Connect with us

Pará

PARÁ: Belém tem uma bomba de gás enterrada

Publicado

em

A tragédia que afetou a cidade carioca de Niterói, onde um deslizamento de Terra no Morro do Bumba matou cerca de 100 pessoas, só não se repete em algumas áreas de Belém graças ao relevo. A afirmação é do geólogo e professor de Mineralogia e Geoquímica da Universidade Federal do Pará (UFPA), Marcondes Lima da Costa. O especialista enumerou três pontos críticos da capital paraense que hoje abrigam casas e conjuntos residenciais, mas que um dia já foram grandes depósitos de entulho e lixo doméstico.

O especialista garante que o interesse pelo assunto foi despertado depois que tantas pessoas foram prejudicadas em várias cidades cariocas. A cena também se repetiu em outros estados do país, entre eles São Paulo e Bahia. “Belém não possui morros. O que mais se aproxima dessa condição fica na avenida perimetral, ao lado do colégio NPI. Ali, o entulho foi apenas coberto por piçarra, o que formou uma ladeira de aproximadamente dez metros. Não deixa de oferecer alguns riscos, já que, para chegar à parte de baixo do terreno, é preciso descer o barranco”, explica Marcondes.

O especialista conta que o deslizamento no morro carioca aconteceria em qualquer lugar do mundo caso se repetissem as circunstâncias geográficas no Rio de Janeiro. “Quando o lixo orgânico se acumula entre a parte sólida de um solo e a parte mais fofa, aquela que foi aterrada, inevitavelmente surge um espaço vazio entre essas duas camadas porque, mesmo coberto, o composto orgânico não deixa de se decompor. Com as chuvas, no entanto, essa situação se agrava e desgraças como a verificada em Niterói tornam-se praticamente inevitáveis”.

Em Belém, duas condições favorecem esse tipo de risco: o alto índice de chuvas e as áreas ocupadas irregularmente. Além do espaço ao lado do NPI, o professor Marcondes aponta a longa extensão da avenida Tucunduba, no bairro da Terra Firme, onde dois conjuntos do programa Minha Casa Minha, do Governo Federal, estão sendo construídos, como outro caso típico de “despreparo”. Uma terceira área, na rua José Pio, próximo ao canal da 14 de abril, na Pedreira, também é classificada pelo especialista como perigosa para moradia. (O Liberal)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Assista o Conexão Rural deste final de semana – Dias 31 e 1ª

Publicado

em

Continue lendo

Pará

PALESTINA: Trânsito deve ser municipalizado

Publicado

em

Os Poderes Executivo e Legislativo palestinense começaram a discutir sobre a municipalização do trânsito.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê a divisão de responsabilidades e uma sólida parceria entre órgãos federais, estaduais e municipais. Para os municípios se integrarem ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT), exercendo plenamente suas competências, precisam criar um órgão municipal executivo de trânsito com estrutura para desenvolver atividades de engenharia de tráfego, fiscalização de trânsito, educação de trânsito e controle e análise de estatística.


Conforme o porte do município poderá ser reestruturada uma secretaria já existente, criando uma divisão ou coordenação de trânsito, um departamento, uma autarquia, de acordo com as necessidades e interesse da municipalidade.

As conversas entre Legislativos e Executivo em Palestina, devem ser afuniladas, para a formalização de um projeto que terá de ser aprovado pelos parlamentares.

Continue lendo

Pará

Estado e prefeituras de Santa Maria das Barreiras e Santana do Araguaia vão recuperar estradas vicinais

Publicado

em

O governo do Estado do Pará e a prefeitura da cidade de Santa Maria das Barreiras assinaram nesta quarta-feira (28), dois convênios para a recuperação de estradas vicinais e para o repasse de combustível ao município. O documento foi assinado pelo governador Helder Barbalho, pelo prefeito Adriano Salomão e outras autoridades que acompanharam a cerimônia oficial, realizada em Casa de Tábuas, distrito de Santa Maria das Barreiras.

“Hoje nós estamos liberando cerca de R$ 3,6 milhões para a prefeitura de Santa Maria das Barreiras usar com combustível e recuperação de estradas. Com isso, vamos escoar a produção e, se Deus quiser, retornaremos aqui para trazer mais asfalto para as ruas de Santa Maria das Barreiras e também para Casa de Tábua”, destacou o governador.

No primeiro convênio está previsto, no total, a recuperação de  mais de 100 Km de vias. O trabalho será realizado em três trechos que ligam comunidades as principais rotas dentro do território barreirense. O objetivo é melhorar a trafegabilidade na região, garantindo assim, mais segurança para quem utiliza as estradas e para o escoamento da produção local.

“Esses grandes convênios pautados na área viária do Estado nos deixam muito felizes pelos benefícios que vão trazer”, destacou o prefeito de Santa Maria das Barreiras, Adriano Salomão.

Para quem precisa andar de moto pelas vicinais, como o estivador Claudionor Pereira da Silva, a ação para melhoria das estradas é importante. “Eu passo por esses lados todos os dias, então digo que esse serviço está melhorando muito a nossa vida. Passar por aqui, com a estrada ruim, é terrível”, destacou.

O segundo convênio assinado entre a prefeitura de Santa Maria das Barreiras e o governo do Estado será para repasse de óleo diesel, que servirá para abastecimento de equipamentos de terraplanagem e para o restabelecimento da trafegabilidade de vicinais.

Ao saber das ações realizadas pelo governo do Estado em parceria com a prefeitura municipal, dona Edinelza da Silva comemorou. “Esse trabalho está ótimo, eu acho muito bom. O serviço tá ficando maravilhoso em comparação com o que era antes”, disse a lavradora.

Durante a programação, o governador Helder Barbalho também assinou um terceiro convênio, desta vez, com a prefeitura de Santana do Araguaia. No documento consta a parceria entre Estado e município para garantir a reconstrução de vias e combustível para execução do serviço.

“Em Santana não será diferente. Nós assinamos um convênio com valor perto de R$ 600 mil para combustível. Assim, o prefeito poderá trabalhar nas estradas vicinais. Além disso, estou esperando a equipe do gestor terminar o projeto do hospital e do terminal. Na hora que terminar, nós vamos lá”, explicou o governador.

“O governador está doando combustível para Santana do Araguaia e nós vamos levar mais estradas ao nosso município”, destacou o prefeito de Santana do Araguaia, Eduardo Da Machado”.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze