- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 17 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

Presos do Pará fazem nova denúncia de maus-tratos em presídio

Mais Lidas

Detentos do Complexo de Americano, localizado em Santa Isabel do Pará, região metropolitana de Belém, apresentaram mais uma denúncia de maus-tratos dentro de carceragens do estado. Desta vez, as agressões teriam contecido no dia 18 de julho dentro da área de triagem da prisão. As denúncias estão sendo investigadas pela Comissão de Combate e a Erradicação da Tortura no Pará.

Representantes da OAB e da ouvidoria da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup)  visitaram a carceragem para apurar o caso. Durante a visita, depoimentos e fotos foram coletados. Nas imagens, presos aparecem com machucados que teriam sido causados por balas de borracha e uso de cassetetes. Exames de corpo de delito foram solicitados para comprovar a origem dos ferimentos dos detentos.

Um relatório sobre o caso foi entregue na última quinta-feira (26) ao Ministério Público e outros órgãos de segurança. A Superintendência do Sistema Penal (Susipe) informou que abriu uma sindicância para apurar o caso.

“Essa violência seria um castigo em função deles terem requisitado direito a visita intima”, explica Marcelo Freitas, da comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA).

Para a ouvidoria da Segup o Estado deve garantir a integridade física dos detentos. “A garantia de direitos humanos também é a garantia dos direitos dos que estão em situação de privação de liberdade. Eles estão lá, mas sob a tutela do Estado e o Estado tem obrigação de garantir a ressocialização deles para o convívio em sociedade”, assegura Eliane Fonseca.

Entenda o caso

Este é a segunda denúncia de detentos do Pará contra agentes penitenciários. No dia 16 de julho presos da Colônia Agrícola Heleno Fragoso teriam sido agredidos durante uma revista na qual foram encontradas bebidas alcóolicas, armas brancas de fabricação caseira, celulares e drogas na carceragem.

Familiares de presos denunciaram que os detentos teriam sido confinados em local apertado, sem comida por várias horas e agredidos ao serem conduzidos de volta às celas. Comissão de Combate e a Erradicação da Tortura no estado visitou o local no dia 18 de julho e enviou um relatório aos órgãos de segurança e ao Ministério Público do Estado, que ainda analisam as denúncias e investigam se ocorreu ou não uso indevido da força.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias