Connect with us

Pará

PARÁ: Remo e Paysandu fazem hoje o primeiro clássico

Publicado

em

São muitos os movimentos separatistas no Pará. Pois bem, pelo menos no dia de hoje, o Estado acordou dividido. De um lado, os azulinos. Do outro, os bicolores. É Re-Pa! Não há momento mais emocionante no futebol paraense. Tudo é diferente em uma partida que, na verdade, começa muito antes da bola rolar. E o clássico de número 702 entre Clube do Remo e Paysandu, a partir das 16h, no Mangueirão, tem tudo para ser um dos maiores e melhores dos últimos tempos na decisão do Campeonato Paraense.

O futebol tem magia, é enigmático. Porém, nada se compara a um clássico entre Clube do Remo e Paysandu. Dizem por aí que Fla-Flu ou o Gre-Nal consegue ser empolgante, mas me desculpem os cariocas e os gaúchos. O Re-Pa consegue mexer com o íntimo do torcedor paraense. É capaz de arrepiar. Se fosse o contrário, como entender que mesmo um estando na Série C e o outro sem divisão, lá estão os paraenses guardando uns trocados, retirando a camisa azul-marinho ou a azul-celeste do guarda-roupa e se preparando para incentivar seu clube do coração? Quem mais faz isso?

E tudo está conspirando a favor de um grande espetáculo na tarde de hoje: o Remo é disparado o time de melhor campanha. O Paysandu cresceu no momento decisivo, e isso sempre conta no embate. O que o Re-Pa tem de igual com relação aos outros clássicos? Não há favoritismo, jamais. Como se não bastasse, os rivais vêm de vitória, estão classificados para a segunda fase da Copa do Brasil e não se enfrentam em decisão de turno desde 2008. Haja incentivo para que os mais de 40 mil apaixonados compareçam ao solo sagrado do futebol do Estado.

Os personagens? Com eles, aumenta a chama do Re-Pa. Heliton e Moisés, as grandes revelações. Adriano e Favaro, quem é o verdadeiro paredão? Sandro e Gian, rixa antiga. Charles e Sinomar, quem tem mais estrela? O torcedor não considera os 22 jogadores que entrarão em campo na tarde de hoje como tais. São muito mais que isso. São representantes de duas grandes nações capazes até mesmo de deixar de comer para garantir o seu ingresso e incentivar seu time de coração. Por isso, sacode a bandeira, Fenômeno Azul. Solta o grito, Avalanche Bicolor. O coração já pulsa forte pelo início do clássico mais disputado do futebol brasileiro. Chegou a hora.

Bicolores querem superar o desentrosamento

Não existem dúvidas que o Paysandu tem sede de acertar. A ânsia é tão grande, que a diretoria de futebol não brinca em serviço e está sempre à procura de algum jogador bom, que possa contribuir com o plantel na temporada. A atitude é constantemente criticada, entretanto, se é certo ou errado contratar em demasia, o grupo de jogadores do presidente Luiz Omar Pinheiro chegou lá e hoje encara o primeiro duelo com o Remo, pela conquista da Taça Cidade de Belém.

Para esse primeiro jogo, o time será diferente de todas as formações dos compromissos anteriores, e tem chances de jogador que chegou sexta-feira, o meio-campo Alexandre, ser escalado por Charles Guerreiro, um risco que o alviceleste corre no embate com o entrosado elenco azulino. Entretanto, na provável escalação, a julgar pelo coletivo de sexta-feira (12), o Paysandu vem com duas alterações em relação ao time que entrou no início da última partida. Para o lugar de Zeziel entra Thiago Potiguar, sendo que a dúvida reside no ataque, com a contusão de Didi, que nem chegou a treinar no último coletivo.

O atacante Bruno Rangel, opção para o lugar de Didi, aposta suas fichas nessa nova oportunidade que terá como titular do manto sagrado alviazul. Isso, claro, se não houver mais mudanças de última hora. “Estou preparado. É uma nova oportunidade, o professor Charles confia em mim. O que eu espero é que o grupo possa fazer um bom jogo no domingo (hoje), seja entrando no primeiro tempo ou no segundo tempo”, fala, com a ansiedade de quem sabe que, dependendo do seu desempenho, pode ir do céu ao inferno.

Leão Azul mantém base e seu estilo de jogo

Embora não claramente, o lado remista gaba-se de ter uma formação definida desde o início do Estadual. Não haverá surpresa, salvo algum problema de última hora. O fato facilita até o entrosamento dos recém-chegados, como o zagueiro Márcio Nunes. “É claro que temos que cuidar de alguns detalhes, como ter atenção redobrada na defesa, já que se trata de um gramado com dimensões maiores”, explicou Nunes, substituto do zagueiro e capitão, Pedro Paulo, suspenso, em alusão ao Mangueirão.

O xerife planeja dificultar as ações dos adversários, sobretudo, do veloz Moisés. Márcio tem a receita para pará-lo. “Sempre que possível, diminuir o espaço. Quando não for possível, não dar o bote para que a gente não seja surpreendido e ele sair de cara com o nosso zagueiro”, ensinou.

Além dele, a título de comparação, há outra alteração na equipe que jogou e arrancou o empate no primeiro Re-Pa da temporada. A saída do lateral Índio. Ele ainda não se firmou e Levy, que o substitui no primeiro encontro entre os titãs, é o titular há aproximadamente um mês. “Não tem porque (mexer). Temos o ataque mais positivo do campeonato e uma das defesas menos vazadas”, apoiou-se Sinomar Naves. (Diário do Pará)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Bairros Tropical e Jardim Ipiranga recebem mutirão de limpeza

Publicado

em

Dando continuidade ao mutirão de limpeza realizado na cidade, as equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb) estão nesta semana nos bairros Tropical I, II e Jardim Ipiranga. 

Antes de iniciar o mutirão nesses locais, a equipe de educação ambiental juntamente com os fiscais de urbanismo desenvolveram uma ação educativa de porta em porta para comunicar aos moradores sobre o mutirão e também falar a respeito do acondicionamento correto do lixo e ainda sobre limpeza dos lotes.


De acordo com o coordenador de educação urbana da Semurb, Daniel Barros, a ação tem a proposta de intensificar a limpeza geral na cidade, com a colaboração dos moradores. “Estamos nos bairros tropical I e II e Ipiranga. Uma semana antes de iniciar os serviços percorremos os bairros avisando nas residências e também colocamos carro som nas ruas sobre ação”, explicou o coordenador. 

“Também conversamos sobre o lixo domiciliar, pois algumas pessoas ainda colocam pra fora nos dias e horários inadequados, por isso pedimos a colaboração dos moradores para que façam o acondicionamento nos dias e horários corretos. E ainda falamos sobre a limpeza dos lotes”, concluiu Daniel.  

Além da retirada de entulhos e galhadas, as ruas recebem capina e roçagem. O mutirão segue em outros locais do município, conforme cronograma que será divulgado pelo Semurb. (Liliane Diniz / Foto: Oril Lima)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Km7 e Transmangueira recebem serviço de tapa-buraco

Publicado

em

Na manhã desta terça-feira (4), as equipes estavam divididas na Nova Marabá, nas proximidades da UBS Mariana Moraes e no KM 7. Quatro ruas do bairro receberam recuperação da camada de asfalto e também recuperação das sarjetas, melhorando o escoamento da água pluvial.

Do km 7, a equipe seguiu para a Transmangueira, área de divisão entre a Velha Marabá e Nova Marabá. Na programação desta semana, há ainda os bairros de Belo Horizonte e São Félix.

Manoel Penha, responsável pela equipe Tapa-Buraco da Sevop, diz que os serviços seguem uma programação semanal que visa atender todos os bairros.

“Com o serviço melhora o tráfego e vamos fazendo de acordo com a demanda. É uma questão de segurança e agora com o verão vamos aumentando os serviços”, disse Manoel Penha.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Novo Decreto aumenta flexibilização

Publicado

em

O Decreto Municipal n° 195, que entrará em vigor amanhã, dia 6, flexibiliza abertura de bares, comércio de rua, atividades físicas, aulas de danças ao ar livre, a serem realizadas em espaço público, como também das arenas de futebol, academias de ginásticas e escolinhas de todas as modalidades esportivas. Entretanto, as fiscalizações continuam intensas quanto às restrições de limite de público e respeito aos protocolos sanitários estabelecidos pela Divisão de Vigilância Sanitária do município. Essa abertura só ocorreu após a apresentação de um plano de trabalho de protocolos de prevenção e precaução à Covid-19 apresentado pelos donos de bares.

De acordo com o decreto, o funcionamento do comércio de rua deve obedecer o horário de 8 às 18 h, de segunda à sábado. No caso das arenas de futebol, academias de ginásticas e escolinhas de todas as modalidades esportivas ficam restringidas a funcionarem até 22 horas, respeitando o limite de público de 30% da capacidade total. As competições amadoras e amistosos estão proibidos, bem como a presença de torcidas nesses espaços.

 “Assim como as academias e depois as escolinhas de futebol, dessa vez conseguimos incluir as arenas de futebol neste novo decreto. Sempre com muito respeito e cuidado com a saúde pública e cobrando todos os protocolos sanitários. Mais um passo em direção à normalidade”, destaca o secretário municipal de esporte e lazer, Thiago Miranda.

Os cinemas ficam autorizados a funcionar com 30% (trinta por cento) da capacidade total, respeitado o protocolo sanitário estabelecido pela Vigilância Sanitária do Município de Marabá. Desta feita, os bares, restaurantes, lanchonetes, pizzarias e congêneres ficam limitados a funcionar com 30%(trinta por cento) de sua capacidade total, com horário de funcionamento até o limite de 23 (vinte e três) horas, sob pena de cassação de Alvará de Funcionamento, respeitado o devido processo legal. 

Apesar da flexibilização, a Divisão de Vigilância Sanitária de Marabá (Divisa) seguirá com as ações de fiscalização com equipes, em cada núcleo realizando rondas nesses estabelecimentos que já constam nos dados do órgão.

“Nós fazemos fiscalizações que já resultaram, inclusive, em interdições de alguns espaços. Com o novo decreto, nosso monitoramento continua sempre buscando cumprir com as determinações sanitárias e de capacidade máxima desses locais”, ressalta Daniel Soares, coordenador da DIVISA. O decreto municipal n°195 entra em vigor a partir desta quinta-feira, 6 de maio.

O leitor acompanha em anexo o conteúdo completo do decreto, clicando AQUI

(Emilly Coelho e Ronaldo Palheta)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze