Connect with us

Bico do Papagaio

SÃO MIGUEL: Preço do coco babaçu é debatido em encontro da Setas e associação de quebradeiras

Publicado

em

A luta por melhores condições de vida constantemente reúne as quebradeiras de coco do Bico do Papagaio, mas nos dias 29 e 30 a Asmubip – Associação Regional das Mulheres Trabalhadoras Rurais do Bico do Papagaio realizou em São Miguel do Tocantins o primeiro encontro sobre gestão do projeto babaçu, uma importante conquista para a região. Na reunião, a secretaria executiva do projeto pôde apresentar o trabalho desenvolvido nos primeiros três meses de execução às coordenadoras de núcleo da associação, que reúne mulheres de 11 municípios da região e também aos parceiros do projeto.

O Projeto Babaçu é uma parceria entre Asmubip e Setas – Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social. Em 2008, o projeto foi aprovado pela Petrobras recebendo recursos de mais de R$ 500 mil. Com o recurso a associação poderá manter funcionando a unidade de processamento de mesocarpo e a unidade que fabrica o óleo de coco. Outro benefício proposto no projeto é a melhoria na qualidade dos subprodutos e para tanto serão contratados consultores especializados para ministrar cursos e adquiridas embalagens adequadas para cada produto do babaçu. De acordo com o técnico da Setas, Josivaldo Veloso, para que os ganhos do projeto sejam mantidos por mais tempo, parte dos investimentos serão aplicados em capital de giro e divulgação dos produtos buscando ampliar mercado e elevar o preço dos produtos.

Segundo o coordenador do Projeto, Marcelo Oliveira Barbosa, das atividades propostas no projeto, até o momento, já foram comprados 20mil quilos de amêndoas das associadas, contratadas consultoria de marketing e fabricado parte do material de divulgação. “Estamos com um bom desempenho das ações buscando alcançar as metas estabelecidas”, completa.

A Asmubip trabalha há mais de 15 anos e surgiu da necessidade de unir forças para preservar os palmeirais, que são constantemente ameaçados pelos fazendeiros da região e para agregar valor ao babaçu e seus subprodutos. Nesse período muitos avanços foram conquistados, como todas as quebradeiras gostam de ressaltar. Mas ainda hoje o preço pago pelo coco não oferece um salário digno a essas mulheres. Para se ter ideia o melhor preço pago pelo coco é R$ 1,50 o quilo. Cada quebradeira consegue, em média, 7kg por dia, o que no final do mês não lhes garante nem um terço do salário mínimo. A quebradeira de coco Beliza da Costa comenta que a maior dificuldade da classe são os preços dos produtos e o associativismo é uma tentativa de agregar valor ao produto e lutar por melhores preços e declara: “Os benefícios do óleo, mesocarpo e outros produtos do coco já são comprovados, precisamos batalhar para seja valorizado e com isso teremos salários mais dignos”.

Projeto

O Projeto Babaçu é um dos reforços da associação nesta constante luta pela valorização da atividade extrativista, profissão de mais de 500 mil famílias no país. Para a superintendente do Trabalho da Setas, Gláucia Branchina, o empoderamento desta classe de trabalhadoras é o caminho para o desenvolvimento social da região. “O aumento no IDH- Índice de Desenvolvimento Humano dessa região demonstra que tem acontecido avanços, mas é preciso haver continuidade, por isso o Governo do Estado continuará investindo em projetos como este que possibilitam tanto o desenvolvimento econômico, quanto o Social”, explicou.

O projeto, que já está em execução desde outubro de 2009, tem mais um ano para ser concluído e a expectativa das associadas é de que as atividades desenvolvidas estruturem a produção garantindo a autonomia da Asmubip. (Lara Cavalcante)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
2 Comments

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Professor Eliézio comenta sobre acidente com tiro que matou Celi Pintor

Publicado

em

Nesta quinta, 3, o professor Eliézio Vieira, divulgou um vídeo comentando sobre o acidente que ocorreu em sua chácara, na zona rural de Araguatins, no Bico do Papagaio, no início do mês de novembro, que provocou a morte de Celi Pintor, amigo de Eliézio e bastante conhecido na cidade.

A fatalidade é tratada como um acidente, provocado pelo manuseio de uma arma de fogo.

Eliézio divulgou o vídeo, após ser veiculado em redes sociais, um áudio, afirmando que a Polícia teria concluído laudo pericial, onde apontaria Eliézio como culpado e que a Polícia estaria a procura do professor. A informação não procede.

Continue lendo

Bico do Papagaio

BURITI: Itamar diz que não disputará presidência da Câmara e pretende apoiar prefeita eleita Lucilene

Publicado

em

O vereador reeleito para seu 3° mandato Professor Itamar Martins (MDB), disse que não disputará a presidência da Câmara Municipal não por falta de experiência, conhecimento e habilidade mais por outros motivos. “Já decidi, não vou participar da eleição pra presidente”, disse o parlamentar.

Perguntado sobre quem apoiaria ele respondeu, “Estamos conversando, analisando, garanto que será um dos candidatos. Professor Itamar explicou ainda que seu principal objetivo é contribuir com a cidade junto com a gestora eleita Lucilene Brito ( SD ) e demais vereadores fazer projetos para melhoria na educação, saúde, infraestrutura, esporte e demais área nesse momento é meu foco principal”, finalizou. (Ascom)

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Prefeitura afirma que não há atraso de salários e 13º e que ação jurídica é sem motivos

Publicado

em

A Prefeitura de Araguatins informou nesta quinta-feira, 3, que tomou conhecimento com “estranheza” dos rumores de que a assessoria jurídica do prefeito eleito teria impetrado um mandado de segurança para impedir atrasos e parcelamentos nos salários dos servidores, dentre outras finalidades. 

A ação proposta, segundo a atual gestão, é desnecessária e tem a mera finalidade de publicitar atos inexistentes, já que todos os servidores estão com os salários em dia e o 13° salário, desde o mês de janeiro, vem sendo antecipado 50% na data do aniversário dos servidores, conforme prevê a Legislação Municipal. 

Com base nesses fatos, a prefeitura reiterou que não há nenhum indício de que a gestão tenha demonstrado a intenção de deixar de cumprir seus compromissos com os servidores, descaracterizando assim, qualquer motivação para o mandato ora impetrado.

Continue lendo
publicidade Bronze