Connect with us

Bico do Papagaio

TOCANTINÓPOLIS: Dia Internacional e Nacional do Idoso é comemorado ação social

Publicado

em

4

Para comemorar o Dia do Idoso, celebrado dia 1° de outubro, os Cursos de Licenciatura em Pedagogia e Educação Física, através do Grupo de Estudos em Envelhecimento Humano (PRO-GERO), da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Campus de Tocantinópolis, com apoio especial da Prefeitura Municipal, promoveram na manhã desta quinta-feira (6), a 1ª Comemoração ao Dia Internacional e Nacional da Pessoa Idosa.

Durante a comemoração, foram realizadas atividades recreativas e procedimentos como aferição de pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, teste de glicemia em jejum, Índice de Massa Corporal (IMC), aplicação de testes físicos e cognitivos, acompanhamento farmacoterapêutico, limpeza de pele e roda de conversa sobre o Estatuto do Idoso.

Na ocasião, os professores da UFT – Campus de Tocantinópolis, Fellipe Grangeiro e Fabíola Andrade promoveram o lançamento oficial do Projeto de Extensão “Atividade Física e Cognição: Promoção da Saúde do Idoso em Tocantinópolis.

Durante seu pronunciamento, Fillipe Grangeiro, professor do Curso de Educação Física, destacou que Tocantinópolis não é diferente dos demais municípios do Brasil em relação ao crescimento do número de idosos. “O número de idosos tem sido expressivo. Podemos perceber que é uma realidade do mundo e do Brasil, e Tocantinópolis não é diferente. Então nós pesamos em fazer algo diferente, uma manhã com ação interdisciplinar dos profissionais, com pensamento voltado também para o projeto de extensão “Atividade Física e Cognição: Promoção da Saúde do Idoso em Tocantinópolis”, comentou.

Sobre o projeto, Fillipe lembrou que a ideia de implantação surgiu da necessidade de trabalhar o corpo e a mente em conjunto. “Não podemos esquecer que além de trabalhar o físico, temos que trabalhar a parte cognitiva associada à atividade física, enfermagem, nutrição e psicologia. Vamos fazer uma ação conjunta. É um projeto com duração de seis meses e contará com todos esses profissionais e vai funcionar na UFT”, destacou.

A professora do Curso de Pedagogia, Fabíola Andrade frisou que desde 2009 vem sendo efetivadas ações em benefício do idoso em Tocantinópolis. “Estamos dando início à implementação de um novo projeto voltado para o idoso de Tocantinópolis. Esse projeto foi construído dentro da Universidade Federal do Tocantins, e conta com a parceria de todos os profissionais ligados à saúde, bem-estar físico, mental, social e educacional. O papel da Prefeitura e de todas as secretarias é fundamental, pois precisamos de pessoas que se preocupam com a terceira idade. A chegada do professor Felipe no município foi de grande valia para estarmos trabalhando juntos em prol da questão do envelhecimento do idoso”, destacou.

Sobre o Projeto “Atividade Física e Cognição: Promoção da Saúde do Idoso em Tocantinópolis”, Fabíola comentou que partir daquele momento se começava um novo caminho com relação ao desenvolvimento de atividades tanto do aspecto físico, como cognitivo para a população idosa que a cada dia cresce em Tocantinópolis

Projeto de Extensão Atividade Física e Cognição Promoção da Saúde do Idoso em Tocantinópolis

O projeto tem duração de seis meses e terá 120 vagas. As inscrições começarão na próxima semana. Os locais de inscrição serão na UFT, Prefeitura Municipal, CEMGTI Darcy Marinho, Sindicato dos Profissionais de Educação Física e Secretaria Municipal de Assistência Social de Tocantinópolis.

Os encontros acontecerão três vezes por semana num total de quatro turmas: duas pela manhã e duas à tarde, com duração prevista de apenas uma hora, nos horários de 8h às 9h e das 16h30 às 17h30. Dentre as atividades ofertadas destacam-se: oficinas de dança, memória, leitura, ginástica, dentre outras. Para os momentos serem ainda mais integrados e divertidos, haverá dias que os idosos participarão de atividades em balneários e banhos de piscina.

“Estamos traçando atividades para que os idosos não fiquem em casa ociosos, porque se ficarem inativos em casa, a saúde deles será prejudicada”, finalizou o professor Fellipe Grangeiro. (Dirceu Leno)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Sem atenção da Prefeitura, mãe de criança com encefalopatia desabafa, “Vivemos o descaso e muita humilhação”

Publicado

em

Esta semana nossa equipe conversou com a Bruna Moares de Carvalho. Ela tem 28 anos, mora em Araguatins, no Bico do Papagaio, e faz parte da lista de pessoas que sofrem sem atenção do poder público. O caso de Bruna, é ainda mais grave, por conta de estar envolvido, seu filho, Rafael de Carvalho Meneses, que tem necessidades especiais.

O pequeno Rafael é portador de encefalopatia crônica, também chamada de paralisia cerebral, que causa deficiência motora, provocando um grupo heterogêneo de condições que cursa com disfunção motora central, afetando o tônus, a postura e os movimentos. Decorre de lesão permanente ao cérebro em desenvolvimento e apresenta-se de forma variável em termos de distribuição anatômica da lesão, gravidade de acometimento motor e sintomas clínicos associados. A grande variabilidade requer que estes pacientes e suas famílias, sejam abordados de maneira sistematizada levando em conta dimensões amplas de atenção à saúde e social.

Rafael faz politerapia com diversos medicamentos. Além de uso continuo de vários insumos como equipos para alimentação, seringas, sondas de aspiração, materiais sem os quais, não poderia viver, sem a utilização dos mesmos para sua manutenção fora do ambiente hospitalar.

“Todos os meses são solicitadas fraldas, insumos entre outros. Mas o que vemos e percebemos e um verdadeiro descaso, desde a entrega de materiais básicos como fraldas, até a falta de profissionais especializados”, disse a mãe de Rafael.

Bruna continua o relato, “O direito a assistência básica é substituído por inúmeras desculpas e mediante a esse caos, somos obrigados a sobreviver com os restos de fraldas e outros equipamentos que nos são impostos, pelo município. Não o bastante, o município de Araguatins, sonega até o fornecimento do carro em tempo adequado, para trazer materiais que foram conseguidos mediante uma temporada que passamos na capital”, disse a mãe.

“Gostaria de ressaltar que Rafael tem 4 anos de idade, cidadão araguatinense e desde que nasceu é tratado desta mesma forma. Sem alimentação adequada, por ser um paciente gastromizado, sem medicação suficiente para o seu tratamento, sem fraldas, sem assistência e ficamos vivendo todo mês uma situação de “empurra-empurra”, descasos e muita humilhação”, contou Bruna, que continuou, “Faço um apelo as autoridades, que se vistam de amor ao próximo que olhem para a causa dos desamparados e dos portadores de necessidades especiais, por que é para isso, que estão onde estão”, finalizou.

Bruna disse que os problemas e o descaso acontecem desde a gestão anterior e persistem na atual.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Segundo dados da SEMUS, sobe para 49 a quantidade de vítimas da Covid

Publicado

em

Conforme dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, na noite desta segunda, 19, Araguatins, no Bico do Papagaio, agora tem 49 mortes por Covid-19. O boletim anterior, que foi publicado dia 8 de abril, apontava 44 mortes.

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), desde o dia 16 de abril, aponta 46 óbitos e mantém o número, até o meio dia desta segunda, quando fez sua atualização.

No boletim da SEMUS desta segunda, comparado com o último do órgão, publicado dia 8, das 5 mortes a mais, apenas 1 foi detalhada, como sendo de um homem de 43 anos, com doença cardíaca e que faleceu dia 15 deste mês, em domicílio.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ITAGUATINS: 11ª morte por Covid é confirmada

Publicado

em

A morte de um homem de 68 anos, residente em Itaguatins, no Bico do Papagaio, foi oficializada nesta segunda, 19, pela Secretaria de Estado da Saúde, como sendo por Covid-19.

Ele tinha doença cardíaca crônica e hipertensão. Faleceu na sexta, dia 16, no Hospital Estadual de Campanha de Imperatriz, no sul do Maranhão.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze