- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 19 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Seduc e BID traçam diagnóstico da Educação

Mais Lidas

Identificar os principais problemas e traçar metas que alavanquem a educação no estado do Pará são as prioridades do estudo técnico que vem sendo feito pela Secretaria De Estado de Educação (Seduc) em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e que vai resultar na elaboração de um diagnóstico sobre a educação no Pará. O estudo também é tema de um workshop que começou na segunda-feira, 16, e segue até quarta, 18, no auditório do Centro Integrado de Governo (CIG), reunindo representantes da Seduc e do BID.

No primeiro dia do encontro, a avaliação dos trabalhos foi satisfatória. De acordo com Nilson Pinto, secretário de Estado de Educação, os diagnósticos apresentados pela Secretaria e pela instituição financeira sobre os dados do setor educacional são quase idênticos. “O dia foi muito produtivo. Identificamos os nossos problemas educacionais e os desafios a serem superados. Coincidentemente, o diagnóstico apresentado por eles é bastante parecido com o nosso, assim como os indicadores dos censos educacionais”, explicou o secretário.

Participam ainda do workshop Cláudio Ribeiro, secretário adjunto de Ensino, e Marcelo Aflaro, um dos assessores do BID, além dos coordenadores e diretores dos Ensinos Fundamental e Médio e das Escolas Tecnológicas da Secretaria de Educação (Seduc).

Dentre as necessidades a serem trabalhadas estão a maior cobertura da rede estadual com o aumento no número de vagas e melhoria da qualidade do ensino. “Estamos buscando os caminhos possíveis para superar os problemas, e qualificar melhor os professores é o primeiro passo”, acrescentou Nilson Pinto. O quadro apresentado no primeiro dia do evento contemplou a educação básica paraense, dentro das modalidades do ensinos Médio, Infantil, Fundamental e Profissionalizante.

O encontro marca o primeiro passo para o desenvolvimento de atividades visando a estruturação da chamada carta-consulta – documento onde constarão propostas para as melhorias do setor educacional do estado do Pará. “Vamos identificar os pontos  críticos e desenvolver mecanismos que possam garantir soluções em todas as áreas, seja pedagógica, de gestão ou outras”, frisou o secretário Cláudio Ribeiro.

Na sequência, foi a vez dos representantes do BID apresentarem suas análises comparativas da educação no Pará com os demais estados das regiões Norte e Nordeste. Segundo Marcelo Aflaro, o Pará precisa trabalhar para melhorar o índice educacional, que ainda apresenta números elevados de evasão escolar, de reprovação e de professores sem a formação adequada. A rede estadual, por meio do Plano de Formação Plataforma Freire (Parfor), já conta com quase 16 mil docentes aprovados, mas a meta é colocar nas escolas da rede pública 40 mil professores com nível superior.

Entre as melhorias citadas pela Seduc estão a construção de 14 escolas tecnológicas, 17 escolas indígenas, além de centenas de obras de reforma e construção de prédios escolares, demanda a ser custeada por um financiamento internacional que deve estar disponível para execução em 2012. Mas antes disso, o projeto de financiamento deve passar por instâncias como o Senado Federal e o Ministério do Planejamento. A reunião do grupo técnico prossegue nesta terça e quarta-feira.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias