Connect with us

Tocantins

Plataforma EAD no Tocantins qualifica profissionais sobre coronavírus

Publicado

em

Neste momento de enfrentamento a pandemia do novo coronavírus, a plataforma de Educação à Distância (EAD) do Hospital Geral de Palmas (HGP) se tornou uma ferramenta essencial para levar o conhecimento de forma prática e rápida e   vem fazendo a diferença para diversos profissionais de saúde da unidade. O ambiente virtual com um mês em atividade já beneficiou cerca de 700 servidores e a unidade hospitalar é a única do Estado que conta com uma plataforma voltada ao ensino em saúde destinada a seus servidores.

De acordo com a responsável pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP)  do HGP, Michelle Filgueira “a nossa ideia principal era ofertar uma ferramenta de praticidade, com informações de qualidade para dar todo o suporte aos servidores do HGP. Nesta pandemia  a plataforma tem nos ajudado a disponibilizar conteúdos voltados à Covid-19, de forma ágil e que os profissionais podem estudar de onde estiver. Hoje o ambiente virtual conta com cursos disponíveis com foco na assistência aos pacientes suspeitos ou confirmados com a doença”, comentou.

Conforme o diretor geral do HGP,  Leonardo Toledo, a plataforma foi essencial  neste momento de pandemia. “Nossa unidade é referência para o Plano de Contingência Estadual de Enfrentamento da Covid-19 no Tocantins. Utilizamos a tecnologia para levar conhecimento neste momento tão delicado que estamos vivendo e ofertar um suporte maior aos nossos servidores”, afirmou.

A ação é promovida pelo  NEP em parceria com o Escritório da Qualidade; com o suporte do Núcleo de Segurança do Paciente; Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH); Núcleo de Vigilância Hospitalar (NVEH); Núcleo de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalhador (NASST) e o apoio da Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Tocantins (ATI).

Profissionais beneficiados

Quem aproveitou a oportunidade foi a técnica de enfermagem do pronto socorro, Gilvânia Alves Vogado. “´Foi ótimo! Com informações atualizadas sobre teoria e prática, muito importantes diante deste momento atípico que estamos passando”, declarou.

A técnica de enfermagem que trabalha na  Unidade de Tomada de Decisão,  Doralice Maria de Souza aprovou a iniciativa. “Realizei os cursos disponíveis. Além de informações sobre a Covid-19, eu tirei dúvidas sobre paramentarão e desparamentação. São cursos bem explicativos, linguagem clara. Gostei muito!”, relatou.

A coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto, Karla Ramos Carvalho ver a plataforma como ferramenta de praticidade. “É um meio fácil e prático para aprendizagem. Posso estudar e aprender de acordo com o meu tempo vago. A plataforma é excelente e de fácil acesso. É uma excelente iniciativa e parabéns aos envolvidos!”, exclamou.

Cursos ofertados

Na plataforma estão disponibilizados os seguintes cursos: plano de contingência da epidemia pelo Covid-19; uso correto de Equipamento de Proteção Individual (Epis) e medidas preventivas para limitar a transmissão por Covid-19; amostra biológica para diagnóstico da Covid-19 e manejo clínico da Covid-19. (Luciana Barros)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Médica no Tocantins que desdenhou de paciente é indiciada por homicídio doloso

Publicado

em

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 26ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína, concluiu nesta quarta-feira, dia 23, as investigações referentes à apuração da conduta de uma médica de 43 anos, que ocasionou a morte da vítima Doralice Cavalcante Rodrigues, de 86 anos, fato ocorrido no dia 6 de dezembro de 2019.

Conforme o apurado, no dia cinco de dezembro de 2018 a vítima, idosa de 86 anos, passou mal e após ser atendida em sua residência pela equipe do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento de Araguaína. Na Unidade de Saúde foi constatado que a idosa estava bastante debilitada devido ao agravamento de um quadro de insuficiência respiratória que já estava sofrendo havia três dias, tendo em vista o fato de sofrer de pneumonia aguda. Dessa forma, ela foi logo em seguida encaminhada ao Hospital Regional de Araguaína.

Chegando ao HRA, por conta do estado de saúde gravíssimo em que se encontrava, a idosa foi, de imediato, encaminhada para a sala vermelha para que ali recebesse cuidados intensivos. No momento em que a idosa adentrava a referida sala, estando numa maca do SAMU, a médica plantonista e responsável pelo local, determinou que os funcionários retirassem a idosa dali, afirmando: “Ela está boa toda, melhor do que eu”, demonstrando total desdém para a condição em que se encontrava a paciente. Diante disso, a paciente foi encaminhada para a sala verde, local inadequado para ser atendida.

Toda a cena foi gravada pelo neto da idosa que apresentou o referido vídeo à Polícia Civil. Tendo em vista a inadequação da sala verde, a idosa faleceu no dia seguinte por insuficiência respiratória. Conforme apurado, a vítima passou por grande sofrimento, sendo que sua morte ocorreu 21 horas depois de dar entrada no HRA.

Ainda há relatos de testemunhas que afirmam que a médica, enquanto falava que a vítima estaria melhor do que ela empurrava a maca onde estava a idosa de forma abrupta e truculenta, deixando todos os que presenciaram a cena extremamente revoltados.

O delegado-chefe da 26ª DP, Luís Gonzaga da Silva Neto, concluiu o inquérito policial, com a médica sendo indiciada pela prática, em tese, do crime de homicídio doloso majorado, pois tinha o dever legal, como médica, de cuidado e o comportamento dela ocasionou, de forma direta, a morte da idosa. O caso agora fora encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas cabíveis.

Continue lendo

Tocantins

Índice de Confiança do empresariado tocantinense segue em alta

Publicado

em

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI)registrou 59,8 pontos no mês de setembro. Ao superar a linha divisória da metodologia da pesquisa de 50 pontos, o resultado indica que o segmento está confiante para os próximos seis meses, o que acontece pelo terceiro mês consecutivo. Mostra ainda um crescimento de 4,8 pontos em relação ao ICEI no mês de agosto. A realização da pesquisa é da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“É preciso ter confiança para superar os desafios trazidos por esta nova realidade que não foram poucos para o segmento industrial. O empresário está fazendo sua parte, reinventando estratégias e oportunidades e mantendo o foco na retomada do crescimento econômico”, comenta o presidente da FIETO, Roberto Pires.

No cenário nacional, a confiança também é confirmada: o ICEI chegou a 61,9 pontos em setembro. A pesquisa é feita no Tocantins por meio de respostas online das empresas ou via telefone. A amostra foi de 83 indústrias, sendo 58 de pequeno porte e 25 de médio e grande porte, com realização de 1 a 14 de setembro.

A publicação completa está disponível no site www.fieto.com.br link Estudos e Pesquisas.

Continue lendo

Tocantins

IBGE notifica empresas no Tocantins que não responderam pesquisas; inadimplência com o órgão gera sanções

Publicado

em

Desde o dia 15 deste mês, a Unidade Estadual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Tocantins está notificando, por meio de correspondência, as empresas que ainda não responderam as Pesquisas Estruturais do ano de referência 2019. O objetivo é fazer com que os empresários e escritórios de contabilidades forneçam as informações para o órgão, pois até o momento apenas 502 empresas selecionadas para responder as pesquisas preencheram o questionário. O IBGE ainda falta coletar dados de 1.390 empresas.

A supervisora de Pesquisas por Empresas do IBGE Tocantins, Ângela Brito Anes, alerta que a empresa que deixar de fornecer as informações pode sofrer sanções. “Conforme a legislação, a inadimplência implica, entre outras penalidades previstas, na inviabilidade de fornecimento por parte do IBGE da certidão de quitação das obrigações com a Instituição, na hipótese de a empresa necessitar. Instituições públicas podem requerer à empresa a apresentação desta certidão, como parte da documentação necessária para participação em licitações e/ou ter acesso a incentivos públicos e o IBGE só a disponibiliza para as empresas que tenham respondido as pesquisas”, explica.

Além de não receber a certidão de quitação do IBGE, está previsto em lei que a empresa que não fornecer os dados pode ter que pagar uma multa. “A legislação que ampara a atuação do IBGE tornou obrigatória a prestação de informações para fins de pesquisa, mas é necessário que o empresário se conscientize da importância dessas pesquisas para o planejamento socioeconômico do país, principalmente em tempos de pandemia”, enfatiza.

O IBGE ressalta o compromisso de resguardar a confidencialidade dos dados que serão fornecidos que serão usados exclusivamente para fins estatísticos. Para esclarecimentos ou qualquer informações adicionais, a empresa pode entrar em contato pelo telefone celular: (63) 98144-0152, whatsapp business (63) 3215-1829 ou pelo endereço eletrônico: [email protected].

Pesquisas Estruturais

A Pesquisa Industrial Anual – Empresa (PIA-Empresa), a Pesquisa Industrial Anual – Produto (PIA-Produto), a Pesquisa Anual da Indústria da Construção (Paic), a Pesquisa Anual de Comércio (PAC) e a Pesquisa Anual de Serviços (PAS) fazem parte do Programa Anual das Pesquisas Estruturais por Empresa do IBGE e tem como objetivo descrever as características básicas do segmento empresarial, industrial, construção civil, comércio e serviços no País e suas transformações no tempo.

O IBGE destaca que a participação das empresas é essencial. São estatísticas importantes para empresários de todos os portes, pois lhes permitem conhecer a sua conjuntura de mercado, o desempenho da sua área de atuação e a participação da sua atividade no Produto Interno Bruto (PIB), que é o principal indicador econômico do país. Por isso, é crucial que as participantes forneçam informações fidedignas.

Continue lendo
publicidade Bronze