Connect with us

Pará

PARÁ: Breves sofre com falta de abastecimento de água

Publicado

em

De três em três dias, no Jardim Tropical, Celinalda pega um carro de mão e vai até o rio colher água para beber. No Riacho Doce, Elcy usa a água da chuva para lavar roupa. Em Santa Cruz, Edmilson põe Q-Boa na água do rio para consumo. Três situações que exemplificam a precariedade da distribuição de água no município de Breves, no Arquipélago do Marajó, cujo abastecimento se resume a duas horas pela manhã e duas horas no final da tarde apenas nos bairros mais centrais. A ausência de água no município já fez com que o prefeito José Antonio Azevedo Leão decretasse situação de emergência por 90 dias em Breves e impulsiona um advogado a entrar com uma ação civil contra a Cosanpa e o Estado.

Água-Tucupi

Praticamente não há água em Breves. E a que existe não é nem remotamente de boa qualidade. “Aqui a gente chama a água de ‘tucupi’ por causa da cor amarela”, diz o autônomo Edilson Fonseca Tenório. Uma garrafa com uma amostra dessa água amarelada é estocada na sala do atual gerente da Cosanpa em Breves, Ivomar Vaz, 46. É a prova que ele quer ter da mudança de qualidade do líquido no município a partir do momento em que assumiu o cargo. Vaz está há cerca de um mês na função. “Viemos para cá com o compromisso de mudar o sistema operacional e a qualidade da água. Saímos da estaca zero e chegamos a uma melhora em torno de uns 25%”, diz ele, apresentando uma garrafa com água colhida recentemente. Mais limpa. “Temos uma água de qualidade? Ainda não. Mas vamos mudar esse quadro”, garante.

Em Breves, a disponibilidade de água nas torneiras tem hora certa. Começa às seis da manhã e encerra às 8h30. Depois vem no final da tarde, geralmente às cinco e meia e vai até 20h30, quando os motores são desligados. Nem todos os bairros têm esse ‘privilégio’, no entanto. Bairros como Castanheira, Jardim Tropical, Santa Cruz, Riacho Doce, Cidade Nova II e Bandeirantes, por exemplo, não sabem o que é receber água potável – ou quase – nas torneiras.

Doenças

Cada morador faz o que pode para não ficar sem água. No bairro Jardim Tropical, Celinalda Glória de Lima, 27 anos, enche duas caixas d’água com água que vai buscar direto do rio, de três em três dias. “Eu tiro um dia para fazer isso. Quando chego em casa, ponho remédio. Também aparo água da chuva para beber”, diz ela. Nada disso impede que os três filhos pequenos sofram as consequências dessa insalubridade líquida. “Eles vivem com coceira, diarreia. Tem tempo que estão todos atacados. Vomitam muito. Eu acho que é a água”.

Celinalda não está longe da verdade. Em 2009, um relatório feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) assinado pela coordenadora de departamento Vânia Cavalcante, diz que o aparecimento de epidemias e de doenças emergentes na região tem forte contribuição da má qualidade da água. São as diarreias agudas, a febre tifoide, a leptospirose e as hepatites virais. Em 2005, houve um surto de febre tifoide naquela região do Marajó. Em 2008, o hospital municipal de Breves registrou 3.050 casos de doenças ligadas direta ou indiretamente às péssimas condições da água ingerida pelos moradores do município.

Essa situação fez com que no dia 15 de abril de 2010, o prefeito José Antonio Azevedo Leão decretasse situação de emergência pelo prazo de 90 dias. A intenção é resolver o problema. “O maior problema é a qualidade da água. Vamos implantar filtros novos. Sabemos que o teor de ferro da água aqui em Breves é muito alto. Há um projeto em andamento que vai minimizar esses problemas”, afirma o secretário de Obras de Breves, Bruno Rendeiro.

Projeto foi abandonado por empresa

Havia um projeto anterior para a recuperação do sistema de tratamento de água, de cerca de R$ 2 milhões. “Foi um projeto meio frustrante porque a empresa ganhadora da licitação não deu conta da obra e desistiu”, diz o secretário Bruno Rendeiro. A empresa era a L.F. Construções Ltda. “Ela só colocou a placa”, diz o advogado Hidalgo Apoena.

Apoena está prestes a entrar com uma ação ordinária na Justiça paraense contra a Cosanpa e o governo do Estado. O advogado já tem 89 processos prontos para serem encaminhados. Cada um corresponde a um morador de Breves. A ação inclui indenização por danos morais e a “obrigação de fazer” por parte do governo do Estado. “Os moradores sofrem transtornos todos os dias por não terem água. Têm que pedir aos vizinhos, têm de acordar de madrugada para ir buscar água andando 300 a 400 metros com baldes e caixas. A ação vai obrigar o Estado a normalizar o serviço sob pena de multa diária”, afirma Apoena.

“Realmente a dificuldade existe, mas o que ocorre é que a última obra de porte em Breves foi feita em 1985”, reconhece o presidente da Cosanpa, Eduardo Ribeiro. Segundo ele, já existe a previsão de investimento para a melhoria da água no município. “Serão R$ 120 mil em melhoria do tratamento de água, mais R$ 140 mil para a perfuração de poços e R$ 120 mil em reformas dos dois filtros existentes hoje”, diz.

Calhas nos telhados para colher preciosa água da chuva

No bairro Jardim Tropical, a família de Iranildo Cardoso da Silva, 42 anos, e Almira Gonçalves, precisou instalar uma calha no telhado para aproveitar a água da chuva. De um cano ela escorre para os baldes e latas. É essa água que a família irá beber.

No Riacho Doce, os oito filhos de Elcy Lima, 39 anos, também bebem água da chuva. Com a mesma água, ela lava a roupa da família. “No verão a gente tem de pegar no rio porque fica mais difícil aparar a água”, diz ela.

No bairro Santa Cruz, as famílias moram tendo ao fundo o igarapé de mesmo nome. Mas é no rio que fica bem mais distante que as famílias vão buscar a água para consumo. Edmilson Feitosa dos Santos vai de barquinho a motor, na companhia dos filhos. Volta com um tonel cheio de água amarelada. Em casa, adiciona hipoclorito e água sanitária Q-boa. E todos bebem. De vez em quando uma das crianças vai parar no posto médico com diarreia. No final do mês, religiosamente, recebe a conta de água da Cosanpa.

São R$ 14,00 mensais.

“Ninguém tem água aqui. O que nós estamos pedindo ao governo não é cesta básica, nem roupa. O que a gente pede é água para beber e remédio no posto de saúde. Só isso”, diz o carpinteiro antes de atravessar o igarapé e levar para casa o tonel de água, do rio. (Diário do Pará)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Estado e prefeituras de Santa Maria das Barreiras e Santana do Araguaia vão recuperar estradas vicinais

Publicado

em

O governo do Estado do Pará e a prefeitura da cidade de Santa Maria das Barreiras assinaram nesta quarta-feira (28), dois convênios para a recuperação de estradas vicinais e para o repasse de combustível ao município. O documento foi assinado pelo governador Helder Barbalho, pelo prefeito Adriano Salomão e outras autoridades que acompanharam a cerimônia oficial, realizada em Casa de Tábuas, distrito de Santa Maria das Barreiras.

“Hoje nós estamos liberando cerca de R$ 3,6 milhões para a prefeitura de Santa Maria das Barreiras usar com combustível e recuperação de estradas. Com isso, vamos escoar a produção e, se Deus quiser, retornaremos aqui para trazer mais asfalto para as ruas de Santa Maria das Barreiras e também para Casa de Tábua”, destacou o governador.

No primeiro convênio está previsto, no total, a recuperação de  mais de 100 Km de vias. O trabalho será realizado em três trechos que ligam comunidades as principais rotas dentro do território barreirense. O objetivo é melhorar a trafegabilidade na região, garantindo assim, mais segurança para quem utiliza as estradas e para o escoamento da produção local.

“Esses grandes convênios pautados na área viária do Estado nos deixam muito felizes pelos benefícios que vão trazer”, destacou o prefeito de Santa Maria das Barreiras, Adriano Salomão.

Para quem precisa andar de moto pelas vicinais, como o estivador Claudionor Pereira da Silva, a ação para melhoria das estradas é importante. “Eu passo por esses lados todos os dias, então digo que esse serviço está melhorando muito a nossa vida. Passar por aqui, com a estrada ruim, é terrível”, destacou.

O segundo convênio assinado entre a prefeitura de Santa Maria das Barreiras e o governo do Estado será para repasse de óleo diesel, que servirá para abastecimento de equipamentos de terraplanagem e para o restabelecimento da trafegabilidade de vicinais.

Ao saber das ações realizadas pelo governo do Estado em parceria com a prefeitura municipal, dona Edinelza da Silva comemorou. “Esse trabalho está ótimo, eu acho muito bom. O serviço tá ficando maravilhoso em comparação com o que era antes”, disse a lavradora.

Durante a programação, o governador Helder Barbalho também assinou um terceiro convênio, desta vez, com a prefeitura de Santana do Araguaia. No documento consta a parceria entre Estado e município para garantir a reconstrução de vias e combustível para execução do serviço.

“Em Santana não será diferente. Nós assinamos um convênio com valor perto de R$ 600 mil para combustível. Assim, o prefeito poderá trabalhar nas estradas vicinais. Além disso, estou esperando a equipe do gestor terminar o projeto do hospital e do terminal. Na hora que terminar, nós vamos lá”, explicou o governador.

“O governador está doando combustível para Santana do Araguaia e nós vamos levar mais estradas ao nosso município”, destacou o prefeito de Santana do Araguaia, Eduardo Da Machado”.

Continue lendo

Pará

REDENÇÃO: Governo inicia a construção de 25 novas pontes

Publicado

em

Em uma iniciativa parceira do Governo do Estado com o município de Redenção, o governador Helder Barbalho autorizou, nesta quarta-feira (28), o início da construção de 25 novas pontes no município. Ao todo serão 16 nas áreas urbanas e outras nove na zona rural.

O chefe do Poder Executivo Estadual esteve no canteiro de obras de uma das pontes – localizado na avenida Marechal Rondon -, onde a estrutura de madeira existente será completamente substituída por outra erguida em cimento. O início das obras é motivo de celebração dos moradores, que de acordo com relatos, não aguentavam mais conviver com lama, poeira e alagamento. 

“Vai ajudar bastante. Primeiro, porque a realidade de hoje é de sofrimento. Esse pedaço, quando chove, fica bem lambuzado porque essa é uma rua bem movimentada. Além dos buracos perto da ponte, o local é perigoso, principalmente pela noite”, relatou o morador Cauã Silva. 

“Nós estamos executando, neste momento, mais de R$ 1 bilhão em obras de estradas, sejam manutenções, asfaltamento de rodovias e/ou conservação. Além da instalação de pontes de concreto que estão substituindo as antigas de madeira. Isso demonstra a preocupação em melhorar a nossa malha viária, garantindo trafegabilidade com segurança para as pessoas e também para o escoamento da nossa produção”, disse o governador quando firmou convênio com o município. 

Serão investidos R$ 5,8 milhões na construção de 16 pontes em concreto armado, nas vias públicas da zona urbana de Redenção. São elas: Av. João Gomes do Val; Av. José Carrion; Rua Curitiba; Av. Brasil; Av. Guilhermina C. Vaz; Av. Marechal Rondon; Av. Castelo Branco; Av. Rosa Lima de Almeida; Av. Bahia e Av. Presidente Humberto Castelo Branco. Para a área rural, serão destinados R$ 7,7 milhões para a construção de nove pontes em concreto armado, na estrada vicinal Sariema, no trecho entre a rodovia PA-287 e o Rio Arraia, divisa com o município de Santa Maria das Barreiras, na altura dos Km 2,2; 2,4; 6,9; 9,4; 23,1; 33,5; 36,2; 41,1 e 46,1.

Continue lendo

Pará

REDENÇÃO: Novo tomógrafo entra em funcionamento no Hospital Regional Público do Araguaia

Publicado

em

Nesta quarta-feira (28), o governador Helder Barbalho entregou, oficialmente, o novo aparelho de tomografia computadorizada ao Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), em Redenção. O novo equipamento tem capacidade para realizar até 1,2 mil exames por mês e auxiliará no atendimento dos moradores da região sudeste do Estado. 

O chefe do Poder Executivo Estadual destacou que a aquisição do novo equipamento faz parte da política de Estado para modernização dos equipamentos públicos em saúde. O investimento do Estado foi da ordem de R$ 1 milhão. 

O governador informou, ainda, que o Estado vai avançar na ampliação do HRPA. “Vamos continuar com o projeto de ampliação do Hospital Regional. Avançando também com estruturas fixas de atendimento a pacientes com Covid-19. A intenção é que possamos viabilizar com que o hospital de Redenção possa ampliar para diversas especialidades”, relatou.

“Em Conceição do Araguaia, estamos fazendo parceria com a UPA do município para que ela se torne um centro fixo de atendimento para a Covid-19. Com isso, as especialidades do dia a dia serão atendidas na no Regional”, complementou.

O aparelho da marca Philips, modelo Access TC, auxilia na redução da exposição dos pacientes à radiação por meio da tecnologia “MAR”, que melhora a leitura da tomografia mesmo quando o paciente possui implantes metálicos. O investimento do Governo do Estado visa melhorar o diagnóstico com resultados mais precisos.

A diretora do HRPA, Dagnar Dutra, ressalta que o novo equipamento chega em um bom momento, considerando que o anterior estava tecnologicamente defasado. “Tínhamos um tomógrafo muito velho com 15 anos de uso e que não fazia uma boa parte dos exames que hoje a medicina precisa para um bom diagnóstico e posterior tratamento”, disse. 

“A aquisição deste tomógrafo é de fundamental importância para o hospital e região porque ele atende os pacientes internados e os externos. O novo equipamento aumenta a resolutividade da assistência do hospital. Não precisamos mais encaminhar pacientes por falta de diagnósticos precisos”, completou a diretora. 

O prefeito de Redenção, Marcelo Borges, acredita que a nova tecnologia ajudará a desafogar o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) da região. “Importante ação do Governo em doar o equipamento pela qualidade no atendimento à população de Redenção e região. Um ganho extraordinário. Teremos celeridade nos atendimentos e resultados para que os nossos médicos identifiquem rapidamente o diagnóstico e nossos pacientes sejam atendidos com excelência”, avaliou o prefeito. 

Treinamento 

Recebido pelo HRPA no final de junho, o equipamento já foi instalado e a equipe de funcionários passou por treinamento e capacitação para operá-lo. Além de Redenção, também será beneficiada a população de outros 15 municípios da região do Araguaia. (Leonardo Nunes)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze