- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 05 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

PARÁ: Vendedores de açaí vão combater Doença de Chagas

Mais Lidas

Até o final deste ano, os batedores de açaí terão acesso a linhas de crédito para combater a contaminação do alimento pelo inseto que transmite a doença de chagas. Os recursos serão oferecidos para aquisição do equipamento elétrico que permite o branqueamento do fruto, uma espécie de esterilização, cuja eficácia é comprovada e que mata qualquer tipo de bactéria, para garantir a qualidade do açaí que chegará à mesa do paraense. A Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), a Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) e a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) já se reuniram com o Banco da Amazônia e o Banco do Brasil, dos quais receberam sinalização positiva para a viabilização desse crédito com juros ‘interessantes’, informou o titular da Sagri, Hildegardo Nunes.

O secretário explicou que existe um Programa de Qualidade do Açaí, criado na primeira gestão do governador Simão Jatene, cujo decreto foi reeditado recentemente, por conta do ressurgimento de casos da Doença de Chagas no Estado. ‘Essa situação em específico fez com que se reunissem três grupos a fim de trabalhar esse programa. O primeiro grupo é o nosso com a Adepará, que conduz as discussões sobre financiamentos. O segundo une a Sespa e o Sebrae para criar um material de divulgação relacionado às medidas de prevenção do Mal de Chagas, e o terceiro, que conta com a Emater e com a Seduc, vai difundir o material do segundo, em especial, dentro das escolas’, explica Hildegardo. Ele informa ainda que a Associação dos Vendedores Artesanais de Açaí da Região Metropolitana de Belém está presente nesses grupos, discutindo as possibilidades viáveis.

‘Iríamos nos reunir também com o Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, para pedir apoio nesse trabalho, mas por motivo de saúde, o ministro está afastado e não pôde nos receber. Como já abrimos um canal de diálogo com o BB e com o Banco da Amazônia, não vamos esperar, começaremos logo a fazer funcionar esse Programa de Qualidade. Como já sabemos de trabalhadores que têm cadastro junto a esses bancos, deveremos conseguir disponibilizar o financiamento para quem já estiver nessa situação e for cadastrado junto à Associação’, avisa. (O Liberal)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias