Connect with us

Tocantins

PARÁ: Governo entrega novo parque radioterápico do hospital Ophir Loyola

Publicado

em

A governadora Ana Júlia Carepa entrega à população do Pará nesta terça-feira, 20, às 10 horas, o mais moderno Parque Radioterápico do Norte/Nordeste e um dos mais bem equipados do país. O novo serviço funciona no Hospital Ophir Loyola, referência em oncologia. Com investimentos de cerca de R$ 9 milhões do governo do estado, além do parque, o hospital também vai inaugurar a Divisão de Medicina Nuclear. Este é o maior incremento que o setor já recebeu em toda a sua história.

Para modernizar o Parque Tecnológico de Radioterapia e ampliar a oferta de procedimentos e serviços oferecidos à comunidade, serão entregues novas tecnologias como um tomógrafo simulador, uma braquiterapia e um acelerador linear (Varian 2100 C), que vão melhorar intensamente a qualidade de atendimento ao cidadão. A entrega destes serviços no HOL representa um avanço histórico para o tratamento do câncer no Pará. Com estes equipamentos de última geração, o Ophir Loyola terá capacidade para atender entre 250 e 300 pacientes por dia. Isso representa o fim das filas para o tratamento de radioterapia no estado.

“Estes novos serviços consolidam o Ophir Loyola como centro de excelência em oncologia, com a mais alta tecnologia para diagnóstico e tratamento dos pacientes da rede pública”, afirma o diretor geral do HOL, Paulo Soares.

Todos os novos equipamentos são importados e já passaram pela adequação das normas exigidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). No total, com a inauguração, em um espaço de 1.650 metros quadrados, o HOL vai contar com três aceleradores, um cobalto, uma braquiterapia nova e dois simuladores.

Definido pelo Ministério da Saúde como o único Centro de Alta Complexidade em Oncologia da região Norte, o Hospital Ophir Loyola, prestes a completar 100 anos, está agora preparado para o futuro oferecendo qualidade máxima em serviços.

Para atender a grande demanda de pacientes que, sempre contrasta com a carência de médicos e demais profissionais da área de oncologia que necessitam ter alta qualificação, o hospital contava com apenas três radioterapeutas e, hoje, vive uma nova realidade. O Governo do Estado contratou mais quatro médicos da área. Agora, com um total de sete radioterapeutas, o hospital está superando metas e a média atual de atendimentos, no momento, tem sido de 115 pacientes novos por semana além dos que já estão em tratamento.

Atendendo 100% SUS, o HOL oferece assistência digna, especializada e integral aos pacientes na área de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer. Antes mesmo do Ophir Loyola inaugurar o parque radioterápico, o hospital já havia normalizado o atendimento de pacientes em radioterapia e segue convocando de forma inédita os pacientes da capital e interior do estado para a antecipação de consultas.

O funcionamento da Divisão de Medicina Nuclear, representou um investimento de mais de R$ 1,6 milhão para o governo. O novo serviço vai funcionar com equipamentos ultramodernos como o Gama Câmara e também vai se igualar a estrutura de grandes centros de excelência do Brasil para diagnóstico e tratamento de tumores malignos e outras doenças.

O serviço de medicina nuclear utiliza substâncias radioativas de vida curta onde, neste tipo de tratamento, a radiação temporária entra em contato direto com o paciente, através de injeções, ingestão ou inalação para detecção precoce de doenças. O serviço terá capacidade de realizar 50 tipos de exames como as cintilografias nas suas várias modalidades.

No espaço físico, serão oito salas em 180m² incluindo a sala para consultas, exame e laboratório. Segundo Andréa Gama, médica especialista em medicina nuclear, todos os serviços e estrutura atendem ao padrão exigido pela CNEN. A Divisão de Medicina Nuclear vai fechar o círculo de serviços no tratamento do câncer.

Na área da radioterapia e na Divisão de Medicina Nuclear foram colocados adesivos em várias paredes e aplicadas pinturas no teto com motivos regionais para humanizar o ambiente e oferecer tranquilidade e conforto aos pacientes que passam pelos procedimentos.

Com a entrega do novo Parque de Radioterapia do Ophir Loyola, depois de mais de uma década sem receber recursos, o governo do estado investiu, além da aquisição de tecnologia de ponta, na reforma e ampliação de obras e nos insumos para o funcionamento dos serviços – de acordo com a Política Nacional de Atenção Oncológica (PNAO) e o Plano Estadual de Atenção Oncológica, no compromisso e na garantia da assistência oncológica aos usuários do SUS e, já considerando as necessidades atuais e futuras da população.

Radioterapia

A Radioterapia é uma ferramenta no tratamento do câncer. O uso de radiações visa destruir ou diminuir o crescimento de células com comportamento anormal no organismo. Os raios do acelerador linear são direcionados para o corpo do paciente e atingem o tumor. O acelerador Varian possui duas energias de fótons (único do Norte) e cinco de energias de elétrons. Já na técnica da braquiterapia, o material radioativo é colocado no interior do paciente, diretamente na área que será tratada. A nova braquiterapia incorpora as mais recentes tecnologias em modalidades terapêuticas de alta dose de radiação de contato.

Para a simulação de procedimentos radioterápicos, o novo tomógrafo simulador, da marca GE, possui 16 canais que permitem maior qualidade de imagem e definição, maior velocidade de varredura e menor exposição à radiação. Este equipamento de ponta é um dos únicos existentes no país e o único nas regiões Norte/ Nordeste e Centro-Oeste.

Foi adquirido ainda um Sistema de planejamento tridimensional (3D) em radioterapia, que possibilita tratamentos mais precisos, com mais qualidade e ferramentas compatíveis com fusão de imagens (CT Simulador + Ressonância) e com suporte para I.M.R.T (Radioterapia modulada). Posteriormente, terá suporte também para radiocirurgia no novo Acelerador Linear 2100 VARIAN.

Para a proteção radiológica, foi instalado um verdadeiro bunker (local especifico de concreto armado para abrigar o equipamento). Na obra que envolveu o acelerador, foi necessária uma blindagem específica das paredes onde foram utilizados em média 750 m3 de concreto.

Esta quantidade de concreto corresponde ao equivalente no que se gasta, por exemplo, em um prédio de 10 andares com 3 apartamentos por andar, somando 320 m². Para as obras da Medicina Nuclear e do tomógrafo simulador, foram utilizadas ainda paredes de alvenaria revestidas de argamassa baritada, tudo em conformidade com as normas da CNEM. (Diane Maués Casanova)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Tocantins

Tocantins acumula mais de 80 mil contaminados pela Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quinta-feira, 26 de novembro, foram contabilizados 241 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 69 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 254.508 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 80.450 casos confirmados da doença. Destes, 72.849 pacientes estão recuperados e 6.446 estão ainda ativos (em isolamento domiciliar ou hospitalar), além de 1.155 óbitos.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Cristo tem iluminação especial no Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher

Publicado

em

Quem passou pelas proximidades do setor Pedra Alta, nessa quarta-feira, 25, viu a imagem do Cristo Redentor de Araguaína alaranjado. A iluminação diferenciada foi uma referência ao Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher. A data é escolhida pelas Nações Unidas (ONU), em 1999, em homenagem às irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana, na década de 1960.
 
Conhecidas como “Las Mariposas” (as borboletas), essas mulheres eram ativistas contra o regime de Trujillo. Eram nascidas em uma família rica da província dominicana de Salcedo (hoje chamada de Hermanas Mirabal), com cursos universitários, casadas, com filhos e tinham cerca de uma década de protestos.
 
Reforma

A estátua do Cristo e as imediações estão sendo revitalizadas. A iluminação já está pronta e é realizada por cinco projetores em LED, que podem receber vidraria colorida para refletir na imagem. O sistema que liga a iluminação é automatizado para garantir economia de energia durante os horários de sol.
 
A partir de dezembro, o monumento passará para cor vermelha em alusão ao Natal e também mês da doação de sangue.
 
Combate contra a violência

A Secretaria da Assistência Social tem atendimento especializado no Centro de Referência de Assistência Social (CREAS) para mulheres que sofrem violência doméstica e ainda estimula a independência financeira com cursos profissionalizantes gratuitos. Para ter acesso o atendimento o telefone é 99973-9729.
 
“Nós percebemos que grande parte das mulheres que sofrem violência tem medo de sair de casa não só por medo do companheiro, mas também pela dependência financeira. Então, fornecemos a ajuda psicológica e educativa para transformação dessa mulher”, afirmou Lucas Andrade, diretor de Proteção Social Especial.

Continue lendo

Tocantins

Comerciantes no interior do Tocantins são acusados de reter cartões bancários de indígenas e idosos

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 69ª Delegacia de Polícia de Tocantínia, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 26, em Tocantínia, a 60 km de Palmas, a operação Borduna contra comerciantes que estariam, em tese, retendo cartões bancários dos povos indígenas Xerente, idosos e demais pessoas.  Coordenada pelo delegado-chefe da 69ª DP, Hismael Athos, a operação teve o objetivo de cumprir seis mandados de busca e apreensão, resultando na apreensão de diversos cartões e senhas anotadas em papéis.

De acordo com a autoridade policial, as investigações iniciaram após o Ministério Público Federal (MPF) enviar notícia crime para Polícia Civil de que cartões bancários referentes a auxílios do Governo Federal eram retidos por comerciantes daquela cidade para garantir o pagamento de produtos alimentícios adquiridos pelas vítimas em estabelecimentos comerciais específicos.

O delegado, Hismael Athos, informou ainda, que os cartões permaneciam de posse dos comerciantes e, à medida que os benefícios eram depositados, os respectivos valores eram debitados das contas. Segundo a autoridade policial, há indícios de que os comerciantes sabiam inclusive as senhas bancárias dos indígenas e realizavam esses saques mensalmente.

O delegado ressaltou que é crime reter cartão de idoso. Informou ainda, que inicialmente, a Operação servirá de alerta para que os povos indígenas tomem posse dos seus documentos e cartões pessoais. “Orientamos que os beneficiários dos recursos busquem pessoas de sua confiança para realizar os saques bancários e jamais entregue seus cartões bancários a terceiros”, afirma a autoridade policial.

Operação Borduna

A operação foi batizada de Borduna em homenagem espécie de armamento indígena com o referido nome, fabricado em madeira maciça e utilizado em caçadas ou mesmo para em situações de ataque e defesa dos povos indígenas. (Patricia de Paiva)

Continue lendo
publicidade Bronze