Connect with us

Pará

Ponte União na Alça Viária completa um ano de reconstrução

Publicado

em

Construída em tempo recorde pelo Governo do Pará, após um desmoronamento que interrompeu umas das vias terrestres mais importantes para o agronegócio e mineração do Estado, a Ponte União completa um ano neste domingo (31). Localizada no Km 48 da Alça Viária, na PA-483, a estrutura foi reconstruída pelo Governo em apenas sete meses e hoje é um símbolo do esforço do Poder Público em torno de um objetivo comum. 

“Aquele foi o momento que o Governo se voltou para o propósito de garantir o rápido restabelecimento do acesso terrestre, minimizando, ao máximo, os prejuízos para a economia paraense, e garantindo que a ponte fosse reconstruída, de forma, que nenhum outro acidente com embarcação naquela área afetasse a estrutura do equipamento”, pontua Adler Silveira, titular da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), órgão responsável pela construção da ponte. A estrutura foi derrubada por um abalroamento de uma embarcação clandestina, que trafegava em horário proibido no local. 

Projeto Arrojado 

A Ponte União impressiona pelas inovações tecnológicas. Ao todo, são 268 metros construídos com dois novos canais de navegação ampliados, de 134 metros cada um. Também foram instalados sistemas de proteção dos pilares, que permitem uma navegação adequada aos comboios de balsas: são três defensas flutuantes (denominadas dolfins) para proteção das fundações, altamente resistentes a grandes impactos. 

A tecnologia usada na estrutura é uma alívio para moradores das áreas ribeirinhas próximas à ponte. “Sim, melhorou a vida da gente. Era cada susto, porque antes batia muita balsa na ponte, tanto que no último aconteceu aquele acidente, mas agora com essas defesas e essa estrutura ficou melhor”, diz a pescadora Ana Claudia Soeiro, que vive há 23 anos no local. 

Construída pelo sistema de estais, um tipo de ponte suspensa por cabos e um mastro central, a Ponte União tem uma gigantesca base de sustentação, onde foram utilizadas 45 estacas fincadas, em média, a mais de 50 metros de profundidade – algumas chegaram a 70 metros de profundidade – e ainda 40 estais com cordoalhas (conjunto de cordas de alta performance). O mastro que sustenta o sistema da ponte foi construído com dois pilares de 3,5 metros de largura por 5,5 metros de altura, que chegaram a 16 metros de largura e 28 metros de altura.

O coletor de açaí Miguel Gonçalves da Silva mora praticamente ao lado da ponte e conta que acompanhou de perto toda sua reconstrução. “Foi rápido, muito ligeiro mesmo. A gente olhou o estrago e pensou que ia demorar mais, mas não demorou nada, e logo acabou o sufoco para atravessar de balsa”, enfatizou. 

“Uma ponte dessas, agora, pra nós que trabalhamos e andamos aqui todos os dias, é muito bom. Quando essa ponte quebrou, quando era na balsa, era um sacrifício total. E agora, está muito bom pra gente fazer o transporte de mercadorias, porque não tem mais aquela peleja. E foi rápida a construção, pelo tamanho do estrago que aconteceu na época, se fosse em outro governo, até hoje tava no chão”, acredita o caminhoneiro José Alcides Fernandes. 

A Ponte União é uma das pontes do complexo da Alça Viária, que é a PA-483, uma rodovia estadual que tem um complexo de 74 quilômetros de estrada e quatro pontes ao longo de sua extensão, que liga a Região Metropolitana de Belém ao Sul e Sudeste do Pará. (Kátia Aguiar / Foto: Bruno Cecim)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Assaí Atacadista está com vagas de emprego abertas

Publicado

em

O Assaí Atacadista está com vagas de emprego abertas para as cidades de Parauapebas, na região de Carajás no estado do Pará e Manaus, no Amazonas. As oportunidades são todas efetivas e abrangem diferentes áreas em loja, tais como Chefe de Cafeteria, Atendente de Cafeteria, Chefe de Manutenção, Operador de Perecíveis, Operador de Caixa, Chefe Administrativo, Fiscal de Frente de Caixa, Operador de Loja FLV, Operador de Mercearia, Cozinheiro e Atendente Passaí (plataforma própria de serviços financeiros).

Para se candidatar as vagas, os interessados precisam ter concluído o Ensino Médio e devem se inscrever exclusivamente no site AQUI até o dia 3 de março. Para iniciar a participação no processo seletivo, é necessário ter em mãos RG, CPF, número de telefone, endereço do e-mail e descrever suas experiências anteriores.

Como medida de prevenção contra a Covid-19, o processo seletivo da rede foi adaptado para ser realizado 100% on-line, junto com uma série de medidas para garantir a segurança dos colaboradores e clientes da rede em todo o Brasil. O Assaí oferece remuneração e pacote de benefícios compatíveis com o mercado. A rede possui, ainda, um plano estruturado de carreira e investe constantemente em capacitação e no desenvolvimento profissional de seus colaboradores em todo o país.

Sobre o Assaí Atacadista

O Assaí é um atacado de autosserviço que atende pequenos e médios comerciantes e consumidores em geral que buscam economia em compras de grande volume. Atacadista com taxa de crescimento anual composta nos últimos seis anos de 28,3%, a rede está presente nas cinco regiões do País com 184 lojas distribuídas em 22 estados e no Distrito Federal. É um dos dez maiores empregadores do país com mais de 50 mil colaboradores e, mensalmente, recebe 30 milhões de clientes em suas lojas. A empresa conta ainda com uma plataforma própria de serviços financeiros, o Passaí, composta por cartão próprio e uma maquininha de cartão de crédito e débito. Em 2020, o Assaí esteve entre as 20 marcas mais valiosas do país em ranking anual promovido pela Interbrand, apareceu em 1º lugar como empresa mais eficiente do varejo no Empresa Mais Estadão e foi a empresa mais admirada do Brasil no voto popular no ranking Melhores e Maiores da revista Exame.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Defesa Civil e Corpo de Bombeiros definem logística assistencial às famílias atingidas por enchentes

Publicado

em

As estratégias de atendimento às famílias atingidas pela enchente deste ano foram discutidas durante reunião realizada na sexta, 26, na cidade de Marabá, na região de Carajás, com o coordenador da Defesa Civil do município, Jairo Milhomem e representante do Corpo de Bombeiros Militar.

Durante a reunião ficou estabelecida a manutenção da parceria entre corpo de Bombeiros e Defesa Civil nas ações de atenção às famílias com uso da logística dos Bombeiros e na ajuda assistencial às famílias nos abrigos.

“Como todos os anos o Corpo de Bombeiros vem prestando esse apoio a Defesa Civil, e este ano não será diferente. No ano de enfrentamento à pandemia pensar estratégias para conter o avanço da doença nos abrigos se torna uma preocupação a mais”, pontuou o tenente Emílio Rodrigues, do Corpo de Bombeiros Militar.

Foi discutida a instalação de placas de orientação nos abrigos e informações a respeito da Covid-19, como o uso de álcool em gel e uso de máscaras, além da manutenção da higiene pessoal.

De acordo com Jairo Milhomem, a preocupação com a Covid-19 neste período de cheia e aglomeração nos abrigos já havia sido tema de discussão com a Secretaria de Saúde, onde ficaram definidas as visitações médicas todas as semanas nos abrigos, teste rápido de Covid aos desabrigados e vacinação para os servidores envolvidos diretamente no atendimento a essas famílias.

“Podemos reduzir a possibilidade das pessoas se contaminarem com uso de máscaras e álcool e também a higiene pessoal, as pessoas serão orientadas. Também pensamos em reduzir o número de famílias nos abrigos”, esclareceu Jairo Milhomem, coordenador da defesa civil do município.

A Defesa Civil já contabilizava o atendimento a 35 famílias que estão no abrigo do ginásio de esportes da Obra Kolping, no bairro Belo Horizonte. (Victor Haôr / Fotos: Paulo Sérgio)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: PROSAP amplia canais de comunicação com lançamento de site

Publicado

em

Manter um bom relacionamento com as comunidades, baseado num diálogo direto e transparente, é um dos compromissos do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap). Nesse sentido, o programa amplia seus canais de comunicação, com o lançamento de mais uma importante ferramenta: o site prosap.parauapebas.pa.gov.br

Com layout simples e fácil navegação, o site pode ser acessado a partir de diferentes dispositivos tecnológicos, como smartphones, notebooks e computadores, mantendo suas características e funcionalidades.  

Na plataforma, o usuário tem acesso a imagens, vídeos institucionais, documentos, legislação e estudos relacionados ao programa, bem como, a toda estrutura administrativa do Prosap, entre outros conteúdos.   

O site foi desenvolvido pelo analista de sistemas do Prosap, João Melo, com o acompanhamento da gestão e equipe de comunicação do programa. “Ele é parte de um conjunto de ações de comunicação que tem como objetivo aproximar a população do programa, oferecendo à comunidade informações sobre a importância das obras de saneamento ambiental e todos os benefícios que serão gerados para Parauapebas”, diz a jornalista Jéssica Borges.

“Estamos lançando agora, mas entendendo que as melhorias serão realizadas continuamente para que essa plataforma atenda aos nossos diversos públicos”, completa João Melo. 

Canais de relacionamento

Com o site, o Prosap amplia e fortalece seus canais próprios de relacionamento com a comunidade. Atualmente, o programa disponibiliza contato de Whatsapp (94) 9 9973-0476 para dúvidas, perguntas e manifestações da comunidade, além de e-mail: [email protected], e dos atendimentos presenciais realizados nos escritórios do programa nos bairros Rio Verde e Vale do Sol.

O Escritório de Gestão Socioambiental na Rua Minas Gerais, n° 65, bairro Rio Verde, atende ao público no horário das 8h às 18h (sem interrupção para almoço), de segunda a sexta-feira. 

Enquanto que o Escritório Social no Residencial Vale do Sol, localizado na Rua Sebastião Leite, Quadra 08, Lote 01, atende ao público do reassentamento no horário das 8h às 12h e das 13h às 18h, de segunda a sexta-feira. O público do reassentamento abrange as 250 famílias retiradas de áreas de risco compreendidas por obras da primeira fase do Prosap.  (Jéssica Borges)

Continue lendo
publicidade Bronze