Connect with us

Pará

PARÁ: Ana Júlia anuncia benefícios para as polícias Militar e Civil

Publicado

em

A governadora Ana Júlia Carepa anunciou uma série de benefícios para a corporação militar e servidores da Polícia Civil durante a solenidade cívico-militar alusiva ao Dia de Tiradentes, patrono das Polícias Militares e Civis do Brasil, que ocorreu na manhã desta quarta-feira, 21, no espaço Aldeia Amazônia Davi Miguel, em Belém. A governadora estava acompanhada do secretário de Segurança Pública, Geraldo Araújo, e do comandante geral da PM, coronel Augusto Leitão.

Dentre as medidas está o envio de Projeto de Lei para a Assembleia Legislativa (Alepa) para instituir uma gratificação para policiais civis e militares pela apreensão de armas. Para Ana Júlia, com esse estímulo, o governo tira das ruas uma das maiores fontes de violência, além de melhorar a remuneração do policial a partir da sua produtividade. O governo também está estudando mecanismos legais para transformar o quinquênio em anuênio, permitindo assim que a cada ano o policial militar possa incorporar 1% no seu soldo, sem necessidade de esperar os cinco anos.

A governadora garantiu ainda destacar mais recursos para a realização de jornadas extraordinárias no interior e assegurou a realização de cursos de graduação para formação de sargentos, que vai beneficiar mil cabos. “Até o final do ano, essas promoções serão realizadas”.

Moradia

O sonho da casa própria vai se tornar realidade para dois mil e quinhentos policiais militares e 500 soldados bombeiro militar, que serão beneficiados com o programa Minha Casa, Minha Vida. “Estamos atendendo a uma demanda histórica dessa categoria, conferindo às suas famílias a dignidade da moradia”. Ana Júlia garantiu ainda que enviará Projeto de Lei para a Alepa para reestruturar a carreira do Corpo de Bombeiro Militar e, dessa forma, assegurar a promoção para esta corporação.

Previdência – Ela determinou ainda ao Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Pará (Igeprev) que coordene um grupo de trabalho, com a participação das instituições militares, para estudar medidas legais que permitam a criação de um Fundo Previdenciário Militar, em regime de capitalização, e, dessa forma, desvincule a aposentadoria por reforma ou reserva da norma previdenciária geral do Estado. Ou seja, a governadora quer que se estude a criação de uma norma própria que dê mais segurança jurídica e assegure direitos aos militares, conforme vontade das instituições.

Avanços

Para a Polícia Civil, a governadora concedeu um abono em R$ 500,00 para a função de delegado, R$ 200,00 para os demais policiais civis e R$ 100,00 para os auxiliares administrativos. “Estamos reestruturando a carreira da Polícia Civil”.

Em resposta ao anseio da corporação civil, a governadora garantiu a retirada gradual de presos das delegacias, à medida em que as obras que visam o aumento de vagas no sistema penitenciário sejam concluídas. “De imediato, serão abertas 350 vagas para presos na Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) ainda nesse semestre, sendo que contrataremos imediatamente ou remanejaremos agentes prisionais para a guarda desses presos nas seccionais urbanas”, enfatizou.

Balanço

A governadora aproveitou a ocasião para fazer um balanço dos investimentos em segurança feitos pelo seu governo. No biênio 2008/2009, foram aplicados mais de R$ 2 bilhões em políticas de segurança, como no aumento do efetivo, que pulou de 12.144 policiais quando assumiu o mandato para 14.427 em 2009, devendo chegar a 15 mil no final de 2010, 25% a mais que no início de seu mandato.

Foram adquiridos 1.236 veículos novos para o reaparelhamento da segurança, 1.121 coletes balísticos, 625 capacetes para policiamento ostensivo, 2.636 novos armamentos e 200 unidades de pistola teaser, armamento não letal que, pela primeira vez, é utilizado no Pará.

A governadora relacionou ainda a reforma de dez unidades da PM, com investimentos superiores a R$ 2 milhões, e destinou mais R$ 11 milhões para treinamento, a fim de tornar as operações mais eficientes, além de valorizar os policiais. Foram construídas ainda seis novas unidades para a Polícia Civil; outras sete receberam reformas ou adaptações; e outras sete estão com obras em andamento.

O governo Ana Júlia nomeou 79 delegados, 29 investigadores, 19 escrivães e 15 papiloscopistas, oriundos de concurso público da gestão anterior. Em 2009 foi realizado novo concurso público para o ingresso de mais 350 policiais civis, que se encontra em andamento, com 50 vagas para delegados de polícia, 150 escrivães e 150 investigadores.

Para a governadora, esses investimentos refletem em melhores condições de trabalho e o resultado pode ser visto. Em 2009, a Polícia Civil promoveu 8.524 prisões; desse total, 2.719 eram traficantes. Apreendeu 2.082 armas de fogo, 540,836 quilos e 200 mil pés de maconha, e 655,651 quilos de cocaína.

A Polícia Civil planejou e executou 143 operações policiais integradas com outros órgãos do sistema, que resultaram na prisão de 594 pessoas, e no resgate de 93 adolescentes em situação de risco (Operação Cadê seu filho). “Alguns poderiam achar que isso já é muito, mas nós não estamos satisfeitos. Queremos cada vez mais valorizar os profissionais dessa área tão complexa e cujos trabalhos nem sempre são reconhecidos apropriadamente”.

Condecorações

A governadora Ana Júlia, na condição de Comandante em Chefe da Polícia Militar, em reconhecimento público, condecorou com a medalha Mérito Tiradentes personalidades civis e militares que contribuem para o fortalecimento da instituição militar. Ela anunciou ainda as promoções dos integrantes da tropa na carreira militar.

Ao final da solenidade, a governadora e os convidados assistiram ao desfile dos diversos grupamentos da PM. Dentre os convidados o vice-governador Odair Corrêa; o chefe da Casa Militar, coronel Pantoja Júnior; a presidente do Tribunal de Contas, Lurdes Lima; desembargador Leonam Gondin e Ronaldo Vale (TJE); os secretários Edilson Rodrigues (Governo), Vando Vidal (Fazenda), Marcílio Monteiro (Projetos Estratégicos), Wilson Figueiredo (Sead), Raimundo Benassuly (delegado Geral da Polícia Civil), Justiniano Neto (superintendente da Susipe), Valter Franco (presidente do Igeprev), dentre outros. (Ivonete Motta – Secom, com colaboração do Major Jorge Vasconcelos – Ascom – PM)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Marginais roubam ótica dentro do Partage Shopping

Publicado

em

Dois bandidos aproveitaram o final de expediente da loja Ótica Maia, dentro do Partage Shopping, na cidade de Parauapebas, na região de Carajás, no estado do Pará, para realizar um roubo.

O registro feito por câmeras de segurança mostra a ação dos assaltantes.

Após o assalto os bandidos saíram em retirada sem serem notados pela Segurança do shopping. A Polícia Militar foi acionada mas os criminosos não foram localizados.

Continue lendo

Pará

Embarcações de passageiros estão proibidas a partir desta quinta entre Pará e Amazonas

Publicado

em

Está proibida, a partir desta quinta-feira (14), a circulação de embarcações de passageiros entre os estados do Pará e do Amazonas, como medida de prevenção à proliferação da Covid-19. A determinação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), por meio do Decreto Estadual 1.273/2020.

A partir deste momento, os órgãos e as entidades enquadrados no Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Pará, assim como àqueles responsáveis pela fiscalização dos serviços públicos de transporte, ficam autorizados a aplicar sanções para os casos de descumprimento, que podem ser: advertência; multa de R$ 10 mil por embarcação, no caso de reincidência; até a apreensão da embarcação. 

A aplicação das penalidades previstas pelo decreto não exclui que os responsáveis pelas embarcações sofram, também, responsabilizações civis ou criminais.

“Esta é uma medida preventiva, porque estamos vendo que o Amazonas voltou a ter números altos de hospitalização pela doença. Por isto, o Pará decidiu proibir embarcações de passageiros, estando liberadas aquelas que fazem o transporte de cargas. Seguem liberados também os transportes terrestres”, explicou Ricardo Sefer, procurador-geral do Pará.

Em suas redes sociais, na noite de quarta-feira (14), o governador do Pará, Helder Barbalho reforçou que a medida visa garantir que pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, oriundas do Amazonas, entrem em território paraense e acabem aumentando o número de casos da doença no Pará. 

“Isto é uma medida fundamental para evitar o contágio dentro do Estado e, consequentemente, evitar problemas de saúde em face da pandemia. Portanto, nossas fronteiras com o Amazonas estarão fechadas, com fiscalizações da Polícia Militar do Pará e apoio de embarcações e aeronaves, para que possamos fazer cumprir a medida preventiva de restrição e proteger nossa população”, informou o chefe do Poder Executivo.

Continue lendo

Pará

No Pará, homem tem surto psicótico, agride policiais e acaba morto

Publicado

em

Um homem identificado como Luís Carlos Rodrigues, de 44 anos, foi morto a tiros na tarde desta segunda-feira, 11, depois de atacar policiais militares das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), possivelmente durante um surto psicótico. A tragédia aconteceu na rua Tancredo Neves, na comunidade Fé em Deus, no bairro do Tenoné, em Belém, por volta de 17h30. A confusão que resultou na morte do deficiente mental foi registrada em vídeo por diversos moradores da localidade e amplamente divulgada nas redes sociais.

De acordo com vizinhos da vítima, Luís Carlos Rodrigues teria tido um surto por volta das 15h30 e começou a quebrar toda a residência onde morava a pouco tempo com a família, situada na vila da Lourdes. Os parentes dele, assustados, acionaram o Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) e o Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBMP) para tentar conter a fúria do homem, que estava transtornado. Ainda conforme relatos dos moradores do entorno, as equipes de socorristas do Samu e dos bombeiros também foram agredidas por Luís Carlos. O homem, segundo testemunhas, empunhava um barra de ferro pesada e com o objeto teria quebrado a ambulância e a viatura do CBMP. Estilhaços de vidro dos dois veículos se espalharam pela via e as equipes, com medo, acabaram deixando o local rapidamente.

Moradores e comerciantes do entorno, apavorados, se trancaram em suas casas e se esconderam, com receio de também serem atacados por Luís Carlos, que continuava visivelmente alterado.

Ainda numa tentativa de frear a violência de Luís Carlos, foi requisitado o apoio das Rotam, que chegaram ao local por volta de 17h20. O homem, no entanto, ao se ver encurralado por vários policiais armados, não exitou e começou a agredir os agentes de segurança pública, ainda com a barra de ferro. Os policiais revidaram a ação e dispararam munições de borracha contra ele, mas os tiros não o contiveram. Luís Carlos continuou a se insurgir contra os policiais e correu atrás de um deles para tentar espancá-lo. O PM,  que corria de costas, tropeçou e caiu ao chão. Luís Carlos, então, o golpeou pelo menos três vezes na região da cabeça. Para impedir que o policial fosse morto, os agentes de segurança pública efetuaram disparos de arma de fogo contra Luís Carlos, que morreu ainda no local.

O PM ferido, identificado apenas como cabo Vilhena, foi amparado por colegas de farda e por moradores do entorno, ainda no local. Ele foi socorrido por uma guarnição da PM e levado inicialmente para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Icoaraci, distrito de Belém, em estado gravíssimo. Em seguida, foi transferido para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) e até o fechamento desta edição o estado do policial era considerado grave.  

A família de Luís Carlos se manteve perto do cadáver e lamentou a tragédia. O corpo dele foi removido e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) no final da noite.

Continue lendo
publicidade Bronze