- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
segunda-feira, 08 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Maurino consegue nova liminar e reassume Prefeitura de Marabá

Mais Lidas

Diferentemente do que aconteceu nas outras duas vezes em que foi cassado este ano pela Justiça e conseguiu liminar para retornar, sendo recebido por dezenas de correligionários e servidores municipais ainda no Aeroporto de Marabá, desta vez o retorno de Maurino Magalhães ao cargo de prefeito foi mais modesto. Ele desceu de um veículo às 15h40 desta quinta-feira, 10, na porta da Prefeitura, onde um grupo mais modesto de servidores o aguardavam.

Animado, o prefeito cumprimentou todos eles, até que um dos servidores, mais empolgado, ensaiou levantá-lo, como faziam no Aeroporto. Em seguida, Maurino dirigiu-se para um mini-auditório, onde foi recebido pelo presidente da Câmara, Nagib Mutran, que havia assumido o cargo em seu lugar.

Ao começar a discursar, ele chorou, agradeceu a Deus por estar de volta à Prefeitura, a Nagib por não ter promovido mudanças drásticas no governo e neste instante chorou. “Ás vezes pergunto por que tudo isso? Mas a resposta é muito clara. Quando a gente vai para Bíblia, temos a resposta. Não teve nenhuma das pessoas que foram escolhidas por Deus para governar uma cidade, principalmente em momentos de crise, para não ser perseguida”.

Maurino citou exemplos de Elias, Daniel, Davi, Saul e os três amigos de Daniel, Sadraque, Mesaque e Abdnego. “Como Deus protegeu todos eles, não tenho medo de dizer que cada dia fica muito mais forte. Eu sei que foi o próprio Deus quem agiu, como ele fez com aqueles três homens lançados na fornalha ardente”.

Maurino Magalhães e Nagilson Amoury foram reintegrados aos cargos nesta quarta-feira (9) por decisão liminar do juiz José Rubens Barreiros de Leão, membro do TRE, na Ação Cautelar Nº 122139. A liminar confere efeito suspensivo à sentença que cassou os mandatos do prefeito e do vice. Tão logo o Cartório da 100ª Zona Eleitoral foi comunicado, a juíza Claudia Moura mandou oficiar ao vereador Nagib Mutran, presidente da Câmara, ao deputado João Salame Neto e ao Ministério Público Eleitoral.

Segundo o despacho do juiz José Rubens Barreiros de Leão, a alternância no comando do poder Executivo, com o afastamento do prefeito e do vice “poderá gerar insegurança jurídica, graves riscos às finanças públicas, além de sérios prejuízos a continuidade dos serviços prestados à população”, sendo prudente aguardar a manifestação do plenário do Tribunal Regional Eleitoral sobre os recursos impetrados pela defesa dos acusados.

Questionado sobre quando vai pagar os salários dos funcionários da Prefeitura, uma vez que apenas os da Educação e Saúde receberam, Maurino usou uma frase lacônica: “Estou chegando agora”. Ele não deu data para isso e afirmou que iria primeiro tomar ciência da situação financeira do município. “Em quase três anos de administração não tinha atrasado o pagamento na minha gestão. Garanto que a partir do próximo mês faremos de tudo para normalizar o pagamento”.

O prefeito avaliou que sua saída do cargo trouxe uma instabilidade muito grande para o município e que chegou a falar em inimigos, mas não nominou nenhum, mesmo sob questionamento da reportagem.

O pagamento dos servidores da saúde foi pago no final da manhã por Nagib Mutran, que assinou os cheques ao lado do secretário de Saúde, Paulo Geraldo. “Foram os únicos cheques que assinei no curto período que fiquei na prefeitura. Dei prioridade aos servidores”, disse Nagib. (Correio Tocantins)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias