A espera foi longa, mas o Náutico comemorou neste domingo, 6, o primeiro título nacional em 118 anos de história. Depois da vitória por 3 a 1, no jogo de ida da final da Série C, nos Aflitos, o time pernambucano alcançou a conquista inédita com um empate por 2 a 2 com o Sampaio Corrêa, no Castelão, em São Luís, no Maranhão, pelo confronto de volta da decisão.

Os gols do time pernambucano foram marcados por Álvaro e Matheus Carvalho, destaques também em outros momentos da competição. Álvaro marcou no jogo que garantiu o acesso à Série B, contra o Paysandu, e nas duas partidas da semifinal, contra o Juventude. Já Matheus Carvalho foi o responsável por converter o pênalti que colocou a equipe do Recife na segunda divisão de 2020, diante dos paraenses.

Se o time pernambucano comemora o primeiro título fora do âmbito regional, o Sampaio perdeu a oportunidade de celebrar a quarta conquista nacional, uma vez que já foi campeão das Séries B, C e D (1972, 1997 e 2012, respectivamente). Assim como o campeão, a equipe maranhense está garantida na segunda divisão de 2020, ao lado de Juventude e Confiança, eliminados nas semifinais pelos finalistas deste domingo.

Em desvantagem e jogando em casa, o Sampaio Corrêa tentou se impor logo nos primeiros minutos da partida. O primeiro gol do jogo foi marcado por Everton, aos 13 minutos do primeiro tempo. O lateral chutou colocado e contou com o quique da bola para vencer o goleiro Andrey e fazer 1 a 0.

O Sampaio manteve o ímpeto ofensivo, mas foi para os vestiários vencendo por apenas um gol. Na volta do segundo tempo, porém, o Náutico empatou aos seis minutos, com Álvaro, que marcou de cabeça após cruzamento de Jean Carlos.

A partir daí, o Náutico não quis saber de se expor e acabou dando espaço para o Sampaio criar algumas boas chances. Restou confiar no goleiro Jefferson, que brilhou aos 16 minutos, ao fazer uma defesa após finalização de Salatiel, e aos 26, quando impediu gol de Eloir.

Depois de muita insistência, o Sampaio conseguiu o segundo gol aos 37 minutos, com Eloir, e reacendeu a esperança do título, mas o sentimento durou pouco. No lance seguinte, aos 39, Matheus Carvalho apareceu para empatar e dar o título do time pernambucano. Ainda deu tempo de o zagueiro Diego ser expulso por falta dura e dar início a uma breve confusão. Nada que pudesse atrapalhar a festa do campeão. (Veja com Estadão Conteúdo/Foto: Rômulo Alcoforado)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.