- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 05 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Agroindústria de derivados de leite é inaugurada em Conceição do Araguaia

Mais Lidas

“Nós temos terra e água. Com garra vamos melhorar de vida. Só não pode faltar coragem”. A declaração de Neurivan Bezerra da Silva, proprietário da primeira agroindústria familiar rural de derivados de leite do norte do país, marcou a inauguração do empreendimento nesta terça-feira (26), no assentamento Canarana, a 45 km da sede municipal de Conceição do Araguaia, no sul do Pará. A iniciativa tem a parceria do governo do Estado, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PA).

A agroindústria tem capacidade para produzir de 5 a 6 mil litros/dia. Mas, como ainda não há matéria prima disponível na região, a produção chega nesta época de estiagem a 700 litros de leite/dia. O empreendimento garante o sustento de outras 35 famílias de produtores, que residem nos assentamentos vizinhos e vendem o leite para Neurivan.

A Unidade Agroindustrial de Agricultura Familiar de Derivados de Leite “Queijos Maely” resulta de uma união de esforços. O proprietário recebeu, em 2007, a visita do tecnólogo em Alimentos da Emater, Flávio Pedro Barros, que prestou toda a assistência necessária para ser colocado em prática o beneficiamento do leite. “Hoje, os técnicos da Emater fazem parte da minha família. Nos ensinaram a produzir, a conseguir crédito, montaram conosco a estrutura  da agroindústria, além de nos ensinar a administrar nosso empreendimento”, ressaltou o produtor rural.

Junto com a esposa, Maria da Conceição, Neurivan cuida de todo o processo de fabricação do queijo, tipo muçarela. “Tratamos nosso fornecedores como nosso patrão. Sem o leite produzido por eles ficamos sem matéria prima para produzir nossos queijos”, disse ela.

Projeto

O tecnólogo Flávio Pedro Barros disse que durante as visitas técnicas nos assentamentos – atividade rotineira dos extensionistas – encontrou Neurivan, que pretendia beneficiar a produção leiteira. “Percebi muita boa vontade, mas nenhuma infraestrutura para seguir em frente”, contou. O projeto foi elaborado, apresentado para as instituições financeiras e aprovado.

A construção da agroindústria é um investimento de cerca de R$ 150 mil. Com a intermediação da Emater, o agricultor recebeu R$ 50 mil pela linha AF (Agricultura Familiar) do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), e R$ 40 mil em crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O restante das despesas foi complementado por verbas próprias da família.

A agroindústria “Queijos Maely”, produz, por dia, 120 kg de queijo muçarela e 1,2 mil litros de leite, por meio da compra da produção leiteira de outras 35 famílias residentes em assentamentos. Os produtos são comercializados no mercado local (principalmente em supermercados e padarias), e a partir da agroindústria serão os primeiros da agricultura familiar do município a portar o selo do Sistema de Inspeção Municipal (SIM), instituído no ano passado. “Receberemos a documentação oficial do SIM em poucos dias, mas já pensamos em uma certificação estadual de qualidade, para que possamos vender nossa produção para outros municípios”, disse Neurivan Bezerra.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias