- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 17 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Combustíveis têm queda de 4% na capital paraense

Mais Lidas

Depois de seis meses de altas sequenciadas, o preço dos combustíveis apresentou recuo de cerca de 4% tanto em Belém, como em todo Estado. É o que aponta pesquisa divulgada nesta terça-feira (24), pelo Dieese (Departamento de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos). Na capital, a pesquisa atingiu 80% dos postos, a partir de dados da Agência Nacional do Petróleo.

Em todo o Estado, segundo análises feitas pelo Dieese, com base em informações da ANP, a queda no preço do etanol chega a quase 4%, no comparativo entre os preços médios de R$ 2,401, praticados na semana passada, entre 15 a 21 de maio, e os verificados na semana anterior que foi de R$ 2,496, entre 8 a 14 de maio.

No caso da gasolina, a tendência também é de queda nos preços. As pesquisas mostraram que, na primeira quinzena de maio, o litro deste combustível estava sendo comercializado, em média, nos postos da capital, a R$ 2,898. O menor preço encontrado foi de R$ 2,749 e o maior, R$ 3,129.

Na semana passada, até o dia 21 de maio, devido principalmente ao recuo no preço do etanol, o litro da gasolina foi comercializado na capital a R$ 2,781, com o menor preço a R$ 2,050 e o maior a R$ 2,949. Com isso, entre os preços médios até esta data e os observados até a primeira quinzena de maio, a gasolina apresenta uma queda de 4,03%.

Em todo o Estado, segundo as análises, o preço do litro da gasolina também está em queda. Na semana de 8 a 14 de maio, o litro da gasolina foi comercializado, em média, a R$ 2,910. Na semana passada, entre 15 e 21 de maio, esse preço havia caído para R$ 2,829. A queda, em uma semana, foi de cerca de 3%. ‘A tendência é ainda de mais queda até o final do mês’, avalia o economista coordenador do Dieese, Roberto Sena.

Ainda segundo o economista, mesmo em queda, os combustíveis no Pará ainda têm os preços muito elevados, devido principalmente à alíquota de ICMS muito alta, praticadas sobre eles em todo o Pará, que é uma das maiores do País.

Trajetória de aumentos

A alta no preço dos combustíveis em Belém, no Pará e em todo o Brasil, começou com o etanol em novembro de 2010, com o início da entressafra da cana-de-açúcar que, na sequência, influenciou também a alta do preço da gasolina, devido à mistura de 25% do etanol em cada litro.

Ainda de acordo com as pesquisas do Dieese no Pará, no inicio da entressafra (nov/10), o preço do litro do etanol foi comercializado, em média, nos postos da capital, a R$ 2,044. O menor preço encontrado foi R$ 1,892 e o maior R$ 2,397; em dez/10 já estava custando R$ 2,060. Em janeiro/11, R$ 2,108; em fevereiro/2011, a R$ 2,141; mar/2011 a R$ 2,234; no mês passado era vendido a R$ 2,429.

Segundo o Dieese, nas duas primeiras semanas do mês de maio de 2011, os preços dos combustíveis (etanol e gasolina) mantiveram tendências de altas na capital e em todo o Estado. As pesquisas mostraram que, na primeira quinzena de maio, o litro do etanol estava sendo comercializado em média a R$ 2,474. O menor preço encontrado do litro do álcool foi de R$ 2,308 e o maior, R$ 2,699.

Na semana passada (pesquisas até 21/05), o preço do etanol começou a cair, tanto na capital, como em todo o Estado. Em Belém, segundo as pesquisas do Dieese, o etanol custava, em média, R$ 2,362, com o menor preço a R$ 2,139 e o maior a R$ 2,599. Com isso, entre os preços médios do etanol neste período e os preços observados na primeira quinzena de maio, o etanol apresenta uma queda de 4,53%. (Portal ORM)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias