A promotora de Justiça de Redenção, Lorena Barbosa de Miranda, em exercício da 3ª e 4ª Promotoria, reuniu na última quinta (19) com representantes de órgãos públicos para tratar da identificação dos focos de queimadas e outros crimes ambientais que ocorrem nos municípios abrangidos pela Região Sudeste II. Na ocasião foi expedida Recomendação às autoridades e requisitada a atuação da Delegacia de Crimes Ambientais, Exército, Polícia Militar, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Corpo de Bombeiros, em áreas específicas e de difícil acesso, por serem locais de conflitos agrários.

A Recomendação expedida e direcionada a diversos órgãos públicos objetiva a adoção de medidas destinadas a assegurar a função socioambiental dos imóveis rurais nos quais foram detectados o aumento do índice de desmatamento associados ou não a queimadas nos municípios que integram a 5ª Região Agrária do Estado do Pará.

Nota Técnica do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), de agosto de 2019, mostra que no Pará o número de queimadas atual é apenas 7% menor que o observado em 2017, quando o período de estiagem foi duas vezes mais severo do que o deste ano.

“É de conhecimento público a ocorrência do aumento do desmatamento e de incêndios na Amazônia com importante contribuição do Estado do Pará, sendo esse fato público e notório que envergonha não apenas a sociedade paraense, mas o país como um todo, que vê seu patrimônio nacional ser destruído de forma trágica”, afirma a promotora Lorena Miranda na recomendação.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.