Connect with us

Pará

Prefeito de Marabá, João Salame, confirma gravações à polícia

Publicado

em

A linha de investigação da Polícia Federal (PF) no caso da gravação feitas pelo prefeito de Marabá, João Salame, dentro do carro do ex-deputado e ex-prefeito de Marituba, Antônio Armando Amaral de Castro – conversa na qual Armando revela suposto pagamento de propina a alguns juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para livrar da cassação prefeitos em maus lençóis – será ampliada depois que um fato novo chegou ao conhecimento do delegado Uálame Machado, responsável pelo inquérito: três prefeitos e ex-prefeitos do sul e sudeste do Estado também estariam dispostos a falar sobre cobrança de propina da qual supostamente teriam sido vítimas.

Os nomes dos gestores chegaram ao conhecimento do delegado da PF durante o depoimento de João Salame, ontem pela manhã, em Belém, mas não serão revelados para não atrapalhar a investigação. Eles podem ser chamados para depor. Antes de falar com Machado, o prefeito de Marabá disse ao Diário que tinha sido convidado para dar depoimento e “prestar todas as informações possíveis”.

Segundo Salame, há um diálogo gravado entre ele e Antônio Armando e, por isso, estava disposto a contar também tudo o que aconteceu. “Pretendo ajudar a polícia no que for necessário”, afirmou. O depoimento durou cerca de 90 minutos. Machado não quis se pronunciar a respeito das declarações feitas por Salame. “Como o Ministério Público e o Tribunal Regional Eleitoral não se pronunciaram, ele preferiu também não falar sobre o assunto”, disse Fernando Sérgio, assessor de comunicação da PF.

O delegado pediu a Salame que evitasse comentar com a imprensa os termos mais importantes de seu depoimento e recebeu a promessa do prefeito de que isso seria feito. Em Brasília, antes de retornar ao Pará, o prefeito também depôs no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), perante o conselheiro paraense Gilberto Martins Valente, que hoje é o ouvidor do órgão. O CNJ deve mergulhar a fundo no caso para esclarecer se as denúncias de venda de sentenças no TRE são procedentes ou mentirosas.

Advogado do prefeito também foi ouvido

Quem também depôs na PF foi o advogado Inocêncio Mártires, defensor de Salame no processo no TRE e também no recurso em que o prefeito se manteve no cargo, após a liminar ser aceita pelo ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), anteontem. Mártires informou ao DIÁRIO que o delegado Machado quis saber quando ele manteve contato com o presidente do TRE, desembargador Leonardo Tavares, e também qual a data em que entregou a Tavares a gravação com os diálogos entre Salame e Antonio Armando.

O advogado respondeu que o primeiro contato pessoal, no gabinete de Tavares, foi no dia 17 de outubro passado. Já a gravação foi entregue ao desembargador no dia seguinte, 18. “Eu mandei um e-mail com a gravação direto para o e-mail do secretário geral do tribunal, que o entregou ao presidente”, contou Mártires. Ele acrescentou que Tavares ficou “extremamente indignado” ao tomar conhecimento do conteúdo da gravação, prometendo tomar “medidas enérgicas”.

Sobre as declarações de Salame à PF, Mártires disse que o prefeito apenas “confirmou” tudo o que tinha sido divulgado pela imprensa, explicando que não partiu do prefeito a divulgação do caso, mas do Ministério Público Federal (MPF), que distribuiu a notícia aos veículos de comunicação. Não confirmou se Salame irá pedir a perícia da voz dele, informando que talvez isso não seja necessário, a menos que Antonio Armando, quando depor à PF, negue que a voz seja dele, como já antecipou o advogado que o defende.

Prefeito foi reintegrado ao cargo ontem

Na tarde desta quarta-feira (13), o prefeito João Salame voltou a Marabá trazendo consigo uma liminar deferida pelo ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que garante o retorno dele ao cargo para o qual foi eleito ano passado, após ter sido afastado numa controversa decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA).

Praticamente todo o espaço interno e externo do aeroporto de Marabá foi tomado por populares que foram esperar o retorno de João Salame.

Espremido em meio à multidão, o prefeito conversou com a imprensa, destacando que voltou ao cargo antes mesmo de ter sido notificado pela Justiça Eleitoral, pois o ministro do TSE agiu de forma rápida por entender que havia “uma manifesta ilegalidade” na decisão do TRE-PA.

Salame chamou atenção para o fato de que ele foi o quarto prefeito do Pará reintegrado ao cargo, pelo TSE, nos últimos dias. “Espero que o Tribunal Regional Eleitoral do Pará faça uma reflexão e compreenda que não pode continuar insistindo em atropelar a legislação”, afirma o prefeito.

Em seguida, João Salame saiu em carro aberto pelas ruas da cidade, seguido por uma carreata até a sede da prefeitura onde discursou para uma multidão que já o aguardava ali. A decisão do TSE foi uma liminar e o mérito da questão ainda será julgado.

Mas Salame se diz tranquilo porque o próprio TSE percebeu que houve “flagrante ilegalidade” no seu afastamento pelo TRE: “Eu tenho certeza de que no julgamento do mérito haveremos de provar nossa inocência e nossa condição de político ficha limpa”.

Gravação em vídeo

Além de uma gravação de áudio em que Salame instiga o ex-prefeito de Marituba, Antônio Armando, a revelar possíveis indícios de corrupção no TRE-PA, o prefeito de Marabá também revelou à Polícia Federal e ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a existência de um vídeo comprometedor. “Existe um vídeo com a presença do ex-prefeito Antônio Armando e o considerado atual esposo de uma juíza entrando no meu apartamento, na garagem do meu prédio, e eu disponibilizei esse vídeo para o CNJ e para a Polícia Federal”, confirmou Salame. (Diário do Pará)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Pará recebe mais quatro pacientes do Amazonas para tratamento de Covid

Publicado

em

Mais quatro pacientes com Covid-19, em estado grave, que saíram do estado do Amazonas, chegaram a Belém nesta terça-feira (19). São três mulheres e um homem, que foram transferidos para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital de Campanha, instalado no Hangar, em Belém. 

De acordo com Camylla Rocha, diretora da Central Estadual de Regulação da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), a solidariedade e a união são fundamentais em um momento tão difícil como o da pandemia. 

“É muito importante que a gente estenda as nossas mãos. Vamos cuidar deles como se fossem nossos parentes, com o melhor atendimento possível. Destinamos uma ala específica para os pacientes amazonenses no Hospital de Campanha do Hangar e todos os cuidados estão sendo tomados”, informa a diretora. 

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) veio de Parintins, local de origem dos quatro pacientes, e pousou por volta das 9h45 na Base Aérea de Belém. Cada paciente veio com um acompanhante.  

Ao todo, o Pará já recebeu seis amazonenses. Na segunda-feira (18), duas mulheres vindas também de Parintins, cidade do estado vizinho, já haviam sido recebidas.

Segundo Sipriano Ferraz, secretário adjunto da Sespa, a situação da pandemia na Região Metropolitana de Belém (RMB) é, de acordo com o monitoramento diário de casos e internações, estável e a retaguarda de leitos no Hangar permitiu o auxílio aos doentes do estado vizinho.

AMAZONAS

O Governo do Estado do Amazonas enfrenta problemas no abastecimento de oxigênio na rede hospitalar. No último dia 14 de janeiro, a média móvel de mortes havia aumentado em 187% e os hospitais lotados não tinham oxigênio para todos os pacientes internados com a doença.

O governador Helder Barbalho ofereceu ajuda ao Amazonas diante do colapso no sistema de saúde do estado vizinho, com a disponibilização de 40 leitos aos pacientes amazonenses. São 20 leitos clínicos e 10 de UTI, no Hospital de Campanha de Belém; e mais 10 leitos de UTI neonatal na Fundação Santa Casa, em Belém. 

HOSPITAL DE CAMPANHA DO HANGAR

O Hospital de Campanha do Hangar tem capacidade para expansão de até 420 leitos (clínicos e de UTI). O Governo do Pará informa que os níveis de oxigênio no Estado seguem regulares, atendendo todas as demandas.

Continue lendo

Pará

Homem e dois adolescentes foram encontrados baleados dentro de ônibus no interior do Pará

Publicado

em

Um homem e dois adolescentes foram baleados com vários tiros e amordaçados dentro de um ônibus no residencial Goiânia em Capitão Poço, nordeste do Pará.

Um dos adolescentes morreu no local com tiro na cabeça e os outros dois ficaram gravemente feridos.

As vítimas foram encontradas por moradores no ônibus abandonado em área de mata, por volta das 10h30. As pessoas chegaram a entrar no veículo e fizeram imagens.

A Polícia Militar chegou às 15h30 no local, nas proximidades de um ginásio de esportes. Segundo a PM, ninguém no local soube dar informações sobre o caso, “imperando a lei do silêncio”.

As vítimas foram identificadas como Reinaldo Brito da Silva, de 23 anos, e os adolescentes A. C. V. C. e E.S.V. Dois deles foram transferidos para Belém.

Em nota, a Polícia Civil informou que, durante as buscas no ônibus, foram encontradas cápsulas de armas de fogo e que o caso está sendo investigado pela polícia local, com apoio da Coordenadoria de Operações Especiais, Diretoria de Polícia Especializada, Diretoria de Polícia do Interior e da Superintendência da 6º Região Integrada de Segurança Pública (RISP) Caeté.

Até então, a motivação e a autoria do crime ainda não foram confirmadas.

Continue lendo

Pará

SÃO DOMINGOS DO ARAGUAIA: Colisão entre caminhão e carreta deixa homem carbonizado na Transamazônica

Publicado

em

Um grave acidente entre caminhão baú e uma carreta foi registrada nesta segunda-feira (18), na rodovia Transamazônica (BR-230), em São Domingos do Araguaia, sudeste do Pará. Uma pessoa ficou presa nas ferragens e outra morreu carbonizada.

A carreta ultrapassou o corrimão de proteção e o condutor ficou preso nas ferragens. Ele foi retirado com vida e encaminhado para o Hospital Regional de Marabá.

O caminhão baú entrou em combustão e um dos passageiros teve o corpo carbonizado e morreu no local. O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves e foi conduzido pelo SAMU a uma unidade de saúde da região.

Continue lendo
publicidade Bronze