- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 07 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

Secult realiza diagnóstico do artesanato do Bico do Papagaio

Mais Lidas

A Secretaria da Cultura (Secult) por meio da Superintendência de Artesanato está realizando um trabalho de diagnóstico do potencial e produção artesanal da região do Bico do Papagaio. Nesta terça, 22, e quarta-feira, 23, a diretora de artesanato da Secult, Ivoneide Barreto esteve visitando alguns municípios como Sampaio, Carrasco Bonito, Augustinópolis, São Miguel, Piquizeiro e Buriti. Em Augustinópolis, a diretora realizou uma palestra para cerca 30 artesãs da Associação dos Artesãos do Bico do Papagaio (Adabip) e em São Miguel o designer Lars Diederichsen reuniu com as artesãs da associação Tramas do Tocantins para conhecer o trabalho produzido pelas artesãs.

Augustinópolis

Segundo a Presidente da Adabip, Maria Cavalcante, o grupo é formado por 120 mulheres que trabalham na produção de peças em crochê e bordado. “Temos várias associadas e além da nossa produção ser um meio de complementar a nossa renda, também é um apoio, um instrumento de desenvolvimento social”, explica a presidente.

A diretora Ivoneide falou da visão da Secretária da Cultura, Kátia Rocha, de valorizar e incentivar o artesanato tocantinense e levou uma palavra de incentivo às artesãs. “A Secretária Kátia Rocha é uma pessoa de visão e que tem muita sensibilidade ao nosso artesanato. Buscamos trabalhar o artesanato como um produto de transformação social e geração de renda e quero incentivá-las a continuarem com esta perseverança, queremos ajudá-las a formar um produto diferenciado.”

São Miguel

A produção de bolsas femininas feitas da palha do coco babaçu, em São Miguel, chamou a atenção do designer Lars Diederichsen. “Vocês já tem uma base de produção e com um produto de qualidade e elegante que nasceu na própria comunidade e com certeza tem espaço garantindo no mercado”, ressaltou Lars, incentivando as artesãs a darem continuidade nos seus trabalhos. 

Uma das pioneiras na produção, Almerice Mendes Anchieta, falou sobre a reunião. “Ouvir um profissional como ele dizer que o nosso artesanato é bom e de qualidade renova as nossas expectativas e nos motiva a continuar produzindo”, declara Almerice.

A reunião finalizou com a proposta do grupo junto à Secretaria da Cultura buscar alternativas de alavancar a comercialização dos produtos da associação tramas de são Miguel.

- Publicidade -spot_img

1 Comentário

Assinar
Notificar-me
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
nayane do nascimento bezerra

Oi sou vendedora de bordados do ceará há mais de 15 anos, comercializo para rondonia, gostária de saber como faço para comprar a renda de bigo, quero investir em mais coisas novas sobre a renda, o artezanato do meu ceará…
Aguardo respostas….
Atenciosamente : nayane bezerra!

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias