- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
domingo, 03 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Seidurb retoma obras no bairro Francisco Coelho, em Marabá

Mais Lidas

O titular da Secretaria de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb), Márcio Spíndola, esteve em Marabá, no sudeste do Pará, para manter contatos e intensificar gestões em busca de uma solução para o reinício das obras de urbanização e saneamento no bairro “Francisco Coelho”, mais conhecido na cidade como “Cabelo Seco”. A obra foi contratada em 2008, mediante convênio entre o governo do Estado e o governo federal, e teve licitação vencida pelo consórcio Arte Marabá, composto por duas empresas.

Do projeto contratado constam a construção de um cais de arrimo na orla do rio Itacaiúnas, com extensão de 300 metros, quase chegando ao encontro do rio Tocantins, e a construção de um conjunto habitacional com 80 unidades, com toda a infraestrutura necessária, incluindo 1,2 mil ligações de água tratada e 500 unidades de solução individual de esgoto, com fossa e filtro, no núcleo da Marabá Pioneira. O projeto também contempla algumas obras de drenagem.

Para Márcio Spíndola, a obra foi paralisada, mesmo com sua importância social. O empreendimento vai beneficiar 80 famílias e revitalizar e urbanizar uma área degradada. O projeto passou três anos parado e foi repassado à nova gestão estadual com um passivo de 48 famílias desalojadas de seus imóveis, que recebem auxílio-moradia de R$ 330 – recurso que estava três meses atrasado, deixando os beneficiários em situação de carência quase total. A primeira providência do governo foi regularizar imediatamente este repasse.

Recursos

“Encontramos também problemas técnicos no projeto do cais de arrimo. A primeira enchente do Itacaiúnas causou o desabamento de parte da estrutura que estava sendo construída. Outro problema, este de ordem administrativo-financeira, é a glosa da aferição da Caixa Econômica Federal, de serviços na ordem de R$ 820 mil. Isso ocasionou o retardamento do processo de liberação dos recursos “, continua o secretário, revelando que somente após a análise e elaboração de um novo projeto para o cais de arrimo é que se tornou possível a aprovação do novo financiamento, liberado, enfim, em junho deste ano.

Além disso, segundo Márcio Spíndola, a empresa contratada apresentou baixo rendimento, aquém do cronograma aprovado. “Já tínhamos percebido que a empresa era de médio porte, mas como ela tinha se comprometido a fazer os serviços e tinha firmado um contrato, e até para não gerar aquela queixa recorrente de revanchismo por ter sido contratada no governo anterior, demos um prazo para que pudesse tocar a obra, e ela não tocou, o que nos obrigou a providenciar a rescisão do contrato com o consórcio Arte Marabá”, informa.

Será convocada a segunda colocada na licitação de 2008, o consórcio Marabá, composto pelas empresas Mauá Junior e Construfox. “Após reuniões estamos providenciando o novo contrato. Vencida essa etapa exigida por lei, estaremos reiniciando as obras de saneamento e urbanização no bairro ‘Francisco Coelho’ na primeira quinzena de setembro”, adianta o secretário.

Márcio Spíndola participa, quinta-feira (25), de reunião no Ministério das Cidades, em Brasília, em conjunto a Caixa Econômica, para debater um novo cronograma das obras e garantir o empenho do Estado em sua execução, em sintonia com os novos prazos de liberação de recursos acordados com a instituição financeira.

Do novo projeto de urbanismo vai constar a construção de um mirante, em local estratégico, na confluência dos rios Itacaiúnas e Tocantins. O local deve se transformar em novo ponto turístico de Marabá.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias