Connect with us

Tocantins

TOCANTINS: Economista aponta vantagens na divisão do Pará

Publicado

em

A divisão do estado do Pará em três, criando Tapajós e Carajás, pode trazer muitas vantagens para o Tocantins, em especial no que se refere a oportunidades de crescimento econômico. Pelo menos esta é a opinião do coordenador técnico das frentes pró-Carajás e pró-Tapajós e responsável pelo estudo de viabilidade desses dois estados, o economista tocantinense Célio Costa, que também foi o autor do estudo de viabilidade do Tocantins, em 1988.

No próximo dia 11 de dezembro, a população paraense deve decidir, através da votação de um plebiscito, se aceita ou não a repartição do estado do Norte em três, que tem um total de 7,58 milhões de habitantes e uma área geográfica de 1.246.833 km².

O especialista destaca que o surgimento desses dois novos estados irá proporcionar uma parceria de desenvolvimento para os negócios e de oportunidades para a classe empresarial e para a juventude tocantinense, através de concursos públicos, que devem ser realizados nas duas federações. “O Tocantins quando foi criado estabeleceu muitos negócios com o estado de Goiás e nem por isso Goiás foi esvaziado. Então eu não vejo que a criação desses dois estados pode prejudicar de algum modo o Tocantins, pelo contrário, acho que são parceiros, aliados em um processo de desenvolvimento que contempla a região Norte, de um modo especial a Amazônia brasileira”, diz.

Costa enfatiza que o atual estado do Pará tem problemas sérios, como uma população grande e dispersa, além de regiões abandonadas e muitos problemas sociais e econômicos. “E o que é pior, o governo paraense tem uma arrecadação muito baixa. Então ele não tem dinheiro suficiente para arcar com os custos de uma região tão grande e uma população tão grande e uma arrecadação tão baixa”, frisa.

Ele comenta que o Pará é tão grande que a lógica seria que ele fosse dividido em quatro. Caso o plebiscito confirme a criação dos dois estados, o Pará remanescente (veja gráfico) ficará quatro vezes maior do que o Rio de Janeiro.

Comparação

Na comparação da possível criação dos dois novos estados com o Tocantins, o economista aponta uma grande diferença no movimento político. Costa lembra que o Tocantins surgiu a partir de um processo iniciado na população, que resultou em uma emenda de iniciativa popular, submetida à Assembleia Nacional Constituinte de 1988. “Fizemos uma consulta à população, mas não uma consulta plebiscitária, foi uma consulta espontânea, que coletamos na ocasião 100 mil assinaturas. Isso levou que o Tocantins tivesse condições de pleitear a sua criação através da constituinte de 1988”, acrescentou.

No caso da divisão do Pará, o processo é diferente, porque o plebiscito foi aprovado pelo Congresso Nacional e agora a população está sendo consultada. “Então é um processo bem diferente. O processo do Tocantins saiu do povo para o Congresso e esse está vindo do Congresso para o povo”, frisa.

Para serem criados os novos estados são necessários 50% dos votos mais um. Como são duas perguntas diferentes, há possibilidade de apenas um dos estados ser criado e outro não. (Jornal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Tocantins

ARAGUAÍNA: Abertas inscrições para novas turmas de cursos gratuitos na Praça CEU

Publicado

em

A Prefeitura de Araguaína por meio da Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer está disponibilizando mais de 65 vagas para os cursos de violão, break dance, incentivo à leitura e produção de bijuterias. As aulas são ofertadas gratuitamente na Praça CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), que fica no Setor Araguaína Sul 2. 

As inscrições iniciam nesta segunda-feira, 25, e seguem abertas até o preenchimento das vagas, disponibilizadas de acordo com o curso e a faixa etária. Para participar das aulas de violão, por exemplo, é necessário ter entre 8 a 15 anos, ao todo são 20 vagas. No caso do break dance, também é oferecida a mesma quantidade de oportunidades, podendo participar moradores com mais de 10 anos.

Já o curso de Incentivo à Leitura que tem como proposta trazer atividades lúdicas que estimulem a reflexão, curiosidade, criatividade meio dos livros, jogos e dinâmicas pedagógicas, podem participar alunos a partir de 6 anos, ao todo são 12 vagas. Para quem deseja ter uma renda extra, o curso de bijuteria oferece 15 oportunidades e as matrículas podem ser realizadas por pessoas com mais de 15 anos.

Como se matricular

As matrículas são realizadas na sede administrativa da Praça CEU, localizada na Avenida Tietê, ao lado do CRAS (Centro de Referência e Assistência Social). O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas.

Os documentos necessários para se inscrever nas modalidades são:  cópias do RG, CPF e comprovante de residência. Em caso do menor de idade, além dos documentos do aluno, anexar cópias da documentação do responsável.

Benefício para comunidade

O Projeto de Esporte e Cultura tem como objetivo beneficiar mais 20 mil moradores de setores como: Raizal, Tereza Hilário Ribeiro, Imaculada Conceição, Morada do Sol I, II e III, Setor Coimbra, Vila Patrocínio e Jardim das Flores.

Desde agosto, as aulas na Praça CEU estão atendendo gratuitamente mais de 135 alunos em aulas de futsal, break dance, iniciação teatral, flauta doce, vôlei e inglês, além de curso de bijuteria, grupo de terapia, oficina pedagógica com incentivo à leitura e atendimento social.

“É prazeroso ver as crianças, jovens e adultos sendo atendidos dentro de um instrumento da prefeitura que oferece várias modalidades de esporte, cultura e lazer e convívio social. Queremos desenvolver naquele espaço um padrão de atendimento que se torne referência nacional em breve iremos ampliar mais ainda nossos atendimentos”, afirmou o secretário de Esporte, Cultura e Lazer, Zeca de Oliveira. (Giovanna Hermice / Foto: Marcos Sandes)

Continue lendo

Tocantins

Sicteg On foi encerrado com música e campeonato de games

Publicado

em

Chegou ao fim a 7ª edição da Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi (Sicteg On), na sexta-feira (22). O evento marcou a volta dos eventos presenciais no município de Gurupi e reuniu de forma remota lideranças locais, instituições de ensino superior e empresas regionais.

Durante a cerimônia de encerramento, o diretor-geral do Campus IFTO de Gurupi, Marcelo Terra, destacou a importância da integração e parcerias entre governos e empresas na realização do evento. “A Sicteg cada vez mais tem trazido inovação a esferas de extrema importância da nossa comunidade e tem cumprido seu papel, que é aproximar o setor produtivo, o poder público, e as academias, onde é gerada a inovação e conhecimento. Então, dessa forma este conhecimento vem atender e fomentar soluções por meio da tecnologia”, enfatizou.

A diretora do Programa InovaGurupi, Adriana Terra, ressaltou as parcerias firmadas para a realização da 7° Sicteg, com a presença do IFTO, UnirG, Unitins, UFT, UFNT, Embrapa, o “S’, Empresas, Fapt, em um formato que demonstra a força e relevância da ciência.  “A consolidação do modelo Sicteg, como atividade de política pública do Programa InovaGurupi, só é possível pelo apoio financeiro e econômico da Prefeitura de Gurupi, Sebrae e Instituições de pesquisa. Isso permite que a ciência, a tecnologia e a inovação possam continuar dando sua inequívoca contribuição para a solução dos problemas da sociedade tocantinense”, reforçou.

A diretora técnica do Sebrae, Eliana Castro, agradeceu aos parceiros e ressaltou a importância da Sicteg para a comunidade acadêmica e empresarial do município. “Batemos a nossa meta, com a participação de acadêmicos, professores, empresas privadas, grandes nomes do governo local e a comunidade em geral. Foi um excelente evento, com mais de seis mil participantes. O sentimento é de dever cumprido!”, comemorou.

A programação contou ainda com premiações dos campeonatos de games e também dos trabalhos científicos submetidos durante a Sicteg On. A noite foi encerrada com a apresentação do músico João Bolo que encantou ao público com belas canções.

Balanço Geral

O evento contou com cerca de 6.789 participantes inscritos; 104 palestras ministradas; 49 mesas redondas; 4 minicursos; 120 Mostras Sicteg; 95 Mostras Unitins; 776 Mostras Siepe, que totalizaram 991 nos três dias de realização.

“A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”, foi o tema da 7ª Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi/TO (Sicteg), realizada entre os dias 20 a 22 de outubro de 2021. A Sicteg é uma ação alinhada à 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT/MCTI.  O evento gratuito foi coordenado pelo Programa InovaGurupi da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia de Gurupi, Conselho de Gestores de Instituições de Ensino Superior de Gurupi e conta com a colaboração do Governo Federal/Estadual, Senac, Sesi, Senai e Sebrae. (Assessoria de Imprensa do Sebrae Tocantins)

Continue lendo

Tocantins

Tempo médio para abrir uma empresa no Tocantins é de até 33 horas

Publicado

em

Há 10 anos, abrir uma empresa no Tocantins exigia, em média, 15 dias. Foi assim com o contador Francisco Santiago, quando decidiu abrir o próprio escritório de contabilidade. “Tinha cliente para atender e precisei esperar o CNPJ sair”, contou o empresário sorrindo. No último mês de setembro, no Tocantins, o tempo médio para abertura de uma empresa atingiu a marca recorde de até 33 horas (1 dia e 9 horas), tempo inferior à média nacional, que atualmente representa cerca de 69 horas (2 dias e 21 horas). O resultado positivo, que auxilia os empreendedores na abertura de um negócio formalizado, é fruto da parceria institucional entre a Junta Comercial do Tocantins (Jucetins) e o Sebrae Tocantins.

Até dezembro de 2020, um dos indicadores trabalhados pelo Sebrae juntamente com a JUCETINS para reduzir o tempo médio de abertura de empresas no Estado, atingiu a marca de até 72 horas (4 dias), gerando um resultado positivo se comparado aos últimos anos e alcançado no fechamento do ano calendário/2020. Como estratégia de atuação para o ano de 2021, a estimativa projetada para alcance até dezembro contemplou a projeção de reduzir o tempo médio de abertura empresarial para até 48 horas (2 dias).

“O Estado do Tocantins, conseguiu no fechamento consolidado de setembro/2021 atingir o tempo médio de abertura empresarial de 33 horas (1 dia e 9 horas), superando a meta anual prevista para 2021 que era de 48 horas mínimas,  trazendo resultados positivos para os empreendedores que hoje conseguem abrir as suas empresas em tempo recorde e inferior inclusive a outras regiões do país. O Sebrae tem atuado fortemente em parceria com a Jucetins, unindo esforços para a simplificação de processos e melhoria  do atendimento empresarial, tornando o Tocantins cada vez mais competitivo e atraente para novas empresas e investidores”, destaca o superintendente do Sebrae, Moisés Gomes.

O Estado do  Tocantins ocupa atualmente a 8ª posição no ranking dos estados brasileiros onde é mais rápido abrir uma empresa. Os dados apresentados são do Governo Federal e do Portal da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim).

Em setembro, no Brasil, foram abertas 62.334 novas empresas e no Tocantins foram registrados 438 novos pedidos de abertura de empresas. Uma delas é a Smartstore, primeira mini conveniência em condomínios de Palmas. A proprietária, Alessandra Silva Neres, que já abriu uma empresa em 2017 e precisou esperar mais de 15 dias por um CNPJ, desta vez, conseguiu abrir em menos de dois dias. “Foi muito rápido e essa agilidade, na minha opinião, é um incentivo para as empresas se regularizarem”, contou a empreendedora.

A presidente da Jucetins, Thaís Coelho, destaca as iniciativas sobre processos de digitalização e desburocratização: “Investimos em tecnologia e na consolidação de parcerias para agilizarmos o processo de abertura de empresas. Adotamos a assinatura avançada, integramos o nosso sistema com o portal Gov.BR do Governo Federal, passamos a ser exclusivamente digitais e ainda temos o deferimento automático. Quando o usuário usa o contrato padrão, o CNPJ dele sai na hora. Aliado a isso, o Simplifica Tocantins chegou a todos os municípios do Tocantins e firmamos parcerias com os outros órgãos responsáveis pela legalização de empresas”.

O Sebrae é parceiro da Jucetins, realizando o atendimento e a orientação aos empreendedores no processo de abertura empresarial, por meio das agências de atendimento do Sebrae em todo o Estado e das Salas do Empreendedor. (Assessoria de Imprensa do Sebrae Tocantins)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze