- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
segunda-feira, 08 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Governadora afirma que PAC deixará Estado nos trilhos do crescimento

Mais Lidas

“A falta de planejamento estagnou o Pará por muitos anos. Esta lição nós aprendemos muito bem com o governo Lula, e por isso, já a partir de hoje, vamos planejar para onde irão as quadras esportivas, as praças. Nas próximas semanas, o secretário de Educação, Luís Cavalcante, vai definir quais escolas serão restauradas e onde serão construídas as novas, num total de mais de mil estabelecimentos que terão melhores condições de ensino. Também nos próximos dias começaremos a enviar para a Assembleia Legislativa os projetos que prevêem financiamentos. Vamos deixar o Estado nos trilhos, pronto para crescer ainda mais, de forma sustentável”.

As palavras da governadora Ana Júlia Carepa na manhã desta segunda-feira (7), ao lançar o Programa de Aceleração do Crescimento do Pará, retratam a determinação do Executivo em garantir as condições para que o Estado continue no caminho do crescimento econômico e social.

O volume de investimentos do PAC do Pará foi apresentado pelo secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Maurílio Monteiro, para quem “o programa permitirá ao Estado dar um salto gigantesco na socioeconomia”. O secretário destacou que o lançamento do programa se deve à necessidade de planejamento (por empresas, órgãos públicos e trabalhadores) de ações estratégicas, e também “para se obter a rapidez necessária às obras, sem riscos de atrasos, e para que se obedeçam aos trâmites obrigatórios à obtenção de alguns financiamentos previstos no programa.”

Do total de R$ 50,3 bilhões do PAC do Pará (recursos do Tesouro estadual e privados), R$ 41 bilhões virão de investimentos privados, “e incluímos no programa por vários motivos”, explicou Maurílio Monteiro. “Primeiro, o governo do Estado ajudou a criar a infraestrutura necessária para vários empreendimentos, como investir mais de R$ 50 milhões no Distrito Industrial de Marabá, para garantir a implantação, pela Vale, da siderúrgica Aços Laminados do Pará. Depois, alguns empreendimentos previstos no programa, estratégicos para o governo do Estado, terão prioridade no licenciamento ambiental, para que todas as obras sejam concretizadas de forma articulada e no tempo previsto”, informou.

O PAC do Pará foi dividido em nove eixos de investimentos, articulados com o PAC 2, lançado pelo governo federal:

CIDADE MELHOR

– Áreas: Saneamento, Prevenção em Áreas de Risco, Mobilidade Urbana e Pavimentação.

– Meta: enfrentar os principais desafios das aglomerações urbanas, propiciando melhor qualidade de vida.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 550 milhões.

– Algumas obras já definidas: conclusão do programa Ação Metrópole, na Região Metropolitana de Belém; esgotamento sanitário nos municípios de Altamira, Belém, Ananindeua, Breves, Castanhal, Itaituba e Marabá, e construção do Centro de Convenções de Santarém.

COMUNIDADE CIDADÃ

– Áreas: Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) e Unidades Básicas de Saúde, creches e pré-escolas, quadras esportivas nas escolas,´praças do PAC e postos de Polícia Comunitária.

– Meta: Presença do Estado nos bairros populares, aumentando a cobertura de serviços e a qualidade, por meio de ações prestadas de forma direta à população.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 200 milhões.

– Obras já definidas: construção de uma Unidade Básica de Saúde em Belém e de Unidades de Pronto-Atendimento em Uruará, Capitão Poço, São Miguel do Guamá, Viseu, Barcarena, Igarapé-Miri, Moju, Tailândia, Monte Alegre, Alenquer, Oriximiná, Novo Repartimento, Breu Branco, São Félix do Xingu, Santana do Araguaia, Santa Izabel do Pará e Belém.

MINHA CASA, MINHA VIDA

– Áreas: Habitação e urbanização de assentamentos precários.

– Meta: Redução do déficit habitacional, dinamizando o setor de construção civil e gerando trabalho e renda.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 450 milhões.

– Está prevista a construção de 80 mil casas populares, em Belém e interior.

– Obras já definidas: urbanização e obras de saneamento nos assentamentos do Canal da Timbó, Estrada da Pirelli e nas comunidades (todas em Belém) Parque Amazônia, Montese 1 e 2, Água Cristal, Esperanto, Taboquinha 3, Pratinha 2, Mata Fome, Tapanã, Pato Macho e Che Guevara.

ÁGUA E LUZ PARA TODOS

– Áreas: Eletrificação rural, água em áreas urbanas e recursos hídricos.

– Meta: Redução drástica no déficit de acesso à água e à energia elétrica no Pará.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 150 milhões.

– Investimentos privados previstos: R$ 150 milhões.

– Total previsto, com os investimentos federais: R$ 3,2 bilhões.

– Obras já definidas: sistemas de abastecimento de água em Abaetetuba, Alenquer, Ananindeua, Altamira, Breves, Castanhal, Itaituba, Oriximiná, Marabá, Monte Alegre e Santarém

INFRAESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO

– Áreas: Rodovias, ferrovias, portos, hidrovias, aeroportos, equipamentos para estradas vicinais, equipamentos de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

– Meta: Consolidar e ampliar a rede logística, interligando os diversos modais, garantindo qualidade e segurança e reduzindo custos a partir da infraestrutura, sobretudo com a logística de transporte.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 3.402,2 bilhões (com financiamentos).

– Investimentos privados: R$ 2,4 bilhões.

– Total: R$ 5.802,2 bilhões.

– Algumas obras já definidas: Terminais rodofluviais nos Distritos de Ananindeua e Icoaraci, melhoramentos e pavimentação nas PAs 256, 150, 151, 252, 140 e 263, entre outras.

ENERGIA E INDÚSTRIA

– Áreas: Infraestrutura de gás natural no Pará e empreendimentos industriais.

– Meta: Ampliar a base industrial do Estado.

– Investimentos privados: R$ 41.750 bilhões (o governo do Estado atuou como concertador dos projetos e garantiu a infraestrutura para os investimentos na área).

– Alguns empreendimentos confirmados: Siderúrgica Aços Laminados do Pará (Marabá), Projeto Aline (Marabá), Companhia de Alumina do Pará (Barcarena), Minério de Ferro Serra Sul (Parauapebas), Cobre (minas em Marabá e Parauapebas), Níquel (projetos em Ourilândia do Norte e Canaã dos Carajás), Bauxita (projeto em Paragominas), Biocombustíveis e óleo de palma (Moju, Tomé-Açu, Acará, Concórdia do Pará, Mocajuba, Baião, Tailândia, Igarapé-Miri e Abaetetuba).

SEGURANÇA

– Meta: Construir e/ou reformar delegacias e unidades de atendimento policial, para prestar melhores serviços à população, reduzindo os índices de criminalidade.

– Investimentos pelo governo do Estado: R$ 294,6 milhões.

SAÚDE

– Meta: Construção e reforma de hospitais e unidades de saúde e compra de equipamentos, com a finalidade de prestar melhores serviços diretos à população, sobretudo em cidades e bairros mais carentes. Mais infraestrutura de apoio às equipes de saúde da família e serviços como ginecologia, pediatria, odontologia, curativos, vacinas e remédios, além de programas de saúde preventiva.

– Investimentos do governo do Estado: R$ 296 milhões.

– Algumas obras já definidas: Ampliação do Hospital Ophir Loyola, conclusão do Pronto-Socorro, Conclusão da “Nova Santa Casa”, Reforma e ampliação do Hospital Municipal.

EDUCAÇÃO

– Meta: Reformar, ampliar e construir escolas; ampliar a rede de ensino profissionalizante; investir na formação continuada de professores; equipar as unidades com laboratórios de informática, ciência e tecnologia, e instituir a disciplina educação ambiental nas escolas públicas.

– Investimento previsto pelo governo paraense: R$ 657,2 milhões.

– Obras já definidas: Reforma e ampliação de mil escolas, e construção de 60 escolas.

- Publicidade -spot_img

2 Comentários

Assinar
Notificar-me
guest
2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Reginaldo S Freitas

O meu municpio foi contemplado com uma Unidade de Pronto Atendimento(UPA) mais não sei o que esta acontecendo que até agora já chegou a ambulancia do Samu, mais o predio da Unidade ate agora não apareceu, não sei o que aconteceu até agora, com a situação de tantos politicos corruptos, estou com medo do dinheiro sumir e não sair nada, espero que as autoridades tomem providencia, Moro no Estado do Pará, região do Marajó, Cidade de Breves.

joelino teles dos santos

alemquer esta contemplado com minha casa minha vida

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias