- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 01 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Belo Monte fortalece ações públicas para a criação de peixes no Xingu

Mais Lidas

A construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte tem impulsionado programas do governo federal na região do Rio Xingu, para fortalecimento dos setores produtivos, entre eles a pesca e a aquicultura. As iniciativas realizadas pelo Ministério de Pesca e Aquicultura (MPA), durante a Operação Cidadania Xingu, entre agosto e outubro de 2011, demonstram este impulso. Nos mutirões, totalmente patrocinados pela Norte Energia S.A. e realizados nos 11 municípios da área de influência da UHE Belo Monte, o MPA realizou mais de 3.000 atendimentos e buscou promover a estruturação do setor pesqueiro e aquícola local, além de dar oportunidade de renovação e entrega de mais de 1.000 carteiras de pescadores e cadastramento de novos 60 aquicultores. Além disso, o MPA coordenou a Operação Cidadania Xingu de Porto de Moz.

De acordo com dados do ministério, extraídos de levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2006), existem pouco mais de 500 aquicultores cadastrados nos 11 municípios da área próxima ao empreendimento. A grande maioria, 486 inscritos, está em Gurupá. Em cada um dos outros dez municípios, este número não chega a 15. Em Senador José Porfírio (Souzel) e Anapu, não há qualquer criador de peixes cadastrado. “Ainda bastante tímida na região, a cadeia da aquicultura tem enorme potencial, especialmente se gerida de forma integrada à pesca, de maneira a unificar pontos de desembarque, beneficiamento e escoamento”, reforça o representante do Ministério da Pesca durante a Operação Cidadania Xingu e membro do Comitê Gestor do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável Xingu (PDRS-X), Alexandre Kirovsky.

Entre as vantagens da aquicultura está a geração de renda e fornecimento de alimento de qualidade sem desmatamento, possibilitando a proteção e manutenção dos estoques pesqueiros. Estimativas do MPA apontam que, com o uso dos reservatórios criados pela UHE Belo Monte, a produção de peixes em tanques-redes pode render cerca de 92.882 t/ano, que corresponderia a 1/5 do volume correspondente da produção da piscicultura nacional.

Projetos

Atualmente, o MPA desenvolve convênios e ações em conjunto com a Secretaria de Pesca e Aquicultura (SEPAq), universidades e outros entes do Estado do Pará para promover a aquicultura e pesca na região do Xingu. Em Uruará, cidade próxima a Belo Monte, o ministério executa a construção de uma unidade de produção de alevinos. Também há propostas em análise para a implantação de tanques-rede no município de Porto de Moz e a implantação de tanques-rede e construção de tanques escavados em Anapu.

Projetos associados à pesca e aquicultura também fazem parte do Plano Básico Ambiental (PBA), que reúne ações da Norte Energia S.A. para o desenvolvimento socioambiental da região. No âmbito do PBA, existem seis projetos que visam o ordenamento pesqueiro, a criação de peixes para consumo e ornamentais, o conhecimento da produtividade pesqueira, o desenvolvimento de tecnologia específica de aquicultura de peixes ornamentais, com a promoção de ações técnicas e comerciais envolvendo toda a cadeia produtiva. Tais projetos serão desenvolvidos em perfeita integração com os programas relacionados à população atingida pelo empreendimento, mas terão reflexo em toda a região de inserção do empreendimento.

A presença da UHE Belo Monte poderá, assim, potencializar estas iniciativas e promover o crescimento social e econômico, de forma sustentável, da região, propiciando o desenvolvimento das comunidades tradicionais de pescadores.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias