Connect with us

Maranhão

SÃO LUÍS: Lockdown entra em vigor

Publicado

em

Começaram a valer nesta terça, 5, medidas mais rigorosas que o governo do Maranhão impôs para restringir a circulação de pessoas na Ilha de São Luís e, assim, tentar conter o aumento do número de casos e de mortes pela covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, o estado tinha, até ontem (4), 4.227 casos confirmados da doença e 249 mortes. 

O chamado lockdown, ou bloqueio máximo, foi adotado por determinação da Justiça estadual, a pedido do Ministério Público do Maranhão, em virtude da pandemia do novo coronavírus. O Maranhão é a primeira unidade da federação a determinar o bloqueio total de quase todas as atividades comerciais não essenciais, com multas e outras punições para quem descumprir a medida. 

As novas regras para circulação de pessoas, funcionamento de estabelecimentos comerciais e tráfego de veículos se aplicam também às cidades de Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar. Inicialmente, irão vigorar por dez dias, ou seja, até o próximo dia 14.

Todos os negócios considerados não essenciais à manutenção da vida e da saúde estão proibidos de funcionar. O uso de máscara é obrigatório em locais públicos e de uso coletivo e quem desrespeitas as novas regras estabelecidas no Decreto 35.784 pode ser multado ou sofrer outras punições.

Vias de acesso à Ilha de São Luís, avenidas da capital e rodovias estaduais foram bloqueadas e apenas caminhões e veículos a serviço de órgãos públicos, como ambulâncias e viaturas policiais, estão podendo entrar ou deixar a ilha. Como o transporte de produtos está liberado e os mercados funcionando, o governo estadual pede às pessoas que evitem estocar alimentos e itens de higiene e limpeza. O que não impediu uma corrida aos estabelecimentos nos últimos dias.

Só quem trabalha em atividade considerada essencial ou que saia de casa por necessidade (por exemplo, ir ao mercado ou a um serviço médico) pode circular livremente pelas ruas. Os trabalhadores essenciais precisam levar consigo uma declaração do empregador atestando o tipo de serviço desempenhado. A relação das atividades classificadas como essenciais consta do Decreto 35.784, que detalha todas as medidas preventivas e restritivas para o período.

Já quem não possui o comprovante, se abordado por agentes de segurança pública, precisará apresentar a justificativa verbalmente, podendo ter que comprová-la. Como ônibus (que funcionarão com pontos de paradas reduzidos), táxis e transporte por aplicativo estão liberados, caberá aos passageiros, eventualmente, comprovar o motivo para estarem nas ruas.

Autorização para funcionar

Estão autorizados a funcionar normalmente: bancos e casas lotéricas; postos de combustíveis; abastecimento de água e luz; coleta de lixo; imprensa; serviços funerários; telecomunicações; segurança privada; bem como serviços de manutenção, segurança, conservação, cuidado e limpeza em ambientes privados (empresas, residências, condomínios). O aeroporto de São Luís pode operar normalmente, enquanto o serviço de ferryboat (balsa) está disponível apenas para ambulâncias, viaturas oficiais e para o transporte de cargas e de profissionais da saúde em serviço.

Além disso, desde que se atentem às normas, hotéis e pousadas; oficinas mecânicas e borracharias; pontos de apoio para caminhoneiros nas estradas (como restaurantes e pontos de parada); lavanderias; comércio de álcool em gel; indústrias do setor de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza também podem continuar atendendo aos clientes, observando as regras de higiene e os cuidados para evitar aglomerações.

Hospitais, clínicas, laboratórios e consultórios médicos também funcionarão normalmente, mas o governo maranhense recomenda que consultas e procedimentos não emergenciais sejam adiados sempre que possível.

No Twitter, o governador Flávio Dino afirmou que as medidas são uma tentativa para conter o aumento do número de casos e de mortes pela covid-19 no estado. “Vale a pena o esforço, para que possamos voltar ao normal o quanto antes”, escreveu Dino em uma de suas postagens no microblog. “Entrada e saída da Ilha de São Luís apenas com fluxo de caminhões. Isso é altamente importante para a proteção da saúde dos 217 municípios maranhenses. Agradeço a colaboração de todos”, comentou Dino em outro post.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

AÇAILÂNDIA: Filho de deputado paraense é preso com 40 kg de maconha

Publicado

em

A Polícia Civil do estado do Maranhão, prendeu em flagrante na última terça-feira, 26, Rogério Alves Bordalo, de 34 anos, após ser encontrado com aproximadamente 40 quilos de maconha escondida nas portas, bancos, assoalho, tapetes e em outros locais do veículo.

Rogério é filho do deputado estadual Carlos Bordalo (PT). Rogério já vinha sendo monitorado através de interceptação telefônica, autorizada pela Justiça.

Ele foi detido em uma barreira montada pela Polícia Civil nas proximidades do Povoado Pequiá, em Açailândia. O acusado estava em um carro da marca Hyundai, modelo HB20, cor preta, conduzido pelo investigado.

Após a apreensão de todo o material e do veículo, o condutor foi preso e autuado em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas e encontra-se à disposição da justiça.

O deputado Carlos Bordalo usou as redes sociais para se pronunciar sobre o caso:

O Deputado Bordalo vem a público esclarecer que acompanha com atenção os desdobramentos da prisão de seu filho, o geólogo Rogério Bordalo, 34, em Açailândia no Maranhão.

Rogério tem mestrado na Unicamp, é dependente químico e vem tentando abandonar o vício há alguns anos. Este episódio mostra o quanto a vida de uma pessoa pode ser alterada por circunstâncias que a família muitas vezes desconhece.

O Deputado, a mãe de Rogério, seus irmãos e irmã sentem a dor de milhares de famílias que embora tenham aconselhado e apoiado seus filhos se veem impotentes diante de fatos como estes.

O Deputado presta auxílio jurídico ao filho que aguarda decisão da justiça maranhense sobre a possibilidade de responder em liberdade.

Com serenidade a família agradece a solidariedade recebida de todos e todas que emanam força e esperança pelo realinhamento da vida de Rogério, afastada do eixo por um mal que assola milhares de lares em nosso país.

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Inauguração de unidade do Mix Atacarejo gera tumulto em época de pandemia

Publicado

em

Em pleno período de pandemia, empresas, poder público e população na cidade de Imperatriz, no sul do Maranhão, não tomam medidas necessárias para conter o avanço da doença. O fato ficou nítido nesta sexta, 29, durante inauguração de unidade do Mix Atacarejo, da Av. Pedro Neiva de Santana.

O que se viu por lá, foi uma grande aglomeração nas primeiras horas da manhã, cenário perfeito para o contagio da Covid-19. Não por acaso, Imperatriz já tem 1.291 pessoas que contraíram o Sars-CoV-2, vírus que causa a Covid-19. Destes, 94 morreram.

A Prefeitura Municipal disse que atuou para controlado a situação e auxiliar no controle do fluxo de pessoas e veículos e afirmou que foi momentâneo o aumento na circulação de pessoas no local, que foi contido e a permanência de clientes organizada por agentes públicos, em conjunto com os colaboradores do estabelecimento.

Segundo a Prefeitura, os agentes públicos passaram a permitir a entrada de apenas um cliente por vez, tendo a ligeira diminuição do fluxo de pessoas e veículos. Filas dentro do supermercado também foram reguladas, com o controle de 2 metros de distância entre as pessoas. A rápida resposta da equipe do município, juntamente com os colaboradores do estabelecimento, contribuiu para eficaz intervenção em possíveis aglomerações.

Continue lendo

Maranhão

Contrabandistas de hidroxicloroquina são presos tentando levar remédio para o Maranhão

Publicado

em

Quatro homens foram presos na quarta-feira (27) em Uruaçu, no norte de Goiás, suspeitos de contrabandear 3,6 mil comprimidos do remédio hidroxicloroquina. As cápsulas estavam escondidas dentro de caixas de equipamentos de som transportadas em uma caminhonete e seriam levadas par ao Maranhão.

A suspeita é que o grupo comercializaria o medicamento de forma clandestina.

O medicamento foi liberado pelo Ministério da Saúde para tratamento de pacientes com coronavírus, até mesmo em casos leves. Pesquisas feitas em várias partes do mundo apontaram, entretanto, que não há eficácia comprovada.

A Polícia Rodoviária Federal encontrou o carregamento de remédio durante uma abordagem de rotina na BR-153. “Os quatro ocupantes disseram que montam estruturas para eventos e que estavam voltando de um show. Os policiais desconfiaram da versão, pois os eventos estão suspensos durante o período de pandemia”, disse o assessor de imprensa da PRF, Newton Morais.

Continue lendo
publicidade