Connect with us

Pará

PARÁ: Câmara de Belém sepulta privatização da água

Publicado

em

pa1Foi uma derrota surpreendente e acachapante para o prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB). Com 18 votos a favor, dois contra e duas abstenções, o Plenário da Câmara Municipal aprovou, nesta segunda-feira, emenda supressiva ao artigo 1º do Projeto de Lei oriundo do Executivo, que dispõe sobre a prestação de serviços públicos diretamente ou sob regime de delegação ou permissão. Com isso, o projeto foi para o arquivamento.

A emenda foi apresentada pelo vereador Adalberto Aguiar (PT) e, na prática, sua aprovação sepulta o projeto de privatização não só do serviço de abastecimento de água e de esgoto de Belém, como de praticamente todas as atividades a cargo da municipalidade.

“Foi uma vitória do povo de Belém, da oposição e, particularmente, da bancada do PMDB, que, por orientação de seus principais líderes, o deputado Jader Barbalho e o ex-deputado José Priante, foi decisiva para esse triunfo”, disse José Scaff Filho (PMDB), que, logo após a votação, recebeu uma ligação de congratulações do presidente da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Eduardo Ribeiro.

“O povo mostrou que, quando quer, consegue. Não teríamos chegado a essa vitória sem a participação maciça de militantes do Sindicato dos Urbanitários, dos funcionários da Cosanpa, centros comunitários e de toda a sociedade, vigilante na defesa de seus interesses”, assinalou o vereador Ademir Andrade (PSB), para quem a votação de ontem teve um certo gosto de revanche. Foi dele a solicitação para a CPI da Saúde que não emplacou por conta da participação de vereadores da base governista na comissão.

O artigo 1º, suprimido pela emenda de Adalberto Aguiar, diz: “Os serviços públicos, precedidos ou não de obra pública, o uso de bens públicos e o direito real de uso do Município de Belém, poderão ser delegados mediante concessão e permissão, nos termos do artigo 175, da Constituição Federal, da Lei nº 8.987/1995, da Lei nº 11.079/2004, do artigo 37 do inc. VIII, da Lei Orgânica do Município de Belém, e por esta Lei. Parágrafo Único: Todos os procedimentos para a outorga da concessão ou permissão de que trata esta Lei, inclusive a elaboração do edital e do respectivo contrato de concessão ou permissão serão adotados pelo Poder Executivo Municipal.

Para Carlos Augusto Barbosa (DEM), “a vitória foi da população de Belém. Sabíamos que ao entregar o setor para terceiros, quem iria pagar a conta seriam os mais pobres”, declarou.

Ele acredita que a derrota de Duciomar Costa no plenário mostra como a própria base governista anda desacreditada da atual gestão. “O próprio Rildo Pessoa foi agredido por homens da guarda municipal, e os vereadores se reuniram para cobrar explicações e tomar providências. Se é assim que o prefeito trata seus defensores, imagine o restante”, considerou Barbosa. (Diário do Pará)

Apesar de os governistas defenderem o projeto de lei encaminhado pelo Executivo, a maioria não votou. Abriram mão de votar e ficarem mal com a opinião pública. Dentre eles, nomes como Orlando Reis (PV), Gervásio Morgado e Luiz Pereira (PR) e Pio Netto (PTB) foram alguns dos que abdicaram de votar. Favoravelmente à rejeição da emenda votaram apenas o presidente da Casa, Walter Arbage (PTB), e Tereza Coimbra (PDT).

Abstiveram-se Sahid Xerfan e Vandick Lima, ambos do PP, por questão de orientação partidária. “Os votos de Xerfan e Vandick devem ser, moralmente, considerados a favor da emenda, pois este era o desejo de ambos, mas foram forçados pela cúpula de seu partido a tomar outra atitude”, ponderou o vereador Marquinho do PT.

Entre os que votaram em favor da emenda de Adalberto Aguiar, as surpresas ficaram por conta do pastor Raul Batista e de Miguel Rodrigues, ambos do PRB, que, até pouco antes da votação eram dados como indecisos ou já a bordo do ônibus do prefeito de Belém. “Foi muito difícil para nós, pois recebíamos pressão de todos os lados. Porém, água é coisa séria, e achamos que devíamos seguir as lideranças do PT”, assinala Batista.

A oposição também não contou com todos os seus votos possíveis. Abel Loureiro (DEM), por exemplo, se retirou do plenário poucos antes da votação. Em compensação, o líder do governo, Orlando Reis (PV), deixou o prefeito sozinho na hora decisiva. Tentou, em vão, empastelar a votação e acabou se retirando à francesa e culpando Arbage pela derrota. Além de Reis, faltaram à votação os vereadores Raimundo Castro, Pio Netto, Nonato Filgueiras, Nhemias Valentin, Nadir Neves, Mário Corrêa, Luiz Pereira, Rildo Pessoa e Gervásio Morgado. A liquidação do projeto logo nas primeiras discussões surpreendeu, já que havia a expectativa que o projeto ocupasse a Câmara pelos próximos 15 dias. A maioria das emendas só deveria ser apreciada a partir desta terça-feira, em sessões extraordinárias que poderiam durar até a meia-noite.

No auge das discussões, a vereadora Tereza Coimbra foi alvo de uma manifestação de repúdio por parte de sindicalistas e populares que ocupavam as galerias. Enquanto defendia a privatização do serviço de água e esgoto, comparando Duciomar a Levi Strauss, pensador francês morto há poucos dias, e ao Mestre Verequete, igualmente morto na semana passada, a plateia virou-se de costas para o plenário.

No anúncio do resultado, os manifestantes correram para um abraço simbólico com a oposição. “Era um projeto danoso à sociedade, que não poderia ser admitido em hipótese alguma”, avaliou Otávio Pinheiro (PT). Para Augusto Pantoja (PPS), essa foi uma demonstração de que “o povo não é mais carneiro, para aceitar qualquer proposta que vá de encontro aos seus interesses”.

O vereador Evaldo Rosa, conhecido por Cobrador Pregador, foi mais duro: “Esse prefeitinho não vai fazer o que bem entender desta cidade. Estamos em campo para defender o que é bom para o povo e banir o que é ruim. A partir de agora, eu sou Cobrador de Promessas”, garantiu. (Diário do Pará)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Corpo de Faisal é sepultado sob forte emoção

Publicado

em

Velório na Câmara Municipal

O médico pediatra Faisal Salmen foi sepultado no final da tarde deste sábado, 24, no Cemitério Jardim da Saudade, em Parauapebas, região de carajás, Pará. O corpo foi velado na Câmara Municipal.

Faisal foi o primeiro prefeito de Parauapebas, deputado estadual por dois mandatos e vereador. Ele vinha lutando contra as sequelas de um câncer.

Faisal Faris Mahmoud Salmen Hussain, tinha 68 anos e era paulista de Agudos. Foi eleito prefeito de Parauapebas, em novembro de 1988 e cumpriu o mandato de 1989 a 1992.

Continue lendo

Pará

Helder tem celular clonado e Toni Cunha dispara, “Será que fez bobagem pelo telefone…?”

Publicado

em

Esta semana o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse por meio de suas redes sociais, que mais uma vez, teve seu telefone clonado. “Boa noite, pessoal. Fui vítima de crime cibernético. Meu número de telefone foi clonado. Já fiz boletim de ocorrência e estou tomando as providências para resolver o problema”, escreveu.

Encabulado, com a quantidade de vezes que o governador já teve seu aparelho alvo de ataques cibernéticos, o deputado estadual, Toni Cunha (PTB), seu adversário, escreveu. “De novo!! Será que o governador está mal orientado por quem cuida de sua privacidade!!? Toda vez é isso!! Acho que é o governador que mais teve telefones “clonados” na história do Brasil. Vá ser clonado assim “lá na China”!!. Será que fez bobagem pelo telefone e quer dizer que não foi ele?”

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Morre aos 68 anos Faisal Salmen

Publicado

em

Faisal Salmen, médico e primeiro prefeito de Parauapebas, município da região de Carajás, Pará, morreu na noite desta sexta, 23.

Faisal vinha lutando contra as sequelas de um câncer.

Faisal Faris Mahmoud Salmen Hussain, tinha 68 anos e era paulista de Agudos. Foi eleito prefeito de Parauapebas, em novembro de 1988 e cumpriu o mandato de 1989 a 1992.


O atual prefeito de Parauapebas, Darci Lermen (MDB), comentou sobre a morte. “Obrigado Faisal Salmen, nosso primeiro prefeito, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. Nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. Parauapebas terá sempre muito orgulho desse cidadão parauapebense. A força de Faisal Salmen vem do seu exemplo e do seu caráter. leal à família, aos amigos, ao povo de Parauapebas, sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva”, disse o gestor.

O corpo de Faisal Salmen será velado na Câmara Municipal de Parauapebas a partir das 15 horas deste sábado e seu sepultamento está marcado para as 18 horas no Cemitério local.

A Prefeitura de Parauapebas decretou luto oficial de três dias.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze