Connect with us

Tocantins

TOCANTINS: Número de ocorrências diminui em Palmas

Publicado

em

Moradores apontaram melhorias com a presença de policiamento ostensivo nas ruas de Palmas. Em visita por alguns pontos da Capital, o Jornal do Tocantins ouviu nove moradores, dentre os quais sete destacaram ter notado uma presença maior de policiais militares nas avenidas.

O comandante-geral da Polícia Militar no Tocantins, coronel Marielton Francisco dos Santos, explicou que a intensificação do policiamento ostensivo com uma presença maior de policiais nas ruas está entre uma das metas de sua gestão à frente da corporação, juntamente, com o fortalecimento do policiamento nas fronteiras e o combate ao tráfico de drogas. Ele justificou que está fazendo uso do quadro operacional e do administrativo para viabilizar suas metas.

De acordo com o balanço das ocorrências registradas pelo Sistema Integrado de Operações (Siop), na comparação de janeiro deste ano com o mesmo mês do ano passado, a satisfação da população é justificada, pois ocorreu uma redução na quantidade de alguns tipos de atos ilícitos cometidos.Os furtos de veículos reduziram 75% (de 8 para 2), os furtos no comércio apresentaram queda de 27,5% (de 40 para 29) e o número de homicídio diminuiu de 6 para 2  – 66,67%.Além disso, ainda conforme os dados da Coordenação de Análise da Informação e Estatística do Siop, a repreensão ao crime na Capital melhorou, em especial nas apreensões de drogas que subiram de 2 em janeiro de 2010 e saltaram para 11 em janeiro deste ano, um aumento de 450%.Única estatística negativa foi referente aos registro de furtos em residência, que subiram de 2 em janeiro de 2010 para 7 no mesmo mês deste ano – elevação de 250%.TrânsitoNo trânsito também houve redução no número de ocorrências. A quantidade de acidentes com vítimas de lesão reduziu de 171 em janeiro de 2010 para 116 no mesmo mês deste ano – queda de 32,16%. Os acidentes com vítimas fatais diminuíram de 5 para 1, ou seja, 80% de queda.

PopulaçãoA comerciante Maria da Graça Lopes de Souza, de 28 anos, elogiou a presença da Polícia Militar (PM) nas ruas, com destaque para a realização das blitze. “Espero que essas ações continuem por mais tempo, e que não seja só agora no começo do ano. Fica menos perigoso com a polícia nas ruas”, disse a comerciante, que também declarou ter notado uma redução na quantidade de acidentes e assaltos na quadra 302 Norte, onde ela mora.

A gerente de uma loja de peças para motocicletas Luciene Teixeira, 37 anos, afirmou ter notado uma presença maior de policiais na região Norte, principalmente, na 305 Norte, a quadra na qual trabalha. “Até na questão das vendas notei diferenças. Os motociclistas estão comprando mais equipamento para se precaver diante na fiscalização mais presente”, disse a gerente, que pontuou ainda que alguns aspectos melhoraram, pois a sensação de segurança é maior com a circulação da policiais nas ruas. Contudo,  ela disse que ainda é preciso mais ações, pois os acidentes de trânsito ainda são muito frequentes.

O terapeuta e escritor João Peregrino Soares Abreu,  63 anos, apontou o fato de as pessoas se sentirem mais seguras como o maior benefício da presença da PM nas ruas. “Independente de qualquer coisa, psicologicamente, as pessoas se sentem mais seguras, além do mais isso inibe a atuação de pessoas que queiram praticar alguma ação ilícita”, disse Abreu que acrescentou que “é bom ver que a PM está trabalhando nas ruas”. Mas para o terapeuta ressaltou ser importante que as ações de fiscalização sejam descentralizadas, pois, para ele, é preciso atingir todos os pontos da Capital. Ele mora na 604 Sul.

O vigia Renato Moreira, 24 anos, morador da região Sul de Palmas, afirmou que apesar de morar há pouco mais de um ano notou uma mudança do ano passado para este. Ele destacou que é visível que a polícia está mais presente nas ruas e que isso é um fator positivo. A aposentada Antolina Anjos de Oliveira, 58 anos, e a funcionária pública Hellen Cristine Aguiar Santos, 20 anos, também definiram como uma melhoria a PM estar circulando mais nas ruas da Capital. A vendedora Valda Lima Guimarães, 48 anos, pontuou que com a polícia por perto é mais fácil conseguir ajuda, caso essa se faça necessária.

Cobrança

Já a professora de inglês Emanuelle Striquer, 22 anos, e a enfermeira Cladis Teresinha Bernardi, 44 anos, pontuaram que não notaram um aumento do policiamento nas ruas, nem na região em que trabalham nem onde residem. Para elas é necessário que a polícia esteja mais presente e mais próxima da população. Emanuelle mora na 404 Norte e a Cladis na 604 Sul. (Jornal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Suspeito de torturar e matar namorada em motel do Tocantins é preso

Publicado

em

A Polícia Civil confirmou nesta terça-feira (21) que o suspeito de torturar e matar Marcela da Silva Soares em um motel de Palmas é um ex-namorado da vítima. O homem, de 21 anos, não teve o nome divulgado. A Secretaria de Segurança Pública informou que ele já responde por outro homicídio, mas não deu detalhes do crime.

A crueldade do assassinado de Marcela chocou moradores em Palmas. O corpo da jovem tinha marcas de queimaduras, indicando a tortura. A análise preliminar indicava que ela poderia ter morrido esganada, mas isso ainda será confirmado por laudos do Instituto Médico Legal (IML).

O delegado do caso, Guido Camilo, que chefia a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas, disse que o suspeito confessou. Ele estava com o celular da vítima e escondido na casa de parentes em Porto Nacional, a 60 km da capital, quando foi detido. A SSP disse que ele não esboçou nenhuma reação ao ser abordado.


O homem deve responder por feminicídio. Inicialmente ele foi levado para a Central de Flagrantes de Porto Nacional. Depois disso, foi transferido para um presídio não divulgado.

O assassinato

O crime foi descoberto durante a madrugada de segunda-feira (20). Testemunhas relataram à polícia ter ouvido uma discussão vinda de um apartamento do motel, de número 103, onde a vítima estava hospedada.

Os funcionários do motel acabaram encontrado a vítima ao ir vistoriar o local porque a pessoa que acompanhava a mulher saiu sem pagar. O corpo foi encontrado com marcas, que podem ser de queimaduras, na região da barriga e das pernas. (G1)

Continue lendo

Tocantins

No Tocantins, homem de 42 anos é suspeito de estuprar a própria filha de 13

Publicado

em

Um homem de 42 anos, investigado por estuprar a própria filha, de 13 anos, foi preso pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), durante ação realizada na manhã desta terça-feira, 21, em Rio Sono. A operação que resultou no cumprimento do mandado de prisão preventiva em desfavor do indivíduo foi coordenada pelo delegado Anderson Casé, e contou com apoio de policiais civis da 4ª Delegacia de Polícia Civil de Palmas, e também do delegado Ricardo Real.

De acordo com delegado Anderson Casé, o estupro teria ocorrido no último mês de agosto e passou a ser investigado pela Polícia Civil, após o registro de um Boletim de Ocorrência onde os fatos foram denunciados. A partir daí, os policiais civis da DP de Rio Sono passaram a diligenciar e, com o aprofundamento das investigações, foi possível efetuar o levantamento de fortes indícios de que o pai teria, de fato, estuprado a própria filha.

As investigações da Polícia Civil foram confirmadas com os laudos emitidos por psicólogos e assistentes sociais que fizeram o acompanhamento da adolescente.

Com base nas investigações, o delegado responsável pelo caso representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão do homem. De posse da ordem judicial, os agentes foram até a residência do indivíduo e efetuaram a captura do mesmo.

Preso, o suspeito foi encaminhado à 1ª Central de Atendimento da Polícia Civil de Palmas, onde foram realizados os procedimentos de praxe. Em seguida, o indivíduo foi recolhido à Unidade Penal de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Continue lendo

Tocantins

Operação prende sonegadores no Tocantins que causaram prejuízos de R$ 57 milhões

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), por intermédio da Divisão de Repressão a Crimes contra a Ordem Tributária (DRCOT), de Palmas, deflagrou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, 21, uma operação de combate à sonegação fiscal.  Os ilícitos supostamente praticados já teriam resultado em um prejuízo na ordem de R $57 milhões de reais aos cofres do Estado do Tocantins.

Segundo o delegado responsável, a operação teve como objetivo dar cumprimento a mandados de busca e apreensão e também de prisão, no Tocantins e também no Estado de Minas Gerais. A ação também visa instruir inquérito policial instaurado para apuração de crimes contra a ordem tributária e outros crimes conexos envolvendo pessoas ligadas a uma empresa sediada no Tocantins. Ainda conforme a autoridade policial, as investigações tiveram início após auditoria realizada pela Delegacia Regional Tributária de Palmas. Durante os trabalhos, que contaram com apoio de agentes do Fisco dos estados do Pará, Maranhão e Bahia, foram constatadas inúmeras irregularidades fiscais que confirmam a prática de ilícitos que estariam sendo praticados já há algum tempo. 

Diante dos fatos apurados, a PC-TO, por meio da DRCOT, representou pelos mandados judiciais que foram cumpridos na manhã de hoje, em endereços ligados a pessoas supostamente envolvidas nos crimes de sonegação fiscal. No decorrer das diligências, os policiais civis encontraram em uma das residências, uma arma de fogo, que foi apreendida. Também houve o cumprimento do mandado de prisão temporária, em desfavor de um dos investigados, que após os procedimentos legais adotados, será recolhido à Unidade Penal de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Além dos agentes da DRCOT, a operação desta terça-feira também contou com apoio efetivo de policiais civis da Divisão de Repressão a Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) e suas divisões de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e 8ª Divisão de Combate ao Crime Organizado (8ª DEIC) de Gurupi, e Divisão Especializada de Repressão  Corrupção (DECOR), Palmas. A operação também contou com a participação da Perícia Oficial, por meio dos Núcleos de Crime Financeiro e Computação Forense.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze