gols, mas apesar das chances, somente Danrlei soube aproveitar, marcando o único gol do confronto. Tanto o Boto, quanto o Galo, não conseguiram ser felizes na finalização.

No grupo C o Águia de Marabá e o Independente venceram na primeira rodada e conquistaram três pontos, ficando nas primeiras colocações da tabela. O Castanhal empatou em 1 a 1 com o Paysandu e está na terceira colocação. Já no grupo B, Tapajós, Carajás e Tuna perderam e não conquistaram nenhum ponto ainda. O Clube do Remo joga na segunda

Na segunda rodada o Independente enfrenta a Tuna Luso no Estádio Souza em Belém. A partida será no sábado (6) às 9h30. Já o Tapajós “recebe” o Águia de Marabá no domingo, dia 7 de março às 16h.

Continue lendo

Pará

Parazão 2021 começa neste domingo e terá quatro times de Carajás

Publicado

em

O Campeonato Paraense 2021 começa neste domingo, 28. Ao todo, 12 equipes vão brigar pelo título da 109ª edição do estadual. A região de Carajás, contará com quatro times na disputa: Águia (Marabá), Independente (Tucuruí), Gavião Kyikatejê (Bom Jesus do Tocantins) e Itupiranga (Itupiranga – mandará jogos em Jacundá).

Além de Águia, Independente, Gavião Kyikatejê  e Itupiranga, completam a lista Paysandu, Remo, Tuna luso, Bragantino, Carajás, Castanhal, Paragominas e Tapajós são os participantes.

Diferente de 2020, o formato deste ano tem três grupos, com as equipes de uma chave enfrentando as das outras duas em turno único. Os dois melhores de cada grupo avançam para as quartas de final, juntamente com os dois melhores terceiros colocados. Os confrontos das quartas de final, semifinais, disputa de terceiro colocado e a final serão de ida e volta.

As duas piores equipes na classificação geral serão rebaixadas para a segunda divisão estadual de 2021. Campeão, vice e terceiro colocados garantem vagas na Copa do Brasil 2022. As duas equipes de melhor campanha ganham vagas na Série D de 2022 – exceto Remo e Paysandu, que já representam o Pará nas Séries B e C, respectivamente.

Para a Copa Verde, a CBF define três critérios de classificação: campeões estaduais, seis melhores colocados no Ranking Nacional de Clubes (RNC) e, por último, seis em vagas destinadas às Federações melhores posicionadas no Ranking Nacional de Federações (RNF). Nesses critérios, o Paysandu e o Remo praticamente possuem vagas garantidas na competição, atualmente.

Veja como estão os times de Carajás:

Águia

O Azulão Marabaense tentará mais uma vez retornar ao cenário nacional. Em 2020, a equipe terminou na sexta colocação do estadual, brigando diretamente por uma vaga na Série D. O objetivo deste ano é ir além e ficar entre os melhores da competição.

Técnico: sempre ele, João Galvão. O treinador segue para a oitava temporada à frente da equipe. Esse tempo até poderia ser maior. Ele chegou ao comando do time em 2007, mas acabou saindo em 2014 para a chegada de Daryo Pereira, sucedido por Everton Goiano. Porém, meses depois, Galvão retornou ao cargo que ocupa até hoje.

Destaque: o lateral-esquerdo Tiago Felix retorna ao time após passagem pelo Independente-PA na Série D. Contudo, o jogador pouco atuou na competição nacional por causa de uma lesão. Ele é um dos principais nomes do Águia neste Parazão.

Principal contratação: o volante Fernandes. O jogador, de 35 anos, passou pelo Remo em 2018, atuando em 18 partidas. Na temporada seguinte foi para o Ferroviário e em 2020 esteve no Perilima disputando o Campeonato Paraibano.

Elenco: o goleiro Gustavo Henrique, reserva em 2020, deve ser o titular agora. A equipe conta ainda com o meia Balão Marabá e o atacante Danilo Galvão, além de peças que estiveram no time no Parazão passado.

Gavião Kyikatejê

De volta à elite após seis anos, o Gavião terá dificuldades este ano. Com a saída de alguns dos principais jogadores da campanha de acesso, como o meia Thárcio e o atacante Aleílson, o time indígena reformulou parte do elenco e tem o objetivo principal de permanecer na primeira divisão.

Técnico: Zeca Gavião, ex-presidente do clube e um dos líderes da comunidade Kyikatejê, segue à frente do time para a disputa do Parazão. Coincidentemente, ele é pai do presidente do clube, Jakure.

Destaque: goleiro Wrias vem tendo destaque embaixo da meta do Gavião há alguns anos. Na disputa da Segundinha em 2020, salvou a equipe em várias oportunidades. Na final contra a Tuna, também teve boa atuação, evitando uma goleada.

Principal contratação: a diretoria contratou o experiente atacante Moisés, que já foi conhecido como “Neymar Paraense”. Revelado pelo Paysandu, o jogador tem passagens por grandes clubes do futebol brasileiro como Santos e Náutico. Esteve em 2020 no Pinheirense.

Elenco: além de Moisés, o Gavião contratou o meia Rafinha, que se destacou no Bragantino em 2019. A base foi mantida para a disputa do Parazão, incluindo o jovem lateral-direito Soiti, que é povo indígena.

Independente

O Galo Elétrico terminou o último Parazão na oitava colocação e, com isso, de fora das competições nacionais desta temporada. Para voltar a ter calendário cheio, o clube manteve uma base da equipe que disputou a Série D no ano passado e vinha jogando a Copa Verde.

Técnico: Sinomar Naves retorna ao clube. Os mais nostálgicos vão lembrar que o técnico levou o time de Tucuruí ao título estadual em 2011. Agora ele busca surpreender mais vez com Independente.

Destaque: o atacante Danrlei era apenas um reserva do time em 2020, mas acabou ganhando a titularidade durante a Série D. Ele terminou a temporada passada como artilheiro da equipe com oito gols em 19 partidas.

Principal contratação: a diretoria do Galo Elétrico acertou com o experiente volante Dudu, de 34 anos. Ele retorna ao time após ter saído para disputar a segunda divisão do Campeonato Catarinense pelo Hercílio Luz. No Pará, o jogador tem passagens por equipes como Remo, Tuna Luso, São Raimundo, Paragominas, Vênus, Cametá e Ananindeua.

Elenco: o clube manteve peças importantes como o zagueiro Ezequias, Matheus Tucuruí e os atacantes Ray Gol e Joãozinho. Entre as novidades estão o goleiro Gerson, o lateral-direito Rafael Vioto, o volante Jeferson Jari e o meia Raílson.

Itupiranga

Em seu segundo ano na primeira divisão, o Crocodilo agora terá como sede o município de Jacundá. A equipe busca superar a campanha de 2020, quando terminou na oitava colocação. Objetivo é chegar, pelo menos, na segunda fase.

Técnico: o ex-jogador Wando será novamente o comandante do Itupiranga. Ele chegou a sair do clube para comandar o São Raimundo-PA na Segundinha, mas, sem o acesso, retornou ao time.

Destaque: o zagueiro Charles, de 38 anos, está de volta ao Crocodilo. Ele esteve em 2020 no estadual e saiu para atuar pelo ASA, São Paulo-AP e São Raimundo-PA. Em sua carreira, tem passagens por clubes como Tuna, Águia de Marabá e Independente-PA.

Principal contratação: com 37 anos, Labilá chega ao Itupiranga para ser a segurança no gol e quem sabe balançar as redes cobrando pênalti. Com passagens marcantes por São Raimundo-PA e São Francisco-PA, no Itupiranga terá a concorrência de Dida Tucuruí, outro experiente goleiro.

Elenco: a diretoria contratou alguns jogadores pontuais para fechar o elenco que tem boa base da temporada passada. O lateral-esquerdo Hércules, os volantes Taison e Hatos e os meias Tairon e Kaique são alguns que retornam. Entre as novidades está o meia Araújo, cria da base do Paysandu.

(Com informações do GE)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Convênio vai facilitar estágio para alunos de cursos técnico e superior

Publicado

em

Para contribuir com a formação profissional de alunos de cursos técnico e superior no município, a Prefeitura de Parauapebas firma convênio com instituições de ensino para disponibilizar estágio supervisionado nas repartições públicas municipais. Atualmente sete instituições são conveniadas, contemplando 1.279 estagiários, principalmente na área de saúde com os cursos de enfermagem, nutrição e psicologia.

Na quinta-feira, 26, representantes de uma faculdade conveniada com a prefeitura participaram de reunião para alinhamento do plano de estágio com o governo municipal. Além do secretário da Semad, participaram da reunião a titular da Coordenadoria de Treinamento e Recursos Humanos (CTRH), Elveni Dalferth, e a coordenadora de treinamento CTRH/Semad, Francisca Braga.

O convênio é firmado com base na Lei Federal Lei 11.788/200, que estabelece no artigo 1º que “estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam freqüentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos”. 

De acordo com o convênio firmado, os estágios não são remunerados e a prefeitura não tem responsabilização sobre nenhum tipo de custo envolvendo os estagiários. As instituições são responsáveis por custear apólice do seguro de vida de cada aluno, uma obrigatoriedade de acordo com a legislação.

Como firmar convênio com a prefeitura?

As instituições de ensino devem procurar as secretarias que têm cargos equiparados com os cursos oferecidos e verificar se podem absorver esses estagiários, em seguida é necessário providenciar a documentação exigida para o convênio. A CTRH fica responsável por monitorar o processo de convênio e acompanhar o encaminhamento dos estagiários, assim como o cumprimento de suas respectivas cargas horárias. (Karine Gomes / Foto: Renato Resende)

Continue lendo
publicidade Bronze