- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
segunda-feira, 08 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

Sespa faz campanha para prevenir novos casos de Aids, dengue e hepatites

Mais Lidas

Ações destinadas a evitar o aumento do número de casos de Aids, dengue e hepatites virais no Estado, e ainda dos acidentes de trânsito, estão sendo realizadas pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) nas localidades mais visitadas por paraenses e turistas no mês de julho. As coordenações estaduais das três doenças já estão distribuindo panfletos e preservativos aos veranistas. As atividades também orientam a população sobre a rede de atendimento oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A realização dessas atividades foi abordada na manhã desta quinta-feira (12), pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, em entrevista coletiva sobre a campanha de prevenção a acidentes de trânsito, desenvolvida pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (Hume), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Departamento de Trânsito (Detran-PA), na Rodovia BR-316. Helio Franco foi convidado a participar da coletiva pelo diretor do hospital, Pedro Anaisse.

O secretário ressaltou que é essencial unir forças para sensibilizar as pessoas nas viagens pelas estradas, a fim de evitar o consumo de bebidas alcoólicas, responsável por acidentes e situações de vulnerabilidade, como não usar preservativos nas relações sexuais. “São picos de ansiedade provocados pela euforia das férias que podem repercutir negativamente, não só na vida dessas vítimas, mas também para o Estado, no que se refere aos custos de tratamento e até de pagamento de pensões para quem fica inválido depois de algum acidente de moto”, destacou Helio Franco.

Segundo as estatísticas do Hospital Metropolitano, nos 10 primeiros dias de julho deste ano foram atendidos 237 vítimas de acidentes de trânsito, sendo 92 por colisão, 99 por moto, três envolvendo bicicletas e 43 de atropelamentos. No mesmo período do ano passado, foram 200 pacientes vítimas de acidentes de trânsito, sendo 75 por colisão, 87 por moto e 38 por atropelamento.

Ação conjunta

As atividades desenvolvidas pelo Hospital Metropolitano se juntarão ao trabalho já realizado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), numa ação conjunta envolvendo os 13 Centros Regionais de Saúde, para apoiar municípios que, historicamente, recebem grande número de visitantes em julho. Cerca de 250 servidores da Sespa, entre profissionais de saúde e pessoal de apoio, estão envolvidos nas ações, que acontecem a cada fim de semana deste mês. Horários e locais das ações e abordagens dependem das condições climáticas e da quantidade de veranistas concentrados, sendo que o principal objetivo é esclarecer o maior número possível de pessoas sobre as doenças.

Em Belém, as atividades de prevenção acontecem no Terminal Rodoviário, nos portos do Arapari e Bom Jesus, em Outeiro, e no distrito de Mosqueiro. No interior, a praia de Ajuruteua, em Bragança, e os municípios de Salinópolis, Vigia de Nazaré, Marudá, Abaetetuba e Barcarena estão entre os locais que receberão reforço das equipes enviadas pela Sespa. Nos demais municípios, esse apoio será dado por servidores dos Centros Regionais de Saúde, como em Cametá (no Baixo Tocantins) e em Santarém (no oeste paraense).

Hepatites

Devido à proximidade do Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais – 28 de Julho -, a equipe da Coordenação Estadual de Hepatites Virais incluiu no roteiro os municípios de Conceição do Araguaia, Marabá, Santarém, Soure e São Sebastião da Boa Vista. O objetivo é apoiar as secretarias municipais de Saúde nos testes rápidos para as hepatites B e C, além de reforçar a busca ativa por pessoas que podem estar com a doença e não sabem, para convencê-las sobre a necessidade de tratamento o mais rápido possível.

Em relação às hepatites virais foram registrados 250 casos de hepatite B em 2011 e 23 casos até agora, em 2012, além de 79 casos de hepatite C em 2011 e dois casos, até o momento, em 2012. O quantitativo ainda inclui 104.454 casos de todos os tipos de hepatites (A, B e C) no período de 1999 a 2010. “Vamos orientar e alertar para a prevenção, a fim de que o jovem use a camisinha. Também vamos informar que existe vacina contra a hepatite B, que pode ser tomada em três doses. Grávidas e pessoas com até 29 anos podem se vacinar gratuitamente nos postos do SUS”, destaca Cisalpina Cantão, coordenadora Estadual de Hepatites Virais.

Aids

Para prevenir as Doenças Sexualmente Transmissíveis, como a Aids, o uso de preservativos é recomendado em todas as relações sexuais. “Mas o foco das nossas ações abrange jovens entre 14 e 29 anos, faixa em que os índices de contaminação estão crescendo, além da ocorrência de gravidez na adolescência”, destaca Deborah Crespo, coordenadora Estadual de DST/Aids. Para a campanha de julho, 1.923.984 preservativos masculinos e 33.500 unidades de gel lubrificante serão distribuídos, com o objetivo de ajudar a reduzir os índices de DSTs e Aids no Estado, além de combater a subnotificação, uma vez que 13 municípios não registram nenhum caso desde 2006.

No Pará, atualmente 4.690 pessoas soropositivas estão em tratamento, das quais 121 são crianças e 121 começaram a se tratar este ano. Os números também mostram a existência de 67 gestantes infectadas pelo HIV no Estado, 155 parturientes e 154 recém-nascidos. A faixa etária com maior número de casos é dos 20 aos 49 anos, o que, segundo os especialistas, demonstra o diagnóstico tardio.

Os dados também apontam que, entre os homens portadores do HIV, a transmissão do vírus se deu, sobretudo, em relações heterossexuais (31,9% dos casos). Em seguida vêm os casos em relações homossexuaia (com 20,7%) e bissexuaia, com 11,5%. A preocupação maior está entre as mulheres. Em 87,6% dos casos de Aids confirmados, a contaminação aconteceu em relações heterossexuais. Só em 2011, 654 casos em adultos foram notificados no Estado, dos quais 400 homens e 254 mulheres. No ano anterior, foram notificados 935 casos em adultos, sendo 565 do sexo masculino e 370 do sexo feminino.

Chuvas e dengue

A respeito da dengue, o objetivo principal das ações da Sespa é orientar a população para não deixar lixo nas praias e nas cidades. A tática serve para evitar a disseminação de novos criadouros do mosquito transmissor, o Aedes aegypti, que pode se alojar numa tampa de garrafa PET ou em um copo descartável.

Só neste ano já foram confirmados 8.595 casos de dengue, sendo 8.526 de dengue clássica, 52 de dengue com complicação, 15 de febre hemorrágica da dengue e dois casos de síndrome do choque da dengue, além de três óbitos ocorridos em Parauapebas, Altamira e Ananindeua. Esse reforço em torno da prevenção da dengue é decorrente das fortes chuvas atípicas nesta época do ano. Pelo risco de acúmulo de água, aumentou o alerta das equipes de Vigilância Epidemiológica nos municípios, para evitar a ocorrência de novos casos.

“É importante que os veranistas saibam que o descarte do lixo pode demorar alguns dias, visto que alguns municípios onde estão passando férias não dão conta de limpar, a toda hora, o excesso de sujeira deixado pelas pessoas. É preciso ter sensatez e higiene nessas horas, para não deixar na rua tudo o que possa acumular água”, acrescenta a coordenadora Estadual de Controle da Dengue, Aline Carneiro.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias