- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 19 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Rede hospitalar ganhará unidades de coleta de sangue de cordão umbilical

Mais Lidas

No primeiro semestre deste ano a rede hospitalar do estado ganhará duas unidades de coleta de sangue de cordão umbilical e placentário nas maternidades da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMP) e Hospital de Clínicas “Gaspar Viana”. O serviço faz parte do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP) da Fundação Hemopa, que está realizando a fase de treinamento dos profissionais que atuarão nas duas unidades.

O Banco aumentará as chances de localização de doadores para pacientes que necessitam de transplante de medula óssea, através da disponibilidade de células tronco de cordão umbilical e placentário. O projeto é inovador e prevê somente no primeiro ano de funcionamento cerca de mil coletas.

As unidades funcionarão dentro dos centros obstétricos dos referidos hospitais de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h. O material coletado será enviado e armazenado no Laboratório de Criopreservação do Hemopa, que disponibilizará futuramente aos centros transplantadores.

Para a responsável técnica do Banco de Sangue de Cordão Umbilical, a dra. Ana Luiza Meireles, esse serviço é uma esperança de vida para tantas pessoas que poderão contar com esta nova opção de tratamento médico, voltado principalmente para patologias hematológicas, como o paraense Marcos Antônio Alves Timbó, de 28 anos, natural do município de Altamira (898 Km de Belém), que há dois anos luta pela vida, em busca de doador compatível para a cura da aplasia medular.

A unidade de coleta da Santa Casa conta com uma enfermeira habilitada validando a rotina de coleta, por se tratar de um período de treinamento, para que a criopreservação viabilize o transplante, explicou, enfatizando que podem participar do programa mães com menos de 36 anos, cujo bebê venha nascer com idade gestacional maior de 35 semanas e peso superior a dois quilos. Antes do parto a mãe deverá passar por uma triagem clínica.

A doação do sangue de cordão umbilical não causa danos para a mãe e nem para o bebê e só pode ser feita com a autorização da mãe. A coleta beneficiará pacientes que precisam de transplante de medula óssea e que não encontraram doador familiar compatível.

No próximo dia 21, a diretoria do Hemopa reunirá com técnicos do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para definição e avaliação de custos e capacitação. O BSCUP do Pará faz parte da Rede Brasilcord, criada pelo Ministério da Saúde, sob a coordenação do Instituto Nacional do Câncer, para expandir esse serviço no país e aumentar de 35% para 90% as chances de encontrar doador compatível. (Vera Rojas)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias