Connect with us

Bico do Papagaio

TOCANTINÓPOLIS: Audiências públicas debatem situação dos impactados pela usina de Estreito

Publicado

em

Por designação do Ministério Público Federal no Tocantins, será realizada no município de Tocantinópolis nessa quinta-feira, 10, uma audiência pública para debater problemas da atenção à saúde da comunidade e a situação das estradas no interior da terra indígena. A audiência terá início às 14 horas, no Seminário Diocesano Leão XIII, em Tocantinópolis.

O evento foi solicitado por representantes da comunidade indígena apinajé, e terá participação de representantes da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Departamento de Estradas do Tocantins (Dertins), Fundação Nacional do Índio (Funai – administração de Araguaína), municípios de Tocantinópolis e Maurilândia, Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e Celtins (coordenação do programa Luz para Todos).

Já no dia 11 de dezembro a audiência será na Câmara Municipal de Carolina (MA) com a participação dos impactados pela usina de Estreito, para debater problemas relativos a assentados da reforma agrária, pescadores, posseiros e outras categorias que pleiteiam compensações. Em relação aos assentados, a empresa não tem cumprido o termo de compromisso para realocar as famílias, e vem impondo a carta de crédito como única opção. Também terá continuidade o debate para criação de mecanismos de compensação que supram a ausência dos comitês de co-gestão, considerados não representativos pelos impactados. Na reunião realizada em outubro de 2009, em Estreito, o Ceste não enviou representante para debater as reivindicações dos impactados.

Os pescadores buscam ser reconhecidos como impactados pelo empreendimento, além de enfrentarem problemas como a falta de uma política compensatória pela interrupção da navegação no eixo da barragem, a destruição dos locais de alojamento dos pescadores devido à ação de supressão vegetal sem qualquer indenização e a interrupção da a atividade pesqueira em áreas a montante e jusante do empreendimento devido às alterações que ocorrerão no ambiente aquático.

Os posseiros, proprietários e ocupantes de áreas atingidas reclamam que não têm acesso ao laudo de avaliação, desconhecendo os valores pagos a cada benfeitoria e outros itens avaliados, o que impediria a negociação, com a imposição de valores a serem pagos sob ameaça de encaminhamento da decisão sob “júdice”. A maioria dos arrendatários, meeiros e ocupantes foram excluídos do direito à indenização, sem uma explicação adequada dos critérios utilizados nos estudos de caso, que estão sendo realizados pelo Ceste sem a participação de órgãos ligados ao governo e à organização dos atingidos.

Já os barqueiros e barraqueiros denunciam que a construção das novas praias não têm projeto específico, sem nenhuma garantia por parte da empresa da continuidade da atividade. Já atividades como a dos extrativistas, oleiros e vazanteiros receberam como indenização somente as residências das famílias, não indenizando a atividade. Há promessas de fomento à atividade, mas nenhum projeto. (Do MPF)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

No Bico, corpos são trocados e presidiário é sepultado no lugar de idoso

Publicado

em

Era por volta de 7h, desta terça, 3, quando o caixão trazido por um carro da Funerária Regional Pax, chegava em Araguatins, vindo do Hospital Regional de Augustinópolis (HRAug), trazendo o suposto corpo do tradicional araguatinense, Osano Luiz dos Santos, de 78 anos. Bastante conhecido na cidade, a morte foi lamentada por muitos. Na noite anterior, Osano teve um mal súbito e foi levado para atendimento emergencial no HRAug, acabou não resistindo.

Entre as intervenções feitas em Osano, na unidade de saúde, estava o exame de Covid-19, que constatou a presença da doença. Com a morte, o corpo passou a obedecer o protocolo Covid, foi levado para a ala destinada a esse tipo de caso e teria de seguir as regras também para sepultamento, que proíbem por exemplo, a realização de velório e abertura do caixão. E assim foi feito, o corpo chegou à Araguatins, nas primeiras horas da manhã, seguiu em cortejo por algumas ruas e seguiu para o Cemitério Municipal, onde foi sepultado.

Quase 1h depois, a família de Osano, recebeu uma ligação do HRAug, pedindo que seja recolhido o corpo do idoso para sepultamento. A informação foi uma surpresa para os familiares, pois já haviam feito o enterro.


Paralelo a isso, na mesma noite de segunda-feira, outro paciente deu entrada no mesmo hospital, este, um detendo da cidade de Tocantinópolis, também no Bico do Papagaio. Ele precisou passar por um procedimento cirúrgico e não resistiu. O corpo, ainda na madrugada, foi colocado a disposição dos familiares, no local destinado para aguardo da retirada, como de fato foi feito, só que pela funerária da família do araguatinense Osano, que sem qualquer controle por parte do HRAug, entrou na unidade e pegou o cadáver errado, levando para Araguatins e sepultando como se fosse o araguatinense.

Também paralelo a isso, logo pela manhã, Polícia Civil e Polícia Penal, começavam a se mobilizar, para saber o que tinha acontecido com o detento, que simplesmente tinha um atestado de óbito, porém havia sumido.

Quando as versões se cruzaram, já era pouco mais de 9h.

O corpo do detento, teve de ser desenterrado e levado de volta à Augustinópolis, para ser entregue a família. E o corpo de Osano, no final da tarde, foi finalmente entregue aos familiares para o enterro.

O HRAug por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), disse que lamenta a angústia dos familiares, afirmou que a troca de corpos aconteceu por parte dos profissionais da funerária responsável pelo sepultamento do paciente Osano, mesmo com todos os critérios de identificação seguidos pela equipe hospitalar. Disse ainda, que a direção do HRAug reforçará as orientações para que situações parecidas não se repitam.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ANANÁS: Enteado tenta matar padrasto com golpes de faca

Publicado

em

A Polícia Militar prendeu na manhã desta terça-feira, 03, por volta das 08h, na cidade de Ananás, um homem de 26 anos, suspeito de assassinar o próprio padrasto. Em poder do indivíduo os policiais militares apreenderam uma arma branca, tipo facão usada na ação criminosa.

O crime ocorreu no final da noite de segunda-feira, 02, por volta das 23h30, no povoado São Raimundo, município de Ananás. Após tomar conhecimento dos fatos, a Polícia Militar deslocou ao local. De acordo com as informações repassadas à PM pelas testemunhas, a vítima, um senhor de 57 anos, estava dormindo numa rede, em sua residência, quando o acusado, que é seu enteado, desferiu vários golpes de arma branca (facão). 

De acordo a Perícia, a vítima sofreu 13 perfurações. Testemunhas informaram também que o autor havia tomado rumo ignorado de posse do facão. Durante toda noite, a PM realizou diligências nas imediações, no sentido de localizar e prender o acusado e através de informações de populares ele foi localizado as margens da Rodovia TO – 416, ainda de posse da arma usada para cometer o crime. 

O acusado recebeu voz de prisão, sendo conduzido primeiramente ao Hospital Municipal de Ananás para os atendimentos em razão de alguns ferimentos leves, e em seguida será encaminhado à Central de Flagrantes em Tocantinópolis.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Morre tradicional araguatinense Osano

Publicado

em

Faleceu na noite desta segunda-feira, 2, o araguatinense Osano Luiz dos Santos, de 78 anos. Bastante conhecido em Araguatins, principalmente por seu apreço pela política, ele era considerado uma figura folclórica apaixona pelo MDB.

A previsão de sepultamento é para amanhã desta terça, dia 3.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze