Connect with us

Geral

Região Amazônica tem mais de 54,6 mil ações ambientais na Justiça

Publicado

em

Dano ambiental, crimes contra a fauna e a flora e poluição são alguns dos 54,6 mil processos que correm na Justiça buscando a proteção ambiental da região Amazônica desde 2000. Apenas em 2019, foram ingressadas quase 7,9 mil ações – 14,4% do total. Em 2020, até outubro, foram identificados 4,9 mil processos judiciais sobre meio ambiente na Amazônia.

Os dados constam do Painel de Ações Ambientais na Região Amazônica, lançado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) nessa terça, 24, durante a primeira reunião do Observatório de Meio Ambiente do Poder Judiciário. Esse é um mapeamento inédito sobre o acervo de ações ambientais na região.

Com o painel, pesquisadores, ambientalistas e gestores públicos têm agora uma ferramenta que vai permitir identificar quantos e quais conflitos envolvendo meio ambiente e Amazônia já foram levados aos tribunais. A série histórica desde 2000 incentiva o debate, a pesquisa e a criação de políticas públicas destinadas ao meio ambiente na região.

Mais da metade das ações judiciais tem como assunto dano ambiental (32,7%) e crimes contra a flora (22,2%). Poluição vem a seguir, com 12% dos processos. Crimes contra a fauna respondem por 4% das demandas judiciais e 6,3% delas se referem a pedidos de revogação ou anulação de multas ambientais.

O Pará é o estado onde se concentra o maior volume de ações – 20,4 mil, cerca de 37% do total. Na sequência vem o Mato Grosso (14,2 mil processos), Rondônia (7,2 mil) e Amazonas (5,7 mil).

O Painel de Ações Ambientais ainda traz outros detalhes de processos judiciais ligados ao direito ambiental amazônico, como ano de início e classe processual – 18,5% são oriundas de Ação Civil Pública, por exemplo. Os dados são originados a partir da Base Nacional de Dados do Poder Judiciário (DataJud), instituída neste ano pelo CNJ e que consolida informações de tramitação e processos enviadas pelos 90 tribunais brasileiros. (Manuel Carlos Montenegro
Agência CNJ de Notícias
)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Geral

Cresce os serviços de reparos domésticos para mulheres e público LGBTS

Publicado

em

A pandemia vem mudando o mundo de várias formas, e uma dessas mudanças é o comportamento das empresas e responsabilidade social.

Sendo assim, com a ideia de expandir e oferecer melhores serviços, o segmento de reparos tem sido avaliado para atender um público mais segmentado, as mulheres e as pessoas LGBTQIA+.

Aliás, com os reflexos da pandemia, muitas pessoas têm apostado neste tipo de serviço para empreender, incluindo atendimento exclusivo para este público.

Com o aumento da procura por reparos domésticos e reformas, o mercado de suprimentos cresce constantemente desde o começo da pandemia, atingindo uma inflação de 10,16% em 2020.

Não é só as empresas e empreendedores que aproveitam esse cenário, vários cursos são ofertados por Instituições de ensino de forma online, aproveitando esse novo perfil de consumidor.

Sendo assim, os serviços ofertados vão desde simples reparos como uma instalação de torneira, ajuste de campainha elétrica, trocar caixa de descarga e construções e reformas em geral.

E as mulheres, por sua vez, são o público que impulsiona esse mercado, atendendo as demandas de profissionais da área.

Mulheres e pessoas LGBTQIA+ ganham espaços em empresas de manutenção e reparos

Hoje podemos contar com um público grande de mulheres engenheiras, carpinteiras e até pedreiras, exercendo funções que até um tempo atrás eram vistas com preconceito.

Diante disso, também podemos encontrar empresas que só possuem mão de obra feminina, atendendo clientes que têm essa preferência de profissional.

Mulheres solteiras que moram sozinhas, mães e idosas são o público alvo, além é claro, das pessoas LGBTQIA+ que buscam por esses serviços.

Dessa forma, os empreendedores desse nicho de negócio buscam contratar pessoas que entram neste perfil de colaborador, adotando um público mais segmentado de clientes.

Faça você mesmo: Dicas de pequenos e simples reparos domésticos

Mas se você quer cortar os gastos dos seu orçamento mensal, saiba que aprender a realizar reparos simples em sua casa é uma das dicas para começar 2021 com as contas no azul.

Essas opções valem para serviços que não necessitam de uma visão profissional, mas com ajuda de poucos materiais, você mesmo pode fazer o reparo.

  • Trocar Lâmpada tomando todos os cuidados necessários;
  • Consertar vidro quebrado usando a melhor cola para vidro (Ideal para conserto de vidro de carro, peças decorativas e janelas);
  • Vedar janelas para acabar com vazamentos causados pela chuva;
  • Corrigir imperfeições na parede usando massa corrida e tinta;
  • Desentupir pias e vaso sanitário;
  • Pendurar quadro ou prateleiras para decorar um ambiente.

Nessas opções você pode escolher assistir um vídeo na internet e até fazer cursos rápidos com passo a passo para realizar o conserto.

No entanto, se preferir, conte com as empresas de manutenção e reparos de sua confiança, existem muitas opções que podem se encaixar na sua demanda de serviço.

Continue lendo

Geral

Prefeitura de Manaus decide não liberar escolas municipais para aplicação do Enem

Publicado

em

Em meio ao aumento de casos do novo coronavírus na capital amazonense, a Prefeitura de Manaus decidiu não liberar as escolas municipais da cidade para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A Secretaria Municipal de Educação afirma que encaminhou um ofício ao Ministério Público Federal (MPF-AM) em que expõe os motivos da decisão.

A primeira prova do Enem está marcada para o próximo domingo (17). O secretário municipal de Educação, Pauderney Avelino, diz que o documento encaminhado ao MPF solicita também o adiamento da prova. 

Nesta quarta-feira (13), a Justiça Federal decidiu suspender o Enem em todo o estado do Amazonas. O pedido de suspensão foi feito pelo vereador Amom Mandel Lins Filho (Podemos) e pelo deputado federal Marcelo Ramos Rodrigues (PL) que citam o momento delicado que passa o estado em relação à pandemia. (Brasil 61)

Continue lendo

Geral

Governo libera recurso para Educação Ambiental no Acre

Publicado

em

Mais de R$ 1,7 milhão de reais foram liberados pelo Ministério do Meio Ambiente para projetos de educação ambiental no estado do Acre e no município de Santos, em São Paulo. Com essa medida, o governo pretende oferecer capacitação em legislação ambiental junto a produtores rurais, bem como informar à população sobre a destinação correta do lixo.

No Acre, técnicos e gestores municipais receberão treinamento para fortalecer o cumprimento das normas ambientais básicas e melhorar o atendimento e orientação aos produtores rurais. No município de Santos, o projeto contempla oficinas e material pedagógico com o objetivo de sensibilizar as comunidades locais para o reaproveitamento de resíduos recicláveis.

Fazer o descarte de resíduos de forma errada e desperdiçar matéria-prima são práticas que atingem diretamente a população, em especial comunidades de baixa renda. Em cidades costeiras, a destinação ambientalmente adequada do lixo merece cuidado especial, tendo em vista o problema do lixo no mar. Por isso, essas ações buscam proteger o meio ambiente e a saúde das pessoas, e ainda contribuir para gerar emprego e renda de maneira sustentável nas regiões. Somadas, as populações beneficiadas direta e indiretamente ultrapassam 1,2 milhão de brasileiros. (Brasil 61)

Continue lendo
publicidade Bronze