Amigos, parentes e autoridades prestaram as últimas homenagens ao jornalista José Neves que morreu na madrugada de sábado (21), após complicações cardíacas por conta de uma pneumonia aguda. O velório aconteceu neste domingo (22) às 9h da manhã na Loja Maçônica do município de Parauapebas, sudeste do Pará. O corpo do repórter foi enterrado por volta das 11h no cemitério Jardim da Saudade.

O corpo do repórter saiu em cortejo pelas ruas da cidade no carro do Corpo de Bombeiros. Amigos, colegas de trabalho e admiradores conquistados ao longo dos anos de jornalismo se emocionaram. Eles usavam camisas estampadas com a foto de Neves como uma forma de uma última despedida. O momento marcante do cortejo foi quando o carro parou em frente à sede da TV Liberal. Uma chuva de balões brancos foi realizada para dar o último adeus a esse repórter que conseguiu deixar o seu legado na TV.

O prefeito Darci José Lermen decretou luto oficial de três dias no município em função do falecimento do Jornalista. ” Neves sempre foi muito simples e respeitado por todos. Considerado um profissional de comunicação exemplar, dedicou-se com fervor em cada pauta, levando a milhares de lares a informação precisa dos fatos”, disse o prefeito em nota.

O jornalista José Neves, 36 anos, morreu na madrugada de sábado (21), em Belém. Ele era repórter da TV Liberal em Parauapebas, sudeste do Pará. Neves estava internado em tratamento em um hospital particular da capital para tratar uma pneumonia aguda, teve complicações cardíacas e não resistiu.

O jornalista nasceu no município de Santa Luzia, no Maranhão, mas há 14 anos morava em Parauapebas, mesmo tempo em que atuava como repórter da TV Liberal.

Em nota o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA), também manifestou o “mais profundo pesar pela morte do jornalista José Neves.” A Prefeitura de Paurapebas disse em nota que “a morte tirou deste município um dos melhores jornalistas do estado. Seu legado de trabalho, certamente, será lembrado ainda por muito tempo e merece o nosso respeito e admiração.”

O prefeito de Ourilândia, Romildo Veloso, também se pronunciou sobre a perda. “Lamento profundamente a sua ausência. Acompanhei suas belíssimas reportagens usando sempre o jornalismo sério, usando o bom senso. O sul e sudeste do Pará perdem um grande repórter”, disse.

Para quem conheceu Neves nas coberturas sobre Amazônia, o pesar também é grande. “Uma perda para nós da Amazônia brasileira. Ele contribuiu muito, trouxe as notícias de forma integral, ele contou a verdade da Amazônia. Ele tinha comprometimento com o meio ambiente na região de forma incontestável. Estamos de luto, mas agradecemos a ele”, declarou Vitor Garcia, servidor do ICMBio. (G1)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.