Connect with us

Pará

PARÁ: Governo mostra na Alepa viabilidade do programa 1 Bilhão de Árvores

Publicado

em

A Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) realizou nesta terça-feira, 3, uma audiência pública para debater estratégias e a operacionalização do programa 1 Bilhão de Árvores para a Amazônia. Uma das ações do governo do Estado de grande impacto no setor ambiental, o programa foi lançado pela governadora Ana Júlia Carepa no dia 31 de maio de 2008, como alternativa para proteger a floresta e combater o aquecimento global.

“Esta audiência tem três objetivos. Um deles é explicar o conceito e a filosofia do programa; outro é deixar claro que não é o governo que planta, e sim os setores produtivos. Por fim, é mostrar o conjunto de medidas que o governo tomou para implementar o programa, como regularização fundiária e parcerias entre órgãos do governo e empresas privadas”, frisou o líder do Governo na Assembleia, Airton Faleiro, que propôs a audiência.

A audiência foi solicitada depois que o líder da oposição, Jose Megale (PSDB), durante sessão na Alepa, questionou o número de mudas plantadas anunciado pela governadora, durante evento nos Estados Unidos. Ana Júlia Carepa informou que já haviam sido plantados 220 milhões de mudas.

Relatório

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Aníbal Picanço, apresentou relatório com um perfil histórico do desenvolvimento socioeconômico na Amazônia, com a exploração desordenada de recursos naturais, a extração ilegal de 30 milhões de metros cúbicos de madeira por ano, avanço da agropecuária em áreas desmatadas e explosão demográfica. De 1974 a 2007, a população da Amazônia saltou de 8 para 24 milhões de habitantes. O relatório também enfatiza a degradação e o abandono de terras desmatadas, sem valor econômico ambiental.

Aníbal Picanço explicou que os objetivos do programa 1 Bilhão de Árvores são restaurar 1 milhão de hectares de floresta com espécies nativas, gerar 100 mil postos de trabalho, ampliar os estudos científicos ambientais na região e estabelecer novos padrões de economia florestal no Pará. As ações do programa, segundo o titular da Sema, são incentivar o reflorestamento como alternativa econômica. O papel do Estado, segundo ele, é eliminar os entraves, aprimorar a base normativa fiscal e financeira, promover e atrair investimentos florestais, infraestrutura e assistência técnica para beneficiar pequenos produtores.

As principais ações políticas e estruturantes são o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE), o Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento do Pará, Operação Arco Verde e Programa Terra Legal, Varredura Fundiária e o Decreto 1.848, que trata da manutenção, recomposição, condução da regeneração natural, compensação e composição da área de Reserva Legal de imóveis rurais no Pará. Tem, ainda, o Decreto 1.900, o Fórum de Mudanças Climáticas, o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Licenciamento de Atividade Rural.

Campo Cidadão

O secretário de Estado de Agricultura, Cássio Pereira, falou aos parlamentares sobre o programa Campo Cidadão, envolvido diretamente com o programa 1 Bilhão de Árvores. Criado em julho de 2008, o programa já atendeu 50 mil famílias com fomento e distribuição de sementes. A meta é atender 120 mil famílias em quatro anos.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), já foram plantados 220 milhões de mudas, entre as quais 7,5 milhões de mudas de cacau, cuja produção no Pará atingiu 60 mil toneladas em 2008, e 1.800 mudas de açaí, com produção de 600 mil toneladas anuais. Também estão em funcionamento 40 viveiros agroflorestais (para viabilizar o plantio de 5 milhões de mudas), e a Emater está implantando 150 unidades demonstrativas.

Nos municípios de Abaetetuba e Altamira já foram plantados 28,5 milhões de mudas. O Pronaf (Plano Nacional de Agricultura Familiar) tem 20 mil projetos de financiamentos, grande parte para plantio, principalmente de espécies frutíferas.

Crédito

Jorge Yared, diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor), disse que o Brasil tem 100 milhões de hectares de área de reflorestamento, dos quais 6 milhões estão no Pará. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem uma linha de crédito, com juros de 4% ao ano e prazo de pagamento de 30 anos, para facilitar áreas de reflorestamento. O Pará tem quatro laboratórios de sementes, de empresas particulares, e vai criar mais dois, no âmbito do governo estadual.

A empresa Concrem, parceira do Ideflor, é a maior reflorestadora do Estado, junto com a Vale. Tem uma fábrica no município de Paragominas, sudeste paraense, onde utiliza madeira de uma área reflorestada com 30 mil hectares. Nela já foram plantados 18 milhões de árvores, entre as quais espécies como paricá e eucalipto. Já a meta da Vale é fechar 2009 com o plantio de 10 milhões de mudas.

Também participaram da audiência os deputados Carlos Bordalo, Bernadete Ten Caten, Carlos Martins e Miriquinho Batista, do PT, e Bira Barbosa, Bosco Gabriel e José Megale (PSDB).

A sessão foi dedicada ao Mestre Verequete, um dos maiores divulgadores do carimbó, que morreu aos 93 anos no início da tarde desta terça-feira (3).

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Pará

MARABÁ: Mercado Municipal em Morada Nova é inaugurado

Publicado

em

O Mercado Municipal de Morada Nova Lúcia Mendes foi entregue pela Prefeitura de Marabá, na sexta-feira (30), em meio a uma cerimônia que teve a presença do prefeito Tião Miranda, do vice Luciano Dias, do deputado federal Cristiano Vale, dentre outras autoridades políticas e lideranças comunitárias, inclusive a família da professora Lúcia Mendes, a homenageada. Os feirantes e comerciantes do mais novo equipamento público do distrito já iniciaram as atividades. 

“Aqui é um mercado que vai suprir as necessidades de Morada Nova e dessa região. É um mercado muito bom, com uma boa estrutura, estacionamento, acesso fácil. É mais um ganho pra Marabá, pra Morada Nova”, destaca o prefeito Tião Miranda. 

Luciano Dias, vice-prefeito, também enfatiza a valorização daquela região pela prefeitura que vem investindo em diversas frentes em Morada Nova, a exemplo da reforma do ginásio Erlon, e da pavimentação de ruas como a Piauí. 

“Esse todo faz parte de um plano de melhoramento das condições de Morada Nova que a prefeitura vem fazendo, aliado, a outras obras que vieram pra cá e estão em execução na região. Já reformamos todas as escolas com exceção da Arco Íris que em breve será reformada também, iluminação pública e asfalto”, salienta. 

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Bairros Cidade Nova e Bom Planalto recebem recuperação de vias

Publicado

em

A manhã desta segunda-feira (2) foi de muito trabalho para as equipes de recuperação de vias do SSAM (Serviço de Saneamento Ambiental de Marabá). As máquinas, caçambas, motoniveladora e rolo compressor estavam a todo vapor no trabalho de manutenção de vias públicas.

De acordo com Nilton Amorim, responsável pelas equipes, o objetivo é permanecer durante toda a semana em um trecho entre os bairros Cidade Nova e Bom Planalto. “Estamos com a equipe nossa ideia é fazer a manutenção do máximo de ruas aqui na Cidade Nova e Bom Planalto”, disse.

Somente nesta segunda-feira (02), três ruas receberam os serviços, são elas: Vital Brasil, Manoel Abreu e Marechal Rondon. Em todas elas foram utilizadas aterro, retirada de entulhos e limpeza de meio-fio. As máquinas também realizaram a terraplanagem da pista recuperando alguns trechos danificados.

Os moradores ficaram satisfeitos com a realização dos serviços. De acordo com o morador Jair Sepulcro de Souza, muitos trechos estavam bastante difíceis de passar e alguns pontos os buracos apresentavam um risco para os motoristas e os ciclistas.

“Os serviços chegaram em boa hora porque aqui antes era muito ruim e estava ficando pior aqui tinha trecho que até de moto estava difícil e todos os vizinhos estão satisfeitos com as máquinas nas ruas”, disse Jair Sepulcro.

As máquinas devem continuar nos bairros até sexta-feira (06) com a finalização dos serviços de manutenção de ruas. (Victor Haôr / Fotos: Sérgio Barros)

Continue lendo

Pará

Paragominas e Palmas empatam na Arena Verde

Publicado

em

Daylon marcou para o Paragominas, aos 24 minutos do primeiro tempo e aos 29, também da etapa inicial, Tchô empatou para o Palmas, a partida que terminou empatada por 1 a 1, na tarde deste domingo, no Estádio Arena Verde, em Paragominas. A partida foi válida pela nona rodada do Grupo 2 do Brasileiro da Série D.

SITUAÇÃO NO CAMPEONATO

Com o resultado, as equipes não avançam na competição. O Paragominas segue na sexta colocação com dez pontos, enquanto o Palmas permanece na sétima colocação com oito pontos.


O JOGO

A partida não foi movimentada até pouco mais da metade do primeiro tempo, quando as duas equipes buscaram e conseguiram fazer os gols. Mas no segundo tempo a partida caiu de produção, a marcação forte foi amarrando a partida e praticamente nenhuma chance clara foi criada. Apenas chutes sem muito perigo de fora da área.

PRÓXIMOS JOGOS

Na décima rodada, no próximo sábado (7), o Palmas recebe em casa, às 16 horas, no Estádio Nilton Santos, o último colocado da chave, o Tocantinópolis, que soma sete pontos. A partida ocorrerá no Estádio Nilton Santos, na capital tocantinense. É o clássico regional tocantinense.
Já o Paragominas recebe no domingo (8), o Juventude Samas (MA), às 16 horas, no Estádio Arena Verde, em Paragominas. (Futebol Interior / Foto: João Botelho)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze