Connect with us

Pará

PARÁ: Médico acusado de abuso sexual sai do presídio

Publicado

em

para1O médico anestesiologista Mauro Coelho Ribeiro, acusado de abusar sexualmente de uma adolescente de 14 anos, foi liberado do Presídio Estadual Metropolitano, em Marituba, por conta de um habeas corpus concedido pela desembargadora Albanira Bemerguy. Após ser libertado, o médico conversou pela primeira vez com a imprensa para defender sua inocência.

“Eu me sinto indignado com a atitude de uma autoridade policial, que ouvindo uma acusação irresponsável de uma menor, que corria risco de vida por causa de um aborto provocado, mandou me prender”, afirmou. Ele disse também que em nenhum momento ficou sozinho com a adolescente. “Ela mentiu, não sei o que levou essa jovem a fazer isso”, acrescentou Mauro.

Mauro Ribeiro foi preso na quarta-feira da semana passada, após ter sua prisão em flagrante decretada pela acusação de estupro de vulnerável, contra uma adolescente que se submeteu a um procedimento de curetagem na Santa Casa de Misericórdia do Pará no dia anterior à sua prisão. Vários parentes do médico, inclusive seus pais, foram à porta do presídio para aguardar sua liberação.

“Meu filho tem 23 anos de profissão, ele salva a vida das pessoas, só faz o bem. Não sei o que deu nessa menina pra inventar essa história”, disse a mãe do médico, Regina Ribeiro. “Agora ele vai responder o processo em liberdade. A prisão em flagrante foi arbitrária, ele foi abordado por dois investigadores da Polícia Civil no dia seguinte ao fato (que gerou a acusação) e, chegando na delegacia, a delegada mandou prendê-lo em flagrante”, disse o advogado Arthêmio Leal.

O advogado de defesa acrescentou que, mesmo considerando a prisão arbitrária, não pretende, por enquanto, responsabilizar judicialmente o Estado ou a autoridade policial pelo fato. “Vamos aguardar a conclusão do processo”, afirmou.

O caso

O médico anestesiologista Mauro Coelho Ribeiro foi preso no último dia 21, acusado de abuso sexual contra uma garota de 14 anos, submetida a um procedimento de curetagem no Hospital da Santa Casa de Misericórdia, após sofrer um aborto espontâneo.

Justiça condenou 2 profissionais

O DIÁRIO DO PARÁ teve acesso a dois processos envolvendo profissionais da Medicina, condenados por abusar de menores de idade este ano. A primeira condenação saiu em março de 2009, envolvendo um famoso e renomado cardiologista de Belém. Ele teria praticado atos libidinosos contra uma adolescente de 17 anos, em 2008, dentro do seu consultório. Como não houve conjunção carnal, o médico foi condenado ao pagamento de cestas básicas a uma instituição de atendimento social, fato não divulgado à época do ocorrido.

Outro caso igualmente sério e que não teve repercussão pública foi o que condenou o médico Sinval dos Passos Lyra a 12 anos e seis meses de prisão em regime fechado na Penitenciária de Americano. Sinval é acusado de estuprar uma menor de 14 anos, no município de Soure, no Marajó, onde trabalhava. No dia 9 de setembro de 2008 ele teria forçado a vítima a manter relações sexuais dentro de um carro. A sentença foi dada dia 7 de outubro. O médico apenas aguarda transferência para Belém. Além dele, foi condenada a oito anos e nove meses de reclusão, Fernanda Lima Gomes. Ela teria assediado a vítima a entrar no carro do médico e forçado-a a se relacionar com ele.

“Os dois casos são importantes por terem tido sentença favorável à denúncia. Isso é um avanço significativo”, afirma Marinor Brito, coordenadora do Fórum Municipal de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Para ela, os casos estão ganhando repercussão e condenação exemplar, devido à pressão da opinião pública. “É muito raro a conclusão da sentença. Isso acontece hoje, graças à pressão da sociedade civil e das CPIs. O que queremos agora é o real cumprimento da sentença. Os processos estão sob vigilância da sociedade civil”, garante.

Marinor diz que uma das funções do Fórum é fazer o monitoramento de questões pertinentes à rede de proteção e dos casos de abuso contra crianças e adolescentes. O Fórum promete, inclusive, uma mobilização para o depoimento do ex-deputado Luiz Sefer, no Tribunal de Justiça do Estado no próximo dia 27. “O Fórum também deve entrar com uma representação no Conselho Regional de Medicina para cassar o diploma desses médicos”, promete.

A reportagem tentou contato com o Conselho Regional de Medicina para comentar a conduta dos médicos, mas não conseguiu. (Diário do Pará)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Pará anuncia medidas para população afetada por interdição de ponte

Publicado

em

O ferry boat está garantindo o transporte gratuito de pessoas e veículos

O governo do Pará e a prefeitura de Belém anunciaram uma série de medidas para minimizar e reparar os prejuízos e os transtornos que a interdição da ponte Enéas Martins causou à população da Ilha do Outeiro, um distrito da capital paraense.

Na última segunda-feira (17), os órgãos de segurança interromperam o trânsito de veículos e de pedestres, bem como a navegação de embarcações próxima ao local, logo após serem alertados de que um pedaço da ponte tinha se desprendido sobre o Rio Maguari e uma rachadura se abriu ao longo da via.

Segundo o governo estadual, testemunhas afirmam ter visto uma balsa se chocar contra o pilar central da ponte. Após a interdição, técnicos que vistoriaram a estrutura constataram danos em dois dos pilares de sustentação. A Polícia Civil, no entanto, não descarta a hipótese de os problemas terem sido causados por uma sucessão de colisões.

“Estamos fazendo perícias e, em breve, vamos divulgar a dinâmica: se foi uma embarcação que provocou a queda ou [se foram] sucessivos choques, de diversas embarcações”, disse o delegado Daniel Castro a jornalistas, ontem (23).

Na mesma coletiva de imprensa, o secretário estadual de Transportes, Adler Silveira, anunciou que o governo estadual vai construir uma nova ponte para interligar os distritos de Outeiro e Icoaraci

A nova ponte, de 360 metros de comprimento, utilizará o sistema de cabos-estais, ganhando uma espécie de mastro central onde serão afixados os cabos de aço que sustentarão seu peso. Segundo o governo estadual, a solução permitirá a ampliação do vão de navegação dos atuais 60 metros para 100 metros, aumentando a segurança da navegação. Os pilares remanescentes e todo o resto da estrutura deverão ser integralmente restaurados.

Segundo o secretário estadual de Transportes, as obras começarão imediatamente e devem ser concluídas em até sete meses. A rapidez deve-se ao fato de que o governo estadual será dispensado de selecionar a empresa responsável por meio de licitação pública, conforme destacaram os representante do Ministério Público de Contas do estado, Patrick Bezerra, e do Tribunal de Contas estadual, Marcelo Aranha.

“Necessário frisar que todas as informações das obras devem ser disponibilizadas para análise do Tribunal de Contas para que colaboremos com os órgãos de controle”, disse Aranha. “Na medida em que a fiscalização avançar, encaminharemos as conclusões à Setran para as medidas cabíveis.”

Para permitir que as milhares de pessoas que vivem na Ilha do Outeiro acessem a área continental e que turistas atraídos pela orla urbanizada da ilha façam o caminho inverso, o governo estadual disponibilizou barcos e balsas que estão fazendo a travessia ininterrupta de veículos e pedestres. Nas lanchas rápidas que transportam passageiros entre a ilha e o Trapiche de Icoaraci, a travessia dura cinco minutos. Já nos ferry-boats destinados a transportar veículos entre o porto da Brasília, em Outeiro, e o Terminal Hidroviário de Belém, a viagem pode durar cerca de 1 hora.

Prefeitura

A prefeitura de Belém também anunciou, ontem, medidas emergenciais e assistenciais que contemplam os moradores de Outeiro afetados pela interdição da ponte. Uma das medidas busca ampliar o número de beneficiários do programa Bora Belém entre as famílias residentes no distrito que vivem em extrema pobreza. Executado em conjunto com o governo estadual, o programa repassa de R$ 150 a R$ 450 mensais a cada família, conforme o número de filhos.

Outra medida contemplará, por pelo menos seis meses, os donos e os funcionários das barracas de praia, que receberão uma ajuda de R$ 500, e os trabalhadores autônomos e informais cadastrados pela prefeitura, que receberão R$ 300. No total, a prefeitura prevê um investimento da ordem de R$ 1 milhão para auxiliar os profissionais ligados ao atendimento turístico.

Segundo o prefeito Edmilson Rodrigues, o Banco do Povo de Belém também vai abrir uma linha de crédito solidário de R$ 1 milhão para emprestar aos pequenos empreendedores do distrito recursos para a manutenção de capital de giro e para cobrir custos fixos.

Além disso, a prefeitura promete outros investimentos em saúde e em ações sociais. “Apresentamos um conjunto de ações imediatas como o reforço das Unidades de Saúde, o aumento de funcionários, garantia de uma ambulancha [ambulância náutica], intensificação da vacinação e a instalação da Unidade Fluvial de Saúde, inaugurada recentemente para atender a população”, afirmou Rodrigues. (Alex Rodrigues)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Sinobras doa mil recargas de botijões de gás para famílias desabrigadas

Publicado

em

A Prefeitura de Marabá recebeu, na manhã desta segunda-feira (24), por meio de doação da empresa Aço Cearense/Sinobras, mil recargas de botijões de gás de cozinha para serem doadas às famílias desabrigadas pela enchente do rio Tocantins, que já atingiu mais de 4 mil famílias.

O termo de assinatura, feito no gabinete do Prefeito Sebastião Miranda Filho, contou com a presença do Gerente de Suprimentos da empresa, Rayner Caldeira Leite. “É uma satisfação muito grande para a Sinobras, pois estamos sempre apoiando as prefeituras e a comunidade e acompanhando tudo que está acontecendo e focado nas necessidades. Neste final de semana, fizemos a doação de 4.000 cestas básicas e agora a doação de mil recargas de gás para a população e estamos sempre dispostos a ajudar”, afirmou Rayner Caldeira Leite.

A Prefeitura de Marabá, através da Defesa Civil e Secretaria de Assistência Social, montará uma estratégia para realizar a distribuição do gás de cozinha para que possa atender as famílias. A pessoa leva o botijão vazio e volta com ele cheio.

“A Sinobras sempre foi parceira da cidade de Marabá e sempre nesses momentos difíceis, nesse estado de emergência, como estamos agora, na enchente, veio nos trazer essa ajuda de 1.000 botijões de gás e esse gás vai dar um gás a mais para essas pessoas que estão nos abrigos. São botijões cheios que trocaremos por vazios e vai servir para essa comunidade mais pobre que está com muita dificuldade nesse momento”, destacou Sebastião Miranda Filho, Prefeito de Marabá.

Continue lendo

Pará

Assista o Conexão Rural deste final de semana – Dias 22 e 23

Publicado

em

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze