Connect with us

Bico do Papagaio

TOCANTINÓPOLIS: Projeto de extensão da UFT incentiva a leitura entre os presos e contribui com a reinserção social

Publicado

em

Custodiados da Cadeia Pública de Tocantinópolis que participam do projeto de extensão, Clube dos Livres, desenvolvido pelo curso de Pedagogia da Universidade Federal do Tocantins (UFT) foram certificados. O projeto foi iniciado em 2018, sendo uma ferramenta importante para o processo de reinserção social e remição de pena.

O projeto que é desenvolvido na unidade prisional visa incentivar o hábito da leitura entre as pessoas privadas de liberdade. Os encontros ocorrem aos sábados no espaço da sala de aula da unidade e contam com a participação de até 23 custodiados, acompanhados por professores e alunos de pedagogia do câmpus de Tocantinópolis da UFT. Eles debatem sobre os livros, produzem resenhas e peças teatrais, a partir da leitura das obras literárias doadas pela própria universidade.

O diretor da Cadeia Pública de Tocantinópolis, Vinicius Lima, avalia que é um projeto enriquecedor e um meio importante de contribuição para a ressocialização das pessoas privadas de liberdade. “Quanto mais os custodiados participam de projetos como este, mais próximos ficam da liberdade, em razão da remição de pena, além de terem mais chances de uma boa colocação no mercado de trabalho ao saírem da unidade”, explica o diretor.

Remição da pena

A remição de pena pela leitura é recomendada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ao condenado em regime fechado ou semiaberto, a cada obra lida possibilita a remição de quatro dias de pena, com o limite de 12 obras por ano, ou seja, no máximo 48 dias de remição por leitura a cada 12 meses. Na Cadeia de Tocantinópolis, a cada ciclo de leitura finalizado semestralmente, os participantes recebem a certificação de participação, expedida pela UFT, que é inserida em seus dossiês e remetidas ao juiz com solicitação da remição da pena.

Para a responsável pelo Setor de Política de Educação nas Unidades Prisionais da Seciju, Renata Keli Duarte, a educação é uma ferramenta importante no processo de transformação e ressocialização. “A educação impacta. Independentemente da motivação do preso em participar do clube da leitura, ao participar de um projeto como esse, ele nunca mais volta igual. A educação altera a vida dele”, acredita a gerente. 

Clube dos Livres adaptado

A professora da UFT e coordenadora do projeto, Aline Campos, explica que, neste momento pandêmico, enquanto as atividades estão suspensas, os custodiados estão participando do projeto Bibliotecas Ambulantes: oficinas de leitura e escrita criativa, iniciado na segunda quinzena de maio e que visa dar continuidade às atividades do Clube dos livres, porém adaptado à nova realidade da unidade.

Segundo Livro

A coordenadora contou que já está sendo produzido o segundo livro do Clube dos Livres. O primeiro, lançado em julho de 2019, titulado Ler e escrever na prisão: experimentações em Tocantinópolis, é uma coletânea de resenhas produzidas em 2018 pelos participantes do projeto, após a leitura de nove livros. O lançamento se deu na própria cadeia, no câmpus da UFT de Tocantinópolis e na Escola Superior de Gestão do Sistema Penitenciário Prisional (Esgepen) em Palmas. (Márcia Rosa)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Cláudio destaca obras de infraestrutura e diz que progresso não pode parar

Publicado

em

Em mais um dia de intensa movimentação de campanha, nesta sexta, 23, o candidato da Coligação “Juntos Por Araguatins”, Cláudio Santana (MDB), acompanhado de seu vice Edgar Tolentino (SD) e candidatos a vereador, fechou as ações com uma reunião no bairro Sossego.

Durante o dia, Cláudio Santana visitou moradores do setor.

Na reunião noturna, Santana destacou os avanços de sua gestão e afirmou que as importantes ogras de infraestrutura não podem parar. “Estamos sendo bem recebidos por onde passamos. A população sabe reconhecer o trabalho que estamos realizando, com recuperação de vias, praças, avanços na Saúde. Não é fácil, mas estamos buscando sempre o melhor. Sabemos da necessidade do povo, e minha proposta para trazer qualidade de vida para a comunidade. Araguatins não pode parar”, disse o gestor em seu pronunciamento.

Neste sábado, 24, Cláudio promove ações de campanha no distrito de Transaraguaia.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: No Esquinão, Aquiles diz que município voltará a ter obras e Saúde de qualidade

Publicado

em

Durante comício realizado na noite desta sexta, 23, realizado entre os bairros Vila Miranda e Madalena, o candidato da Coligação Uma Nova Política Para um Novo Tempo”, Aquiles da Areia (PP), disse que o município de Araguatins, voltará a contar com políticas públicas eficientes.

“Vocês vão terminar essa campanha sabendo que vão ter um prefeito para a cidade voltar a ter obras, saúde de qualidade, valorização ao educador, apoio ao agricultor e ser destaque novamente no turismo”, afirmou Aquiles da Areia e ainda acrescentou: “Nosso compromisso é Araguatins, por isso temos projetos para a melhoria da cidade”.

Participaram do evento, além de candidatos a vereador e líderes, o deputado estadual Olyntho Neto (PSDB).

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Familiares de detentos reclamam sobre restrições e alertam para possibilidade de greve de fome e rebelião

Publicado

em

Esta semana a cadeia Pública de Araguatins, no Bico do Papagaio, foi palco de reclamações e queixas de familiares de detentos. Após a instauração da e Operação Legalidade Primavera Árabe, por parte dos policiais penais.

Os familiares alegam que as restrições impostas aos detentos, tem prejudicado inconsequentemente a permanência dos apenados e que além das visitas estarem restritas, vem enfrentando dificuldade, com as restrições impostas que bloqueiam a entrada de produtos de de limpeza, higiene pessoal e até remédios.

“Todos lá cometeram penalidades e estão pagando por isso. Agora, submete-los a não receber até medicamentos é demais. Sem contra que todos as famílias ajudam com materiais de limpeza, alimentação e higiene pessoal. Se existe problema entre os funcionários e o Governo, o caminho não deveria ser esse, mas sim o diálogo”, disse uma mãe de detento que pediu para não ser identificada, com receio de retaliação.

O movimento de reivindicação por direitos trabalhistas organizado por policiais penais no Tocantins já alcançou praticamente todas as unidades prisionais do estado. Batizado de Operação Legalidade Primavera Árabe, o movimento faz alusão à onda de movimentos e revoluções em países do Oriente Médio que teve início em 2010 e “faz referência a um movimento que começou pequeno, mas que se expandiu, tornando-se grande”, como explicou o presidente da Associação dos Prossionais do Sistema Penitenciário do Tocantins (Prosispen), Wilton Angelis Barbosa.

Apesar do nome, o movimento não se trata de uma ação operacional dentro das unidades, mas sim de um movimento que busca pressionar o Governo do Estado para cumprir o pagamento de direitos devidos aos policiais penais, como horas extras e adicionais.

De acordo com a Prosispen, a chamada Operação Legalidade Primavera Árabe suspende qualquer atividade que fuja às obrigações legais atribuídas aos policiais penais.

Os agentes prometem deixar de fazer horas extras, cumprindo somente as 40 horas semanais, de acordo com o estatuto da categoria, e ainda deixar de fazer escoltas fora do município de atuação por causa do não pagamento de diárias.

Ainda segundo a Prosispen, os agentes também pretendem como regalias de presos dentro das celas, como ventiladores, televisores, videogames, entrada de fumo e outros itens, além da proibição de contato de presos com parentes e advogados, a depender da disponibilização de equipamentos de proteção individual para prevenir o risco de contágio pela covid-19 no contato com pessoas do público externo.

Continue lendo
publicidade Bronze