Connect with us

Bico do Papagaio

SÃO MIGUEL: Um ano sem Dona Raimunda Quebradeira de Coco, símbolo da resistência feminina no campo

Publicado

em


Há um ano, o Tocantins se despedia de Raimunda Gomes da Silva, popularmente conhecida como a Dona Raimunda Quebradeira de Coco. De origem humilde, ela se tornou símbolo da resistência feminina no campo, ficou conhecida pelo seu trabalho social como líder comunitária do povoado Sete Barracas, localizado no município de São Miguel do Tocantins, distante 610 km de Palmas, onde morou mais de 40 anos até sua morte em 7 de novembro de 2018, aos 78 anos. A morte se deu em decorrência de problemas de saúde como a diabetes.

Saudoso, o marido Antônio Cipriano ressalta que sente falta da esposa com quem ficou casado por 35 anos. “Quinta-feira é visita de um ano que ela faleceu. Eu estou sentindo muito porque vivi 35 anos mais minha velha, uma vida maravilhosa. Mas tudo tem o tempo e a hora, a Bíblia mesmo diz ‘tem o tempo de nascer, crescer, multiplicar e minguar’. Então tem o tempo da gente vir para esse mundo e o tempo de voltar. A gente tem que se conformar, é duro, não é fácil, mas a gente se conforma porque tudo é com o consentimento do pai criador”, ressalta.

A dor da perda é amenizada com as homenagens que a todo tempo chegam. “Eu fico muito satisfeito quando as pessoas falam o nome da Raimunda. Agora mesmo, teve uns jornalistas que vieram do Maranhão ver o cemitério que fizeram para a comunidade em homenagem a ela. Eu fico muito satisfeito quando o jornalista tem aquele amor de falar na Dona Raimunda que era minha esposa, para mim é uma satisfação”, diz, convidando para a visita ao cemitério que será nesta quinta-feira, 7, às 17 horas.

A história de dona Raimunda foi retratada no filme “Raimunda, a quebradeira” dirigido pelo publicitário Marcelo Silva.  “Eu a conheço desde 1992. Sempre foi uma grande inspiração para mim. Depois do documentário eu passei a ter uma dívida moral com ela por conta do prestígio que o filme me deu por isso assumi o compromisso de trabalhar pela perpetuação do legado dela”, afirmou o diretor do filme.

Em julho deste ano, Silva esteve no povoado para visitar a sepultura de Dona Raimunda e considerou que a quebradeira estava sepultada de forma indigna. Decidiu então fazer um túmulo para ela. “Constatei que ela estava sepultada indignamente. Não fazia sentido fazer um túmulo bonito para ela e deixar seus companheiros de forma indigna. Se estivesse viva, ela não aceitaria ter um túmulo bonito enquanto seus parentes e amigos não. Por isso encomendamos um projeto de um Cemitério Memorial”, destacou.

O cemitério inaugurado antes do Dia de Finados, 02 de novembro, foi projetado pelos arquitetos Ricardo Freitas, Loise Correa e Victor Marinho, todos formados na Universidade Federal do Tocantins.

As covas foram mantidas no mesmo lugar e todos no mesmo padrão, composto por cimento e grama. O memorial à Dona Raimunda ganhou uma placa maior de identificação com homenagens, placas contando a história do assentamento Sete Barracas e sete colunas ao fundo simbolizando o povoado rural, um cruzeiro horizontal e muro da saudade.

Reconhecimento em vida

Dona Raimunda foi responsável pela fundação do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), criado em 1991, atuante nos estados do Pará, Tocantins, Piauí e Maranhão, que tem como objetivo a garantia dos direitos das mulheres da região do Bico do Papagaio.

A história de luta lhe trouxe títulos. Foi a única do Tocantins que já fez parte da lista mundial das mil mulheres que concorreram ao prêmio Nobel da Paz, no ano de 2005. Em 2009, a quebradeira recebeu o título de doutora Honoris Causa da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Além de prêmios como o Diploma Mulher-Cidadã Guilhermina Ribeira da Silva, pela Assembleia Legislativa do Tocantins; e o Diploma Bertha Lutz, do Senado Federal, concedido a mulheres que contribuíram para a igualdade de gênero no Brasil. Em novembro de 2017, a quebradeira foi uma das homenageadas para receber a Medalha Mário de Andrade, honraria concedida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) às pessoas físicas ou jurídicas que tenham prestado serviços de relevância em proveito da trajetória do Iphan.

Em 2018, Raimunda chegou a ser lembrada pela Organização das Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) numa série de reportagens que fazem parte da Campanha Regional pela Plena Autonomia das Mulheres Rurais e Indígenas da América Latina e do Caribe. (Jornal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Preso suspeito de matar homem que teve corpo encontrado na Vila Madalena. Crime teria ocorrido por discussão de trânsito

Publicado

em

Um homicídio qualificado, ocorrido no dia último dia 10 de janeiro do corrente ano, em Araguatins, foi completamente elucidado pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), por meio de investigações das equipes da 11ª Delegacia daquele município.

Conforme o delegado-chefe da unidade, Rubem Dario Gomes Paixao, um homem de 21 anos, considerado o principal suspeito de ter assassinado a vítima, Reginaldo Machado da Silva, foi preso, em virtude de cumprimento a mandado de prisão preventiva, quando se encontrava em sua residência, em Araguatins.

De acordo com a autoridade policial, logo após o crime e encontro do corpo da vítima, que apresentava vários sinais de perfuração de faca no pescoço, além de hematomas produzidos por golpes de pedra, os policiais civis da 11ª DP deram início às investigações e descobriram que o homicídio havia sido praticado por um homem, de 21 anos e seu irmão, um menor de 16 anos.

Desse modo, os investigadores ouviram testemunhas do fato e após a realização das oitivas e demais diligências investigatórias, os autores do homicídio foram identificados. Trata-se dos irmãos de Inicias: F.S.A, de 21 anos, e um irmão, adolescente de 16 anos.

De posse das informações levantadas, o delegado Rubem Dário representou pela prisão preventiva do maior de idade, a qual foi deferida e cumprida na manhã deste sábado. A participação do menor está sendo apurada pela Delegacia Especializada, a qual determinará as ações que serão realizadas.

Conduzido até a Central de Atendimento da Polícia Civil, em Araguatins, o homem que já responde a outros processos criminais por homicídio e receptação, foi submetido aos procedimentos legais cabíveis, e, em seguida, recolhido a carceragem da Cadeia Pública local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

O crime

Segundo o delegado Rubem Dário, na noite do crime a vítima que aparentava estar embriagada, parou sua motocicleta no meio da pista, dificultando a ultrapassagem dos veículos. Um carro ocupado por conhecidos do autor estava sendo impedido de passar. Desse modo, o investigado que vinha de moto logo atrás interferiu na situação, iniciando uma discussão que evoluiu para luta corporal com a vítima. No desenrolar da briga o autor com ajuda do seu irmão menor agrediram a vítima com socos, pedradas e golpes de faca.  A vítima já foi encontrada sem vida no local do fato e o corpo recolhido pelo IML de Araguatins.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Acadêmicos da UNITINS de Araguatins e Augustinópolis estão animados com retorno das aulas presenciais em 2022

Publicado

em

Por quase dois anos, as telas dos computadores, notebooks e celulares foram as únicas formas de contato entre acadêmicos e professores da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), por causa da pandemia da Covid-19. Com a confirmação do calendário acadêmico com aulas presenciais, a partir do dia 1º de fevereiro de 2022, os discentes, agora, vivem a ansiedade para a descoberta da educação superior nos moldes tradicionais e do reencontro para aqueles acadêmicos que viveram o hiato das atividades presenciais.

A Tatiane dos Santos Barroso, de 20 anos, já cursou dois períodos do curso de Ciências Contábeis/Câmpus Augustinópolis, de forma remota. Em fevereiro, ela terá sua primeira aula presencial e não esconde a ansiedade pelo momento. “Estou animada e empolgada, pois mesmo que esses dois período que cursei tenham sido a distância, fiz algumas amizades que estou ansiosa para encontrar, sem falar nos professores que já tive contato on-line. Também quero poder participar das discussões em sala, interagir com meus colegas, conhecer a instituição, conhecer a biblioteca”, conta a acadêmica, natural de Araguatins.

O mesmo sentimento é compartilhado pelo discente Mauro Monteiro Ferreira, de 22 anos, que neste semestre vai cursar o 3º período de Direito, também no Câmpus Augustinópolis. “Eu estou alegre porque vou conhecer meus colegas de turma. Sou extrovertido e por causa disso gosto muito de ter contato social e a volta das aulas presenciais favorece isso. Me sinto da mesma forma em relação aos professores e espero me aprofundar com a didática deles”, pontua.

O retorno das atividades presenciais também mexe com a dinâmica familiar, como a da estudante de Pedagogia/Câmpus Araguatins, Mariana Almeida Nunes, de 19 anos. “Vou começar uma vida totalmente nova em outra cidade com minha irmã e minha amiga. Sei que será difícil conciliar trabalho e estudo, mas terei que trabalhar porque vou sair da casa dos meus pais. Farei de tudo para que isso não afete meu desempenho na faculdade”, destacou a acadêmica do 3º período, que é natural de Palestina do Pará/PA.

A Unitins confirmou o retorno das aulas presenciais no final de 2021, juntamente com as medidas sanitárias de segurança em relação à Covid-19. Desde o último dia 3, toda a comunidade acadêmica e visitantes, só podem ter acesso aos câmpus se comprovarem a imunização contra o coronavírus por meio da Carteira de Vacinação fornecida pelo Ministério da Saúde. O uso de máscara de proteção continua sendo obrigatório nas dependências da universidade.

Além dos acadêmicos que nunca tiveram aulas presenciais, outros discentes tiveram seus encontros interrompidos por causa da pandemia, em março de 2020. Esses estudantes tiveram que se readaptar e migrar para as plataformas digitais, o que ocorreu de modo eficiente utilizando-se o sistema desenvolvido pela própria universidade e que garantiu a continuidade das graduações sem prejuízos para os acadêmicos.

Esse foi o caso da discente Thais Silva dos Santos, de 23 anos. Ela entrou na Unitins para cursar Letras no Câmpus de Araguatins, em 2019, mas foi surpreendida com a pandemia pouco mais de um ano depois. “A minha expectativa para esse retorno é grandiosa, espero que dê tudo certo nessa nova fase. Tenho uma boa relação com os professores e estou feliz por poder vê-los novamente”, destaca a acadêmica do 7º período.

Já o estudante Hugo Lima Silva, de 19 anos, começou a graduação de Enfermagem, no Câmpus Augustinópolis, de forma on-line, mas chegou a participar de algumas atividades presenciais práticas quando houve flexibilização para algumas turmas no ano passado. “Estou com expectativas acadêmicas muito boas para 2022, porque as aulas presenciais, além de possibilitarem maior interação acadêmica, também têm outra dinâmica e facilita o aprendizado. Acho que todos nós, estudantes, estamos ansiosos para esse momento, principalmente para quem ingressou em 2021. Acredito que vamos nos unir mas e nos sentirmos mais seguros por estar no ambiente acadêmico” afirma.

Volta às aulas 

As atividades presenciais para os cursos de Letras e Pedagogia, do Câmpus Araguatins, e dos cursos de Ciências Contábeis, Direito e Enfermagem, do Câmpus Augustinópolis, começam no dia 1º de fevereiro. Já os veteranos e calouros de Medicina/Câmpus Augustinópolis só terão as aulas do semestre 2022/1 iniciadas no dia 14 de fevereiro. Mais informações podem ser consultadas neste link. (Ananda Portilho)

Continue lendo

Bico do Papagaio

SÃO MIGUEL: ONG Fábrica de Sorriso faz doação de alimentos para desabrigados

Publicado

em

Durante esta semana, a Prefeitura de São Miguel, no Bico do Papagaio, recebeu da ONG Fábrica de Sorriso, 40 cestas básicas para os desabrigados. A distribuição foi realizada pela ONG com a ajuda da Secretaria de Assistência Social.

A Prefeitura de São Miguel reitera a importância das doações e agradece todos os voluntários que estão trabalhando todos os dias para ajudar com os desabrigados.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze