Connect with us

Araguatins

Região de belezas naturais e um dos mais baixos IDHs, Bico recebe elaboração do PPA

Publicado

em

Região de belos recantos naturais emoldurados pelos rios Tocantins e Araguaia, o Bico do Papagaio  é formado por 23 municípios que concentram os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do Estado, com média de 0,58, conforme levantamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) elaborado em 2000. Não é à toa que o programa Bolsa Família, do governo federal, atende na região 23.850 famílias (número de julho/2011), ante uma população de 181.594 pessoas (Censo 2010 do IBGE). Araguatins, que sedia hoje o terceiro fórum/audiência pública para elaboração do Plano Plurianual (PPA), é o mais populoso da região, com 31.232 habitantes.

O Produto Interno Bruto (PIB) gerado pelos 23 municípios do Bico girou em torno de R$ 858 milhões em 2008. As localidades que mais contribuíram para este montante foram as mais populosas: Araguatins (R$ 129,4 milhões) e Tocantinópolis (R$ 111,1 milhões). De acordo com a Secretaria de Estado do Planejamento e da Mordenização da Gestão Pública (Seplam), o setor de serviços, seguido pelo agropecuário e industrial, compõe a economia da região. No setor de serviços, conforme o governo, destacam-se as atividades de administração pública e comércio. No industrial, o grande destaque é a atividade de construção civil, com relevante participação das obras públicas. É importante destacar que, na região, encontram-se as empresas Tobasa e Asa Norte Alimentos. A primeira, em Tocantinópolis, explora de forma sustentável o coco babaçu, utilizado para produção de óleo, sabão de coco, álcool, carvão ativado e outros produtos. A outra empresa, por sua vez, tem sede em Aguiarnópolis e está voltada para o abate de aves, com capacidade de abate diário de 150 mil aves. Para este município, também está prevista uma plataforma multimodal da Ferrovia Norte-Sul.

Na agricultura, destaca-se a produção de feijão, arroz, milho e mandioca. Contudo, alguns municípios da região também apresentam potencialidades para o cultivo de banana, cana-de-açúcar, coco da Bahia, algodão e sorgo. Na pecuária sobressai a criação de bovinos e de aves. Também existe potencialidade para o desenvolvimento da apicultura.

O projeto de Irrigação Sampaio, no município de mesmo nome, é visto pelo governo como importante instrumento de desenvolvimento regional, com área de 960 hectares.

Investimentos

Na visão do governo, um dos investimentos esperados na região de Araguatins é a implantação da estação de transbordo de cargas Ecoporto de Praia Norte, que visa melhorar a competitividade para exportação tocantinense, aproveitar a multimodalidade e ser o primeiro porto de carga no Tocantins.

No pátio de Aguiarnópolis será possível integrar os modais rodoviário, ferrroviário e hidroviário, com a construção da eclusa da Usina Hidrelétrica (UHE) de Estreito.

BICO DO PAPAGAIO

Cidade sede: Araguatins

Número de municípios: 23

População total: 181.594 habitantes

IDH (média dos municípios): 0,58

PIB (total da região): R$ 858.407.000,00

Repasses federais (jan a jul/2011): R$ 93.038.895,05

Repasses estaduais (IPVA jan a jul/2011): R$ 1.905.878,56

Repasses estaduais (ICMS jan a jul/2011): R$ 11.234.862,85

Bolsa Família: 23.850 famílias (julho/2011)

ARAGUATINS

Araguatins, com quase 31,5 mil habitantes, tem a sua economia ancorada na agricultura familiar. Também gera renda a temporada de praia no Rio Araguaia. Embora detenha uma das melhores estruturas hoteleiras da região, os casos de cegueira acontecidos em 2005, e que foram atribuídos à água, embora sem comprovação científica, levaram a uma debandada dos visitantes. O prefeito Francisco da Rocha Miranda (PMDB) não se mostra muito otimista. Ele vê o município com muitos problemas e pouco dinheiro para fazer frente a eles. Na educação, são 36 escolas na zona rural e uma frota de 26 veículos para transportar os alunos, a um custo mensal de R$ 140 mil, com uma contrapartida do Estado de R$ 70 mil”. Mas Miranda garante que oferece a melhor merenda escolar do Brasil.  A saúde também exige investimentos, mas ele diz que conta com 12 médicos e 4 ambulâncias e que esta estrutura consegue atender a população.

NAZARÉ

Nazaré, a 523 km de Palmas, tem cerca de 4,3 mil habitantes. A economia é movida pela pecuária e agricultura de subsistência. O município tem cerca de 1,5 mil estudantes, quatro escolas estaduais e quatro municipais. O prefeito Clayton Paulo Rodrigues (PTB) reivindica mais policiamento, embora ressalte que a cidade é tranquila. Na saúde são quatro unidades, incluindo um Hospital de Pequeno Porte (HPP).

CARRASCO BONITO

A agropecuária é a principal fonte de renda para os 3.314 habitantes de Carrasco Bonito, município situado a 712 km de Palmas. “Destacam-se o cultivo de arroz, milho e feijão, além da criação de gado, com um rebanho de aproximadamente 5 mil cabeças”, informa o prefeito Carlindo Ayres Rodrigues (PRTB). O maior problema de Carrasco Bonito, diz Rodrigues, é o déficit habitacional. Já na educação, apesar das seis escolas (duas estaduais e quatro municipais), “é preciso reformar e ampliar as unidades, que acomodam cerca de 800 alunos.” A única unidade de saúde foi ampliada e reformada recentemente e atende aos casos menos graves.

CACHOEIRINHA

O maior atrativo turístico é a cachoeira do Córrego Cachoeirinha, que deu nome à cidade, hoje com pouco mais de 2,1 mil habitantes. Localizado a 540 km de Palmas, sua economia é baseada na agropecuária, com rebanho superior a 15 mil cabeças de gado. O prefeito Zélio Herculano de Castro (PR) acredita que a pecuária é a vocação econômica de Cachoeirinha e mais investimentos neste setor iriam melhorar a oferta de empregos e a renda dos moradores. “Carecemos de mais incentivos aos pequenos produtores.” Na área de educação, segundo o prefeito, não há problema: as quatro escolas estão em boas condições e atendem cerca de 500 alunos. O mesmo não ocorre na saúde. A única unidade precisa de ampliação. Mas o maior problema de Cachoeirinha, conforme Castro, é a falta de infraestrutura: não há asfalto e o que existe precisa de recapeamento. Nas estradas vicinais, a demanda é por cascalhamento e existe déficit de moradias.

AGUIARNÓPOLIS

Aguiarnópolis, a 488 km de Palmas, conta com cerca de 5,1 mil habitantes e a taxa de aumento populacional está em franco crescimento: quase 4% ao ano. A maior parte dos moradores vive na zona urbana, sustentada pela implantação de indústrias como a esmagadora de soja Granol e  frigorífico avícola. Isso provocou um aumento na arrecadação e fez a receita do município mais que dobrar de 2004 para cá. Para o prefeito José Rubens Cabral (PSDB), a localização do município fortalece sua vocação para a industrialização. Porém, o aumento acentuado da população também gera problemas estruturais, como o déficit habitacional. O atendimento à saúde é feito em um único Pronto Socorro. Na educação, o prefeito diz que não existem problemas graves e indica o transporte escolar como um fator positivo.

ANGICO

Angico, a 512 km de Palmas, tem cerca de 3 mil habitantes e a quantidade de moradores na zona urbana é pouco maior que a residente na área rural. A principal fonte econômica é a agropecuária, com destaque para o arroz, feijão e mandioca – entre as lavouras temporárias – e banana, maracujá e laranja nas culturas permanentes. A pecuária é baseada na criação de gado de corte e aves. O prefeito Deusdete Borges Pereira (PP) explica que as demandas do município são em infraestrutura. “Pavimentação de estradas, ampliação do saneamento básico e aumento no número de moradias”, relaciona. Na saúde, Angico conta com um Pronto Atendimento, mas não tem leito para internação. Também não há médicos especialistas, mas o município oferece atendimento odontológico gratuito. A cidade possui quatro escolas municipais.

MAURILÂNDIA DO TOCANTINS

Maurilândia fica a 575 quilômetros de Palmas e é um município de pouco mais de 3 mil habitantes. Conforme o prefeito Gilderlan Ribeiro de Sousa Melo (PMDB), a agropecuária é o forte da economia. A cidade conta com um posto de saúde e tem três escolas, das quais duas são municipais.

DARCINÓPOLIS

Darcinópolis, a 466 km de Palmas, com cerca de 5,2 mil habitantes, é administrada por Antonio Maria Arouca (PMDB). Atualmente, 40% da população do município explora a agricultura e a pecuária, com destaque para o arroz, milho, feijão, mandioca e o gado leiteiro. Na saúde, a população é atendida por duas equipes do Programa de Saúde da Família (PSF). Os atendimentos são realizados no único posto de saúde da cidade. Possui ainda quatro escolas municipais na zona rural e outras duas na cidade, que também conta com um colégio estadual. Ao todo estão matriculados em 2011 1.578 alunos. Na opinião dos gestores de Darcinópolis, o município é muito carente de políticas de desenvolvimento, que possibilitem melhorias na infraestrutura, educação, segurança e trabalho.

TOCANTINÓPOLIS

Banhada pelo Rio Tocantins e com forte identidade turística, Tocantinópolis, a 531 km de Palmas, tem sua economia fortalecida pela agropecuária e avicultura. São aproximadamente 1,5 milhão de aves, cuja carne abastece todo o País e, em breve, o exterior. A cidade conta ainda com uma empresa de beneficiamento do babaçu, que emprega 180 pessoas. O prefeito Fabion Gomes de Sousa (PR) conta que das 20 escolas municipais, 18 foram reformadas e ampliadas recentemente e ganharam novos laboratórios de informática e pesquisa. Ainda segundo Sousa, na educação, o município se destaca pela valorização dos profissionais. “Pagamos aos professores com 30 horas semanais um salário de R$ 1.350,00,  bem superior ao piso, que é de R$ 1.197,00.”

ESPERANTINA

O desemprego foi apontado como o maior problema do município, distante 759 km de Palmas, entre os rios Araguaia e Tocantins. Segundo a prefeita Geneci Pérpetua dos Santos Almeida (PR), há uma constante migração de moradores para Goiás e para o interior de São Paulo. A causa, diz, é a falta de emprego no município, onde prevalece a agricultura familiar. A pecuária, com um rebanho de 25 mil cabeças de gado, é outra atividade importante. Na saúde, Geneci diz que Esperantina conta apenas com um pronto atendimento e um posto de saúde, ainda em construção. Faltam pavimentação na cidade e nas estradas vicinais, além do déficit habitacional na cidade e no campo. O município não tem recursos para investir no potencial turístico do encontro dos rios.

SÃO BENTO DO TOCANTINS

Com cerca de 4,6 mil habitantes e distante 548 km de Palmas, é um município apoiado na agricultura familiar. São oito assentamentos que produzem arroz, feijão, mandioca e milho, mas apenas para subsistência. Segundo a prefeita Lubelafaete Milhomem (PMDB) o desemprego é baixo, mas, de olho no futuro, diz que é preciso investir em uma agricultura mais produtiva e comercial. O turismo encontra-se entre as atividades que podem ser melhor aproveitadas. Os destaques são a Cachoeira das Lajes e o Balneário Oscar Milhomem (Ribeirão São Bento). “Precisamos melhorar a estrutura destes locais e fazer do turismo ecológico uma atividade viável e rentável.” São quatro escolas municipais (uma na cidade); e duas estaduais. Há um pronto atendimento e um posto de saúde.

SÃO SEBASTIÃO DO TO

Com cerca de 4,2 mil habitantes e a economia girando em torno dos órgãos públicos municipais, o município, a 649 km de Palmas, tem no desemprego um dos problemas mais graves. A agricultura familiar (arroz, melancia, feijão, milho e mandioca) é produzida em sete assentamentos, e a pesca também é explorada. Segundo o prefeito Claudiney de Oliveira Conceição (PT), o babaçu seria uma possibilidade, mas a dificuldade é a instalação de uma indústria processadora. O município tem seis escolas na zona rural e uma escola e uma creche na cidade. Na saúde, o prefeito diz não haver grandes problemas. A pavimentação de 3 km na cidade e outros 25 km de cascalhamento nas estradas vicinais está entre as demandas. A Festa do Peixe, realizada geralmente em maio, é a principal atração turística local.

PRAIA NORTE

Banhada pelo Rio Tocantins, Praia Norte, a 678 Km de Palmas, possui cerca de 7,6 mil moradores, que vivem basicamente da agricultura familiar e da pesca. Entre junho e setembro, as praias do Girassol, Sossego e Gaivota, segundo o prefeito Gilmar Alves Pinheiro (PMDB), atraem de 60 a 70 mil turistas para o município. A cidade tem duas escolas estaduais e 14 municipais, e três unidades do Programa Saúde da Família (PSF). Os casos mais graves vão para o Hospital de Referência de Augustinópolis, a 11 km de Praia Norte. A maior dificuldade, conforme Pinheiro, é a falta de emprego. “Há dois anos lutamos pela instalação do porto fluvial de Praia Norte, cuja área de 150 hectares (ha) já foi adquirida pela prefeitura.” A obra, do governo estadual e iniciativa privada, deve gerar cerca de três mil empregos diretos, aposta o prefeito.

ITAGUATINS

Itaguatins, a 600 Km de Palmas, tem na pecuária de corte e no turismo os pontos fortes de sua economia. Conforme o prefeito Homero Barreto Júnior (PR), o rebanho gira em torno de 50 mil cabeças e, na temporada de praia, que se estende de junho a agosto, a cidade chega a receber cerca de 40 mil turistas. No atendimento básico à sua população de quase 5,7 mil habitantes, o prefeito diz que a educação tem melhorado, embora ainda precise de investimentos. “Reformamos 80% das escolas e estamos capacitando os professores”, aponta Barreto Júnior, que também cobra melhorias para a saúde. “É preciso equipar o hospital e contratar mais profissionais”, resume, destacando o aumento do uso de drogas. “Nós somos a porta de entrada para o Maranhão e isso tem se mostrado um problema”, diz.

LUZINÓPOLIS

Luzinópolis, a 513 Km de Palmas, tem cerca de 2,6 mil habitantes e é administrada pela prefeita Carla Cristina da Silva (PSDB). A principal atividade econômica é a agropecuária, com destaque para o feijão, milho e mandioca, destinados ao programa Compra Direta, do governo federal. O município possui um rebanho de gado leiteiro de cerca de 8,2 mil cabeças. São quatro escolas municipais (uma na zona rural) e um colégio estadual, atendendo 826 alunos. Na saúde, Luzinópolis dispõe de um posto de atendimento, mantido pelos governos federal e municipal, para toda a população, inclusive a rural. Para os gestores, a cidade tem sérios problemas com a falta de segurança e a falta de infraestrutura como, pavimentação urbana e coleta de lixo.

AUGUSTINÓPOLIS

Distante 682 km de Palmas, tem 15.950 habitantes. A origem do município remonta à década de 1960, mas somente em 1982 foi emancipado.  Sua vocação econômica é a agricultura, com o plantio de arroz, feijão e milho, e a pecuária de corte e leiteira. No município, estão instalados três laticínios privados. Também se destaca a produção de hortifrutigranjeiros. Das dificuldades relatadas pela prefeita Maria do Carmo Alcântara (PMDB), as principais são de infraestrutura: manutenção de estradas vicinais, pavimentação asfáltica no perímetro urbano e construção de novas escolas. “Temos alugado imóveis para atender à demanda por novas vagas”, conta. São 14 escolas municipais (cinco na zona urbana e nove no campo). Há outros cinco colégios estaduais e uma faculdade privada. Na saúde, o município conta com um Hospital Regional e sete outras unidades, das quais quatro estão na zona urbana e três no campo.

SÍTIO NOVO

A 627 km de Palmas, a cidade vê sua população encolher. O prefeito Antônio Jair Abril Farias (PMDB) acredita que a falta de oportunidades leva os jovens a emigrar. “Tínhamos cerca de 11 mil habitantes e o último Censo identificou pouco mais de 9 mil.” Ele diz que investimentos na agricultura podem reverter essa situação. “Temos terras férteis. Precisamos gerar emprego e renda.” Sítio Novo é um dos municípios destacados para receber o Programa de Desenvolvimento Regional Integrado Sustentável (PDRIS), que pretende investir US$ 375 milhões no Tocantins em recursos do Banco Mundial. “As estradas começaram a ser recuperadas, mas o trabalho não foi concluído. Temos Projetos de Assentamento (PAs) da reforma agrária que ainda não têm estrada.” O prefeito destaca que a educação, com cinco escolas estaduais e mais de 20 municipais, vai bem, mas que é preciso aprimorar o atendimento da população na área de saúde. “Precisamos fazer adequações no hospital municipal, equipá-lo para procedimentos cirúrgicos de pequena complexidade.”

AXIXÁ DO TOCANTINS

Com uma economia baseada na agricultura familiar e na pecuária, Axixá do Tocantins, a 643 quilômetros de Palmas, é considerada a maior produtora de melancia e a segunda em mel e leite na região, de acordo com o prefeito Ruidiard de Sousa Brito (PT). A cidade possui cerca de 9,2 mil habitantes, sendo a 7ª em população na região do Bico do Papagaio. Axixá conta com um hospital de pequeno porte e 27 escolas, das quais 17 na zona rural. Na rede pública municipal estudam 2,4 mil alunos. Os maiores problemas do município, diz Brito, estão relacionados a questões de infraestrutura urbana: faltam drenagem e rede de esgoto e as escolas precisam ser aprimoradas.

SAMPAIO

Localizado a 687 km de Palmas, Sampaio possui cerca de 3,8 mil moradores, sendo uma das menores cidades da região. A economia é baseada principalmente na agricultura. O prefeito Luiz Anacleto da Silva (PT) diz que o município espera há 11 anos pela conclusão do Projeto Sampaio, dos governos federal e estadual, cujas obras estão paradas há três anos. De acordo com Silva, quando o projeto de irrigação estiver em atividade, empregará mais de mil pessoas na produção de grãos e hortifrutigranjeiros. Também são listadas como demandas da cidade investimentos nas escolas e na rede de esgoto. O prefeito destaca como atrativo de Sampaio, a Praia da Amizade, que recebe em média 16 mil pessoas em época de temporada.  

BURITI DO TOCANTINS

Com quase 10 mil habitantes, Buriti do Tocantins, a 714 quilômetros de Palmas, tem na agricultura familiar e no funcionalismo público a sua principal fonte econômica. Segundo o prefeito Alvimar Cayres de Almeida (PTB), problemas como calçamento e pavimentação e o déficit habitacional de 950 casas são os principais problemas enfrentados no município, que conta com 13 escolas municipais (sendo 8 na zona rural) e 5 estaduais. A saúde da população é cuidada por três equipes do Programa Saúde da Família (PSF).

SANTA TEREZINHA DO TO

Embora com a economia ancorada na agricultura familiar, o município, a 502 Km de Palmas, não conta com assistência técnica e extensão rural. Segundo o prefeito Kleibson Belarmino de Sousa (PP), o município enfrenta problemas na conservação das estradas vicinais, devido à falta de maquinários, e possui um déficit habitacional de 250 casas populares. A população, de cerca de 2,4 mil habitantes, dispõe de quatro escolas municipais (três na zona rural); e três equipes do Programa Saúde da Família (PSF).

PALMEIRAS

Distante pouco mais de dez quilômetros da Usina Hidrelétrica (UHE) de Estreito e a 477 Km de Palmas, tem na criação de gado de corte e no potencial turístico  – o lago da usina -o forte da sua economia. O prefeito Anissé Alves de Sousa (PT) diz que Palmeiras, que tem cerca 5,7 mil habitantes, possui seis escolas municipais, sendo cinco na zona rural; e um  posto de saúde com atendimentos médico e odontológico. “Outros três serão inaugurados em breve, sendo um na cidade e outros dois na zona rural”, adianta. (Jornal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Araguatins

ARAGUATINS: Técnicos em Agropecuária colam grau no IFTO

Publicado

em

A noite do último sábado, 10, foi especial para o Campus do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia (IFTO), que celebrou a colação de grau de cerca de 100 estudantes do curso técnico em Agropecuária, integrado ao Ensino Médio.

A solenidade, que reuniu no Campus autoridades, amigos e familiares dos formandos, foi marcada pela emoção e alegria. Durante o evento os novos técnicos em Agropecuária proferiram o juramento e enfatizaram o sentimento de carinho e agradecimento pelo Campus Araguatins, que segundo eles proporcionou mais do que uma formação profissional, uma formação para a vida.

Na ocasião o diretor-geral do Campus, professor Décio dos Reis, destacou aos estudantes que a formatura é apenas o primeiro passo de uma nova jornada e desejou “que a ética, o respeito e a fé sejam sempre companheiras de vocês em todas as atividades que realizarem durante a vida”.  O diretor ressaltou ainda o esforço dos estudantes, lembrando que: “A persistência e a dedicação trouxeram vocês até aqui e acreditem, elas podem levá-los muito mais além. Sonhem, tenham atitude, foco e determinação, pois este é o caminho para o sucesso”.

Os formandos, que homenagearam no nome da turma o professor Mauro Gomes dos Santos, foram apadrinhados pelos professores Carla Marina da Silva e Paulo Hernandes Gonçalves. A patronesse da turma foi a prefeita do município de Augustinópolis, Maria do Carmo Alcântara. (ASCOM/IFTO)

Continue lendo

Araguatins

Araguatinense coordena plantio de espécies nativas no município de Campos Lindos

Publicado

em

Em atendimento ao pedido da Prefeitura de Campos Lindos do Tocantins, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), por meio da diretoria de Controle e Uso dos Recursos Hídricos, doou e contribuiu com o plantio de 660 mudas de espécies nativas do cerrado tocantinense. A ação ocorreu entre os dias 26 e 30 de dezembro, no perímetro urbano do município, sob o comando do araguatinense Maurivan Braga de Almeida, responsável direto por esse tipo de ação no Naturatins. (mais…)

Continue lendo

Araguatins

ARAGUATINS: AD realiza batismo antes a virada de ano

Publicado

em

Cinco integrantes pertencentes as congregações da igreja Assembléia de Deus (CIADSETA) em Araguatins, desceram as águas batismais na manhã do sábado, 31, ultimo dia de 2011, no balneário do Antonio Guedes, localizado no povoado Transaraguaia. (mais…)

Continue lendo
publicidade Bronze