Connect with us

Tocantins

Pará é um dos mais bem contemplados no PAC II, garante a governadora Ana Júlia

Publicado

em

Chegou a vez do Pará se desenvolver de forma planejada e sustentável. A conclusão é da governadora Ana Júlia Carepa, nesta terça-feira (30), em coletiva à imprensa sobre o Programa de Aceleração do Crescimento II (PAC II), que contemplará no Pará, inicialmente, cinco aproveitamentos hidrelétricos do Complexo Tapajós, na região de Itaituba; a adequação da PA-150 no trecho Marabá-Redenção que se transformará na BR-155; o projeto do novo aeroporto de Santarém; a hidrovia Marabá/Imperatriz; e ainda 18 terminais hidroviários.

Segundo a governadora, esses projetos dialogam com investimentos feitos pelo governo do Estado para atrair empreendimentos que “mudarão o discurso sobre a verticalização dos produtos naturais paraenses”. Um exemplo, ressaltou Ana Júlia Carepa, é a siderúrgica Aços Laminados do Pará (Alpa) da Vale S.A., em Marabá, no valor de 3.7 bilhões de dólares. A empresa já obteve licença prévia para instalação e funcionará a partir de 2013.

“Integrada à Alpa, teremos o projeto Aline da Aço Cearense, no valor de 1.5 bilhão de reais, que produzirá aços laminados e revestidos. Somados os dois empreendimentos, são quase 8 bilhões de reais de investimentos no Pará”, calculou a governadora.

Ela ressaltou que, para atrair os empreendimentos, o governo do Estado investiu R$ 40 milhões na revitalização do Distrito Industrial de Marabá, construção das etapas 2 e 3 do mesmo distrito e desapropriações.

Mais empregos

“Nesta quarta-feira, 31, na entrega da licença prévia da Alpa, o que vai acontecer em Marabá é uma mudança histórica no nosso Estado. Estamos criando um pólo metal-mecânico de indústrias no sul/sudeste do Estado, como fez Getúlio Vargas quando criou a Siderúrgica Nacional. Chegou a vez do Pará!”, reafirmou, destacando que a siderúrgica gerará 12 mil empregos na fase de construção. “Serão 12 mil pessoas do Pará empregadas com carteira assinada. A Vale acatou a nossa sugestão de que esses trabalhadores morem no Pará há pelo menos dois anos”, disse.

Além da área mineral, a governadora citou a empresa Floraplac, a primeira fábrica da  região Norte a produzir madeira densificada (MDF) a partir de madeira reflorestada, localizada em Paragominas, isentada pelo governo do Estado de imposto nas operações de importação de maquinários e equipamentos.

E ainda a primeira fábrica de chocolate da Amazônia, já construída em Medicilândia, que terá investimentos da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) na aquisição de equipamentos. O Pará é o segundo maior produtor de cacau do país. “Vamos mostrar que essas indústrias são possíveis aqui. E estimular que outras venham a se instalar”, salientou.

Projetos

O PAC II significa investimentos de R$ 960 bilhões, a serem aplicados entre 2011 e 2014 em grandes projetos de infraestrutura em habitação, água, luz, transportes e energia. “O Pará é um dos estados mais bem contemplados no PAC II. Estamos fazendo obras para o agora e para as gerações futuras”, destacou a governadora.

Os estados e municípios terão até o mês de junho para enviar seus projetos. No Pará, as prefeituras contarão com o apoio da Secretaria de Estado de Integração Regional (Seir), que mantém a Sala das Prefeituras. “A nossa meta é fazer um esforço em mutirão para elaboração desses projetos dos municípios”, frisou a governadora. (Fabíola Batista)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Jalapão terá aeroporto

Publicado

em

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, assinou nesta quarta-feira, 28, o contrato de repasse de recursos para a construção do aeroporto de São Félix do Tocantins, na região do Jalapão. O aeroporto é considerado estratégico pelo governador e está avaliado em mais de R$ 31 milhões.

As obras do aeroporto estão orçadas em R$ 31.076.888, sendo que R$ 21.526.889, oriundos de contrapartida do Governo do Estado, e R$ 9,5 milhões provenientes de emenda parlamentar. De acordo com a secretária de Estado da Infraestrutura e presidente da Agência Tocantinense de Transportes de Obras (Ageto), Juliana Passarin, o projeto para construção do aeroporto já está concluído e a expectativa é de iniciar a obra ainda nos próximos meses.


Além do aeroporto, o Governo do Tocantins também já está com as obras de implantação do asfalto da rodovia TO-247, que liga a cidade de Lagoa do Tocantins a São Félix, bem adiantadas. Esta primeira etapa de pavimentação beneficiará 50 km da rodovia. Com a conclusão das obras, a TO-247 será mais uma opção de acesso aos atrativos do Jalapão, além das rodovias TO-030, TO-110 e TO-255.

O acesso à rodovia é feito pelo município de Santa Tereza do Tocantins. De lá até Lagoa do Tocantins, a pista já é pavimentada. A rota para o Jalapão por esse caminho, depois de pavimentado, deve facilitar o acesso e encurtar o tempo de viagem para turistas e moradores da região. “É isso que precisamos, encurtar distâncias e facilitar o acesso dos turistas ao nosso principal roteiro turístico”, reforçou o Governador. 

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Prefeitura e Sesi firmam contrato para realização de trabalho socioambiental nos bairros

Publicado

em

A Prefeitura de Araguaína e o Serviço Social da Indústria do Estado do Tocantins (Sesi-TO) assinaram, nesta terça-feira, 27, a ordem de serviço para início dos trabalhos para realização de diagnóstico socioambiental junto às comunidades beneficiadas pelo Projeto Águas de Araguaína.

Com duração de 12 meses e prazo de execução prevista em oito meses, o valor total do contrato é de R$ 182.081,34. Serão aplicados 2.806 formulários para diagnóstico da caracterização da área de intervenção e entorno; caracterização da população; caracterização da organização comunitária de cada região e mapeamento socioambiental. Com essas informações, pretende-se definir de que forma as obras impactarão cada comunidade.

“O trabalho que o Sesi realizará tem como objetivo compreender as questões socioambientais das comunidades, com o intuito de alinhar as expectativas da comunidade às obras que serão realizadas. Por isso, é importante que as pessoas respondam ao questionário e atendam à equipe que estará devidamente caracterizada e uniformizada”, explicou a gerente técnica ambiental e social da Unidade de Gerenciamento de Projeto (UGP), Jeniffer Durães.

Comunidades avaliadas
Serão atendidas as comunidades da área de abrangência dos parques Neblina, São Miguel e Raizal; dos canais dos córregos Tanque, Tibúrcio, Planalto, Água Fria e Canindé; além dos setores Dom Orione, Vila Rosário, Maracanã, Raizal, Tereza Hilário, Martim Jorge, George Yunes, Urbanístico, Alaska, Santa Luzia, Jardim América, Céu Azul, Santa Terezinha, Vila Ferreira e Nova Araguaína.

O diagnóstico iniciará com a aplicação dos formulários; seguirá com o relatório fotográfico; planilha de tabulação dos dados; estudo socioambiental da comunidade afetada e será concluído com a apresentação do estudo à UGP. A apresentação do Plano de Trabalho pela equipe do Sesi está prevista para o próximo dia 10 de agosto.

O relatório do estudo norteará o Projeto de Trabalho Técnico Socioambiental (PTTSA) que na sequência será executado nos bairros, realizando oficinas e palestras específicas para as comunidades diagnosticadas. “Vamos correr para iniciar os trabalhos o mais rápido possível. É muito bom poder compartilhar esse momento com a gestão na execução de um projeto que vai dar mais um UP na transformação da cidade, comentou a superintendente do Sesi no Tocantins, Roseli Ferreira Neves Sarmento.

Orientações técnicas
Durante a reunião para assinatura da ordem de serviço, a equipe da UGP apresentou às representantes da instituição as normas de execução dos projetos financiados pela Cooperação Andina de Fomento (CAF) – Banco de Desenvolvimento da América Latina, como o fluxograma de medição e etapas do trabalho de diagnóstico do PTTSA.

“A CAF é uma instituição exigente, rigorosa, à qual precisamos atender as exigências e prestar contas regularmente, além de passar por auditorias anuais. O objetivo principal desse trabalho é atender as salvaguardas smbientais e sociais, bem como o cumprimento de metas físicas e financeiras, que garantem o pagamento dos contratos com celeridade”, explicou o gerente técnico de Supervisão e Acompanhamento de Obras da UGP, Cid Forghieri.

Águas de Araguaína
O Projeto de Saneamento Integrado Águas de Araguaína contempla uma série de obras de infraestrutura nos bairros, totalizando um investimento de mais de R$ 350 milhões e beneficiando à população de mais de 30 bairros, com financiamento obtido por meio do Banco de Desenvolvimento da América Latina – Corporação Andina de Fomento (CAF).

Com a drenagem e pavimentação dos bairros, o projeto prevê ainda a implantação da Via Norte e a criação de bacias de detenção da água das chuvas para evitar futuros alagamentos e vários pontos de área verde com a implantação dos parques: Nascentes do Neblina, São Miguel e Raizal, garantindo a preservação dos córregos Neblina, Jacuba e do Rio Lontra.

Continue lendo

Tocantins

Governo do Tocantins inaugura a maior central de esterilização do Estado

Publicado

em

O Governo do Estado do Tocantins, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), inaugurou nesta quarta-feira, 28, a maior e mais moderna Central de Material e Esterilização (CME) do Tocantins. O contrato com a empresa BioPlus prevê a gestão completa do Hospital Geral de Palmas (HGP), incluindo a nova ala pediátrica, além do Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR). O espaço dispõe de profissionais capacitados e equipamentos de tecnologia de ponta para realização de todo o processo de esterilização da unidade hospitalar (autoclaves, lavadora termodesinfectadora e ultrassônicas, entre outros), incluindo o sistema de rastreabilidade informatizada.

“Com a nova central, a capacidade de lavagem e esterilização foi aumentada quatro vezes mais, de 810 litros para 3.600 litros. Um ganho para nossa unidade, referência de alta complexidade no Estado. O serviço vai melhorar nossos processos de trabalho, contribuindo com assistência aos nossos pacientes”, declarou o diretor-geral do HGP, Leonardo Toledo.

Para a superintendente de Unidades Hospitalares Próprias, Elaine Negre Sanches, “é uma satisfação muito grande saber que vamos ofertar um atendimento com mais qualidade e segurança ao usuário do SUS [Sistema Único de Saúde]”, afirmou.

Na ocasião, estiveram presentes: o diretor-geral do HGP, Leonardo Toledo; o diretor administrativo do HGP, João Carlos Dias Medeiros; o membro do Conselho Regional de Medicina, Murilo Cifuentes, além do diretor de operações comerciais da BioPLus, Bruno Paulino. (Luciana Barros)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze