Os serviços de fisioterapia e fonoaudiologia, oferecidos desde janeiro deste ano, vêm sendo decisivos na recuperação e reabilitação de pacientes no Hospital Geral de Tailândia (HGT), referência na assistência de baixa e média complexidade para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no sudeste paraense. As duas especialidades estão ajudando a reduzir o tempo de internação e proporcionando maior rotatividade de leitos e menor custo com a assistência, resultando na integridade das funções ameaçadas por lesões, doenças, distúrbios e dores.

De acordo com a responsável por esses serviços no HGT, fisioterapeuta Monnize Carleto, as atividades permitem a reabilitação respiratória e motora, evitando contratura e deformidades, e mantendo a função respiratória em pacientes submetidos à ventilação mecânica (suporte oferecido, por meio de um aparelho, ao paciente que não consegue respirar espontaneamente), o que diminui o tempo de intubação e minimiza o risco de broncoaspiração.

Com intenso fluxo de atendimento, de janeiro a maio de 2019 o HGT realizou mais de 3.700 atendimentos em fisioterapia e 204 em fonoaudiologia, beneficiando pacientes de diversos setores da unidade hospitalar, entre Pronto-Atendimento, Enfermaria e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI). Os serviços funcionam diariamente, inclusive nos finais de semana e feriados.

“Hoje, desenvolvemos um trabalho imprescindível na recuperação dos nossos usuários, promovendo mobilização precoce e auxílio na busca de uma alta com segurança, visando reduzir, inclusive, as complicações e o tempo de internação”, ressaltou Monnize Carleto.

Função respiratória – Ela ressaltou a importância da fisioterapia para a melhoria e manutenção da função respiratória em pacientes submetidos à ventilação mecânica. “O planejamento para o atendimento em fisioterapia visa, entre outros aspectos, o desmame da ventilação mecânica o mais precoce possível, para que o paciente possa retomar sua função respiratória plena e sem riscos de broncoaspiração”, explicou.

Acompanhando o filho internado há mais de duas semanas, a dona de casa Rosana dos Santos, 32 anos, agradeceu o atendimento recebido e destacou a contribuição da fisioterapia e fonoaudiologia no tratamento do adolescente de 16 anos, que chegou ao HGT com sérios problemas pulmonares. “Quando ele deu entrada no hospital estava muito fraco, sem forças para andar. Hoje, meu filho está em plena recuperação e já estamos fazendo planos para a alta médica. As terapias de fisio e fono foram fundamentais para ajudar na recuperação dele, além dos demais profissionais da equipe”, disse Rosana dos Santos.

Monnize Carleto disse ainda que a fisioterapia motora, que proporciona ao usuário restrito ao leito a busca da movimentação ativa, contribui para que no momento da alta ele não apresente déficit motor, como contraturas, fraquezas e encurtamentos musculares. O serviço é desenvolvido no HGT pela fisioterapeuta Delanea Souto Sá.

Fonoaudiologia – Já o serviço de fonoaudiologia ajuda na reabilitação do paciente internado, prevenindo a pneumonia broncoaspirativa e problemas decorrentes do uso prolongado de vias alternativas de alimentação. Atualmente, o HGT conta com equipe responsável pela avaliação dos pacientes com risco para disfagia (engasgos), e ainda pela reabilitação fonoaudiológica.

De acordo com Deriane Flores, fonoaudióloga do HGT, esse profissional é muito importante para o êxito do tratamento do paciente internado. “É um trabalho fundamental no tratamento dos pacientes, principalmente os traqueostomizados. O desmame da traqueostomia acompanhado pelo fonoaudiólogo reduz custos e o tempo de internação”, afirmou.

A importância de fisioterapeutas e fonoaudiólogos vai além do aspecto assistencial. Ajuda a reduzir custos no tratamento de pacientes em recuperação de traumas ou cirurgias; promove maior agilidade nas altas clínicas, aumentando a rotatividade dos leitos; diminui as infecções hospitalares; minimiza custos com remédios e oxigênio, e, principalmente, oferece melhor qualidade de vida ao paciente.

Para o diretor executivo do HGT, Joaquim Fonseca, os investimentos para melhorar cada vez o atendimento aos usuários é uma prioridade da direção do hospital e do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). “Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) podem e devem ter uma assistência digna, de qualidade, segura e humanizada”, enfatizou o gestor.

Serviço: O hospital possui 52 leitos e oferece acesso aos serviços, por meio da Central de Regulação Municipal, em livre demanda, ou encaminhados pelo Samu, Corpo de Bombeiros e Polícia Rodoviária.
O HGT está localizado na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121. (Vera Rojas)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.