- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
segunda-feira, 04 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

Sedes do Incra em Araguatins e Araguaína são ocupadas pelo MST e MAB

Mais Lidas

Cerca de 300 famílias da Via Campesina – ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e ao Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) – ocuparam ontem a sede regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Araguaína, a 400 quilômetros de Palmas, região Norte do Tocantins. Outras 200 famílias, estas do MST, fizeram o mesmo na unidade de Araguatins, a 660 quilômetros da Capital, no Extremo Norte do Estado.

Em passeata, famílias de Babaçulândia, Palmeiras do Tocantins, Barra do Ouro, Estreito (MA) e outros municípios afetados pela construção da Usina Hidrelétrica (UHE) de Estreito, no Rio Tocantins, entre o Tocantins e o Maranhão, percorreram ruas de Araguaína e se instalaram na sede do órgão, onde a Prefeitura montou uma tenda para que os manifestantes se alojassem, pois as instalações do prédio não comportavam todos.

Conforme o coordenador estadual do MST, Daniel Souza Lima, o objetivodestas ocupações é cobrar do Incra o cumprimento das vistorias das áreas, a desapropriação dos latifúndios e a implementação dos Projetos de  Assentamento (PA). Cirineu da Rocha, do MAB, ressaltou que nesse momento de luta é cobrar do Incra a vistorias das áreas para assentar as famílias atingidas pela UHE Estreito, “que foram cadastradas e ainda continuam esperando a terra.”

Reivindicações

Em nota, a Assessoria de Comunicação do Incra disse que os movimentos sociais não apresentaram pauta de reivindicações ao órgão e que a superintendência regional já solicitou às lideranças da Via Campesina, MST e MAB a desocupação pacífica de suas instalações.

Ainda segundo a nota, desde outubro de 2010 o Incra realiza reuniões mensais com representantes dos movimentos sociais para discutir as demandas e que o último encontro ocorreu nesta segunda-feira, em Palmas, quando a superintendência apresentou balanço das ações executadas e dos atendimentos das demandas apresentadas anteriormente.Sobre as reivindicações do MAB, a Assessoria de Comunicação do Consórcio Estreito Energia (Ceste), responsável pela construção da UHE Estreito, informou que ainda não tinha conhecimento dessa ocupação e que assim que eles fossem notificados pelo Incra ou outro órgão competente tomariam as providências cabíveis.

Reunião

O superintendente regional do Incra, Ruberval Gomes da Silva, se reunirá com os integrantes da Via Campesina, MST e MAB amanhã, às 9 horas, na unidade de Araguaína, para ouvir as reivindicações dos trabalhadores rurais sem terra e dos atingidos por barragens. O atendimento ao público continua normal nas duas unidades. (Jornal do Tocantins)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias