Connect with us

Pará

PARÁ: Vereador de Marabá diz que Vale colocará Alpa à venda

Publicado

em

No gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Marabá, no último dia 16 de setembro, o vereador Nagib Mutran Neto, recebeu repórter do CORREIO DO TOCANTINS para fazer uma revelação que ele considerou bombástica e preocupante: “A Vale parou as obras da Alpa (Aços Laminados do Pará) e não vai mais investir nesse projeto”.

No início deste ano, quando alguns colegas vereadores chegaram de Brasília com a mesma noticia, Nagib foi o primeiro a pedir cautela e entrar em contato com o diretor-presidente da Alpa, José Carlos Soares, que negou a informação e pediu para ir à Câmara esclarecer as etapas de trabalho. “Quero dizer que tive cautela para não passar informação equivocada”.

Caso a notícia seja verdadeira, como garante o presidente da Câmara, o tão sonhado polo metal-mecânico de Marabá não deslancharia tão cedo, o mesmo acontecendo com o projeto Aline, fruto de uma parceria entre a Vale e o grupo Aço Cearense, através da Sinobras. “Nesse caso, a Aço Cearense estaria pronta para transferir o projeto Aline para o Ceará, onde o grupo tem sua base principal”, calcula.

 “Quero passar a minha preocupação como presidente da Câmara, independente de ser político. Eu ouvi de um amigo meu que conversou longamente com um alto executivo da Vale, que revelou que o novo presidente da mineradora, Murilo Ferreira, não é favorável à Alpa, mas sim à implantação da siderúrgica do Pecém, no Ceará. Tanto é que lá as obras estão de vento em popa, bem aceleradas, enquanto aqui em Marabá, estavam sendo desaceleradas naturalmente e agora pararam de vez.

A alegação da Vale para não dar prosseguimento à Alpa, segundo Nagib Mutran, é que Marabá não tem porto marítimo, enquanto Pecém está no litoral cearense e tem facilidade para escoar a produção por navio tanto para o mercado externo quanto ao interno.

Outra informação que Nagib diz ter obtido com a fonte que ele considera fidedigna é de que a atual presidência da Vale já colocou o Projeto Alpa à venda. “Isso mostra que a Vale não tem interesse em implantar a Alpa em Marabá, pela cabeça da nova diretoria”.

Sobre a derrocagem do pedral do Lourenção, no Rio Tocantins, para viabilização da hidrovia, a fim de escoar a produção da Alpa, Nagib informou que a presidenta Dilma Rousseff teria dito ao presidente da Vale para que a mineradora mesmo construa a hidrovia, estimada em R$ 560 milhões. “Quero conclamar a população, a classe empresarial e a política, para que nós não aceitemos isso. Vamos nos unir mais ainda para que consigamos nosso objetivo e a Alpa se instale em Marabá, que se crie o Polo Metal-Mecânico para gerar mais empregos e melhore a qualidade de vida da nossa população”.

Na sugestão de Nagib, a primeira medida a ser adotada é procurar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que veio a Marabá no lançamento das obras da Alpa, para que este faça pressão tanto com a direção da Vale quanto com o atual governo, para viabilizar as obras da hidrovia e pedir a manutenção da Alpa em Marabá. “Se for necessário, em último caso, sou a favor até mesmo de fecharmos a ferrovia para pressionar a presidência da Vale a manter a siderúrgica em Marabá”.

Questionado pela Reportagem sobre como o governador Simão Jatene se manifestou recentemente sobre a Alpa, em conversa reservada em um hotel da cidade com os vereadores, Nagib revelou que estranhou que o governador tenha pedido cautela quanto às cobranças à Vale em relação às condicionantes da Alpa. “Não pressionem que eles podem vazar”, teria dito o governador.

Para Nagib, a posição de Simão Jatene já demonstrava que este temia que a Vale de não implantasse mais a Alpa aqui. “Se ele está com essa preocupação é porque também está em dúvida se a Vale pode tirar a Alpa daqui ou não. No meu raciocínio, ele também tem dúvida, tanto é que no encontro que houve na Sinobras, o governador perguntou: ‘Vocês sabem de alguma coisa que eu não sei?”.

Segundo Nagib, o governador pediu para realizarem as cobranças das condicionantes no varejo, começando pela saúde. “Dessa forma eu ajudo vocês, porque no atacado podemos ter problemas”, teria dito o governador.

Segundo Nagib, o governo federal está sendo pressionado pela Gerdau para que a Alpa não se instale em Marabá, o que estabeleceria uma concorrência forte para as demais empresas do setor. (Correio Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Pará

MARABÁ: Limpeza de grotas e bueiros vem sendo mantido nos bairros

Publicado

em

As equipes de limpeza do Serviço de Saneamento Ambiental (SSAM) estão atuando em toda a cidade, em diversas frentes para deixar os locais mais bonitos e limpos. Esta semana, entre os locais de atuação das equipes de roço estão às margens da Transamazônica e o Jardim Belo Horizonte, que também está passando por limpeza de bueiros na avenida Minas Gerais. Na Folha 28, Nova Marabá, homens estão trabalhando na limpeza da Grota Criminosa. Os moradores do Jardim Bom Planalto, entre a avenida Pará com a Travessa do Badeco, e no bairro Independência, na rua do Arame, também presenciam a limpeza de grotas. Nesta última, o serviço foi feito com o uso de máquinas. 

Felisbela Neto, que mora há sete anos no final da rua do arame, está satisfeita com o serviço do SSAM. Ela mora de frente à uma grota. A limpeza garante melhor escoamento da água. “Aqui quando não limpava, se chovesse a água subia até no batente, não tinha como passar, pra quem tem criança pequena, é difícil. Quando eles vêm limpar fica bom porque não enche tanto”, comenta a dona de casa. 

Vale ressaltar que as equipes do SSAM não param, todos os dias estão pelas ruas cuidando da limpeza da cidade seja na varrição, coleta de lixo domiciliar, coleta de entulhos, roço e capina, limpeza de valas, grotas e bueiros. De acordo com Odilon Cerqueira Leite, chefe de limpeza do SSAM, o cronograma é feito dia a dia e sempre baseado na necessidade de cada localidade.  

Para colaborar com a limpeza da cidade, que a população não jogue lixo nos canais porque causam alagamentos na rua e entupimentos de bueiros. É importante acondicionar bem o lixo em sacos para evitar ser espalhado pelo chão. Colocar o lixo para fora apenas no horário bem próximo da coleta, evitando a ação dos animais, que sujam a rua impossibilitando o serviço de coleta dos garis. Além disso, evitar jogar lixo em lugares inadequados. (Leydiane Silva / Fotos: Paulo Sérgio)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Consulta Pública vai discutir implementação do Parque Natural Maria Bonita

Publicado

em

Com o objetivo de preservar o patrimônio natural do município, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), realizará no dia 16 de dezembro uma consulta pública para a criação da Unidade de Conservação Parque Natural Maria Bonita. O processo foi iniciado em 2014, com base em estudo desenvolvido pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).

Em Parauapebas, consta fragmentos remanescentes florestais, inclusive no perímetro urbano, que apresenta características relevantes para compor a Unidade de Conservação. A área proposta, localizada entre os bairros Alvorá e Nova Carajás. A criação da Unidade de Conservação tem capacidade de oferecer lazer e recreação para a sociedade com atrações que permitam o contato com a natureza, realização de atividade física e proporcionar o fomento do turismo em natureza local.   

Unidades de Conservação

O Estado do Pará possui 83 Unidades de Conservação, sendo 19 estaduais distribuídas no território de 32 municípios. As UC resguardam o habitat e o modo de vida dos povos tradicionais da floresta, protegem a biodiversidade e preservam o potencial econômico do bioma amazônico. Parauapebas tem três Unidades de Conservação federais e duas municipais. São elas: a Apa do Gelado, categoria de uso sustentável; Floresta Nacional de Carajás, categoria de uso sustentável, e Parque Nacional dos Campus Ferruginosos Carajás, categoria proteção integral. Já as Unidades de Conservação do município são: Apa do Igarapé Ilha do Coco, categoria de uso sustentável e do Parque Natural Municipal Morro dos Ventos, categoria de proteção integral.     

A criação de uma Unidade de Conservação em Parauapebas consta como meta da administração pública municipal, visando integrar a infraestrutura necessária para a preservação do bioma amazônico, desenvolvimento sustentável local, proteção da paisagem e fortalecimento das atividades de educação ambiental e produção científica.

Consulta Pública 

A consulta pública que discutirá pontos importantes para a criação da Unidade de Conservação Municipal “Parque Natural Maria Bonita”, ocorrerá no dia 16 de dezembro, às 10h, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube e Facebook da Prefeitura de Parauapebas.

Estarão presentes, representantes da Semma, da Ufra, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e autoridades do executivo e legislativo.

A população irá poder interagir tirando as dúvidas, enviando as perguntas para o e-mail: [email protected] . Os  questionamentos serão respondidos durante a transmissão.

Maria Bonita

A Maria Bonita é uma ave passeriforme da família Rhynchocyclidae, conhecida também como papa-mosca-de-peito-preto, mede cerca de 11,5 centímetros de comprimento e pesa entre 8 e 9 gramas. É uma ave pouco conhecida, e trata-se de uma espécie rara. Durante a pesquisa a ave foi encontrada na região da Unidade de Conservação. (Marcelo Duarte)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: 9ª edição do Curta Carajás começa dia 9

Publicado

em

Vem aí a 9ª edição do Curta Carajás, festival de cinema de Parauapebas, na região de Carajás, no Pará.

Iniciado em 2009, o festival é um marco na produção audiovisual e cultural de Parauapebas e ocorrerá nos dias 9, 10 e 11 de dezembro.

Veja a programação e informações completas AQUI.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze