Connect with us

Bico do Papagaio

SÃO MIGUEL: Preço do coco babaçu é debatido em encontro da Setas e associação de quebradeiras

Publicado

em

A luta por melhores condições de vida constantemente reúne as quebradeiras de coco do Bico do Papagaio, mas nos dias 29 e 30 a Asmubip – Associação Regional das Mulheres Trabalhadoras Rurais do Bico do Papagaio realizou em São Miguel do Tocantins o primeiro encontro sobre gestão do projeto babaçu, uma importante conquista para a região. Na reunião, a secretaria executiva do projeto pôde apresentar o trabalho desenvolvido nos primeiros três meses de execução às coordenadoras de núcleo da associação, que reúne mulheres de 11 municípios da região e também aos parceiros do projeto.

O Projeto Babaçu é uma parceria entre Asmubip e Setas – Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social. Em 2008, o projeto foi aprovado pela Petrobras recebendo recursos de mais de R$ 500 mil. Com o recurso a associação poderá manter funcionando a unidade de processamento de mesocarpo e a unidade que fabrica o óleo de coco. Outro benefício proposto no projeto é a melhoria na qualidade dos subprodutos e para tanto serão contratados consultores especializados para ministrar cursos e adquiridas embalagens adequadas para cada produto do babaçu. De acordo com o técnico da Setas, Josivaldo Veloso, para que os ganhos do projeto sejam mantidos por mais tempo, parte dos investimentos serão aplicados em capital de giro e divulgação dos produtos buscando ampliar mercado e elevar o preço dos produtos.

Segundo o coordenador do Projeto, Marcelo Oliveira Barbosa, das atividades propostas no projeto, até o momento, já foram comprados 20mil quilos de amêndoas das associadas, contratadas consultoria de marketing e fabricado parte do material de divulgação. “Estamos com um bom desempenho das ações buscando alcançar as metas estabelecidas”, completa.

A Asmubip trabalha há mais de 15 anos e surgiu da necessidade de unir forças para preservar os palmeirais, que são constantemente ameaçados pelos fazendeiros da região e para agregar valor ao babaçu e seus subprodutos. Nesse período muitos avanços foram conquistados, como todas as quebradeiras gostam de ressaltar. Mas ainda hoje o preço pago pelo coco não oferece um salário digno a essas mulheres. Para se ter ideia o melhor preço pago pelo coco é R$ 1,50 o quilo. Cada quebradeira consegue, em média, 7kg por dia, o que no final do mês não lhes garante nem um terço do salário mínimo. A quebradeira de coco Beliza da Costa comenta que a maior dificuldade da classe são os preços dos produtos e o associativismo é uma tentativa de agregar valor ao produto e lutar por melhores preços e declara: “Os benefícios do óleo, mesocarpo e outros produtos do coco já são comprovados, precisamos batalhar para seja valorizado e com isso teremos salários mais dignos”.

Projeto

O Projeto Babaçu é um dos reforços da associação nesta constante luta pela valorização da atividade extrativista, profissão de mais de 500 mil famílias no país. Para a superintendente do Trabalho da Setas, Gláucia Branchina, o empoderamento desta classe de trabalhadoras é o caminho para o desenvolvimento social da região. “O aumento no IDH- Índice de Desenvolvimento Humano dessa região demonstra que tem acontecido avanços, mas é preciso haver continuidade, por isso o Governo do Estado continuará investindo em projetos como este que possibilitam tanto o desenvolvimento econômico, quanto o Social”, explicou.

O projeto, que já está em execução desde outubro de 2009, tem mais um ano para ser concluído e a expectativa das associadas é de que as atividades desenvolvidas estruturem a produção garantindo a autonomia da Asmubip. (Lara Cavalcante)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
2 Comments

Bico do Papagaio

IMPERATRIZ: Policial diz que tiro em médico foi acidental e provocado por desavença com amigo

Publicado

em

Momento em que Adonias sai da delegacia para fazer exame de corpo de delito

Após ser preso, na noite desta terça 27, o policial militar Adonias Sadda, acusado de matar o médico, Bruno Calaça, de 23 anos, na madrugada da última segunda, 26, em uma festa na cidade de Imperatriz, na região Tocantina, no Maranhão, foi levado para prestar depoimento na delegacia, depois conduzido para exame de corpo de delito e colocado a cela do 3º Batalhão da Polícia Militar.

Nesta quarta, 28, ele deve ser ouvido novamente pelo delegado Praxisteles Martins e detalhar sua versão.

Após ser preso, o militar disse que o tiro foi acidental e relatou que antes do crime, aconteceu uma desavença entre um de seus amigos que aparece nas imagens da câmera de segurança no momento do crime e o médico.

Continue lendo

Bico do Papagaio

RIACHINHO: Homem de 61 anos é a 8ª vítima da Covid

Publicado

em

A oitava morte por Covid-19, no município de Riachinho, no Bico do papagaio, foi oficializada pela Secretaria de Estado da saúde (SES), nesta quarta, 28, por meio de seu Boletim Epidemiológico.

A vítima é uma home de 61 anos, sem comorbidades. Ele morreu no dia 24 de junho no Hospital Regional de Porto Nacional.

Continue lendo

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Conselho de Educação aprova curso de Medicina na UNITINS. Carlesse e Amélio comemoram

Publicado

em

No final da tarde desta terça-feira, 27, o Conselho Estadual de Educação aprovou, em sua 414ª Sessão Plenária, a autorização do funcionamento do curso de Medicina da Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS), que será ofertado no campus de Augustinópolis, região do Bico do Papagaio.

O governador Mauro Carlesse (PSL) e o deputado estadual Amélio Cayres (SD), que se empenharam diretamente em todo o processo de articulação, comemoraram a decisão.

Carlesse já solicitou ao reitor da Unitins, Augusto Rezende, providências para a realização do primeiro vestibular o quanto antes.


“Temos muito o que comemorar pois é mais um sonho que aos poucos vai se tornando realidade. Em breve vamos lançar o primeiro vestibular e assim dar a oportunidade para que nossos jovens possam cursar Medicina, de forma gratuita, lembrando que 50% das vagas vão ser destinadas para alunos de escolas públicas. É uma conquista não só do Governo através da nossa universidade Estadual, a Unitins, mas de toda a comunidade tocantinense, em especial da região do Bico do Papagaio, que não vai precisar mandar o filho para fora do Estado ou até mesmo para fora do país para alcançar essa formação”, destaca o governador.

Amélio reforçou que será uma sonho e um passo de desenvolvimento para a região. “Na verdade é um grande sonho, uma grande realização poder ter participado diretamente da concretização de tudo isso. Sei que cada minuto de empenho valerá apena, porque nossa região vai experimentar um desenvolvimento extraordinário. Não posso deixar de agradecer, tudo o que o governador Carlesse fez, para que isso se tornasse realidade. Ele deu provas claras, que se importa com nossa região e com o desenvolvimento dela”, disse o parlamentar.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze